Páginas

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

AVE NEM CHEIA DE GRAÇA











imagem Google








Ave não cheia de graça

Vejo aquela ave agourenta pousada sobre aquele cruzeiro
Ali parada assustada em suplica à proteção da
crescente exterminação

Aquela ave nem cheia de graça, de negras penas a luzir.
Assisto a saraivada de balas que cruzam a imensidão
Corpos negros espalhados pela longa estrada
Apenas piados longos e tristes, 
sangue escorre em penas negras

Abominável homem que atira como seu esporte.
Bicho homem que solto na mata, apenas mata.
Oh, homem que atira e aniquila!
Tende consciência!

Atirador não tem olhos para ver, 
que carnes apodrecem pela estrada.
A floresta agora perde seu aroma, 
tudo ali exala mal.
Aquela limpeza natural já não se pode ver
Vejo triste os campos que apodrecem por onde passo.
Não se alimenta da carne, apenas espalha mortes.

Sua fúria indomável à ave negra, indefeso urubu.
Mais um estampido ecoa pela mata como um triste grito
Mais um vôo desesperado de negra ave, 
que foge desesperada
Voo rasante em direção à cidade
Pousa num cruzeiro, naquele triste cemitério.

Imagina ali aliviar, evitar sua dor, mas cai inerte,
sangra é mais uma.

O mesmo homem que derruba arvores
é o mesmo que derruba animais
como esporte.
Até quando?





Publicado no Recanto das Letras.
Toninhobira
27/05/2010

12 comentários:

  1. Até muito tempo, meu amigo.
    Infelizmente!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo,
    O mesmo homem que atira nesses seres, é o mesm o que aprisiona numa gaiola, um bichinho que "cometeu o crime" de querer o céu como limite. Então te ofereço este poema que escrevi inspirado neles.
    Um abraço.

    O Pássaro

    É muito triste e tão doloroso
    Ver um passarinho engaiolado...
    Seu azar foi ser muito formoso,
    Hoje o céu lhe foi todo negado...

    Canta agora triste o bichinho
    Para o algoz orgulhoso agradar
    Canta um choro triste sozinho
    Para quem sabe o algoz escutar.

    Todo céu era um livre espaço
    E bem longe, ao alto voava...
    A maldita armadilha foi laço,
    E num instante o céu acabava...

    Predador ser humano e atroz
    De um ser indefeso e inocente
    Se tornando insensível e algoz
    Revelando que nada não sente

    Debatendo-se na gaiola em vão
    Os arames lhes estão a barrar...
    Triste sina e sem ter salvação;
    Ou quem sabe alguém lhe soltar.

    Bicho homem, imagem de Deus?
    Seu filhinho não quer enjaular!
    Mesmo sendo os filhos de Deus?
    Bicho homem no céu quer voar!

    ResponderExcluir
  3. ...traigo
    sangre
    de
    la
    tarde
    herida
    en
    la
    mano
    y
    una
    vela
    de
    mi
    corazón
    para
    invitarte
    y
    darte
    este
    alma
    que
    viene
    para
    compartir
    contigo
    tu
    bello
    blog
    con
    un
    ramillete
    de
    oro
    y
    claveles
    dentro...


    desde mis
    HORAS ROTAS
    Y AULA DE PAZ


    COMPARTIENDO ILUSION


    CON saludos de la luna al
    reflejarse en el mar de la
    poesía...




    ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE ALBATROS GLADIATOR, ACEBO CUMBRES BORRASCOSAS, ENEMIGO A LAS PUERTAS, CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER ,CHOCOLATE Y CREPUSCULO 1 Y2.

    José
    Ramón...

    ResponderExcluir
  4. Mais irracional do que um animal, só mesmo um homem. Que coisa, hein? Meu abraço amigo! Paz e bem.

    ResponderExcluir
  5. Poema triste, mas sem qualquer pejo, não me importaria de um dia meu corpo já sem vida ser devorado por uma dessas aves. Era uma maneira linda de sobrevoar os céus.
    Beijinhos de luz e adorei mais este

    ResponderExcluir
  6. Olá, amigo!
    É tão triste!... mais triste ainda é saber que não estamos cuidando do nosso planeta e já estamos sofrendo as consequências e mesmo assim nada ou muito pouco está sendo feito.
    Bom fim de semana!
    Beijinhos.
    Minas.°º♫♫
    ♫♫°º
    •*•♫♫♫° ·.

    ResponderExcluir
  7. Amigo, gostei muito, embora triste, mais é a realidade, ainda mais matar um anima útil, não que as outras aves não tnham utilidade, mais cada qual dentro do processo da natureza, na sua cadeia alimentar, vem o homem mata por maldade, pelo prazer de detruir. Um abraço carinhoso. Celina.

    ResponderExcluir
  8. Olá meu querido amigo! Estou que é felicidade só, em estar aqui novamente te lendo e absorvendo seus lindos versos! E esses são pra lá de especial, pois retratam uma triste realidade... Saudades muitas!!! Abraço-te com fraterno carinho... Bjsss

    ResponderExcluir
  9. Reale triste, não é mesmo? Este é um lado negro que extermina.
    Bom final de semana

    ResponderExcluir
  10. Realmente não tem graça nenhuma atirar em aves.

    ResponderExcluir
  11. oi Toninho, obrigada pela visitunha querida. já tinha passado por aqui dias atrás recordado de Itapuã, quando passei por lá...mas quanto aos pássaros lembro-me que em Pereira Barreto na fazenda Bela Floresta onde passei a infãncia, nas cercas do quintal, uma galeria de pássaros multicoloridos enfileiravam cantantes, buliçosos, aos olhos embevecidos das crianças que ficavam a admirá-los infinitamente. Toda tarde o espetáculo se repetia, e era sempre uma novidade. Hoje procuro estes passarinhos em algum lugar, e acho que os vejo apenas no Fantástico. Ai que saudades! Um forte abraço

    ResponderExcluir
  12. Sempre penso que o homem não é o ser mais inteligente e racional, se fosse não destruiria a própria natureza que o sustenta, lindo seu texto, embora triste, beijos.

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.