Páginas

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Um bonde para a esperança.








Chuva impiedosa na manhã belo-horizontina de Janeiro de 1962. O Rio Arrudas com suas águas invadiam as ruas do centro. Procurei me abrigar sob a marquise da Mesbla, onde cada centímetro era disputado. Preocupava-me a pasta com os papeis da venda de uma casa no Floresta. Naquela manhã um comprador vindo do interior, me aguardava conforme telegrama. Esta venda mudaria minha situação difícil naquela cidade. 

Mas a chuva rigorosa transbordava por todos os lados. Mais pessoas chegavam ao abrigo, por ser um ponto próximo da parada dos bondes. Cada um reclamava da necessidade de chegar no horário do trabalho, outros menos ocupados preocupados como chegar cedo à casa de prostituição da Zezé. Vidas se misturavam molhadas sob aquela marquise com desejos e sonhos bem diferenciados.

Quando o bonde surgiu, as pessoas como numa Cruzadas se precipitaram nele usando guardas chuvas, como armas para "pongar" no bonde. Decepcionado e triste senti impotência e vi o bonde sumir com gente pendurada como roupas em varal. As águas mais próximas do abrigo. Num ímpeto de fúria me atirei na chuva com a pasta enfiada sob o paletó e corri pela chuva, mas não consegui ir além da marquise das Pernambucanas. 

Olhei para o relógio e senti decepção, pois o comprador já teria desistido, pois havia outro imóvel para ver. Quando um barulho ouviu, olhei para a marquise da Mesbla que desabara. Correria geral, pessoas pisoteadas, corpos caídos na enxurrada. Naquele instante a fúria se foi com as águas e calmamente sai pela chuva em direção à minha casa com um pensamento consolador, de que “perdi o bonde e a esperança e volto pálido para casa”, mas com fé renovada de que lá em cima Alguém gosta de mim e me poupou a vida, para que eu ainda possa sonhar.

Toninho.


Exercicio baseado na frase de Drummond:  
Perdi o bonde e a esperança, volto pálido para casa.

22 comentários:

  1. Há coisas que acontecem p´ra nos mostrar que no final, saímos ganhamos.Isso nos dá mais fé e esperança...Lindo! abração,ótimo fds,chica

    ResponderExcluir
  2. Deus escreve certo por linhas tortas! Gostei do conto! Fé e esperança sempre! Beijos

    ResponderExcluir
  3. Que história triste e parecida com tantas em verões urbanos brasileiros!
    Meu amigo, se lesse meu post de ontem, veria que não perdestes a esperança, pois continuou com fé e estas duas juntas nos levam a Deus.
    um grande abraço carioca

    ResponderExcluir
  4. Meu caro amigo, que história emocionante e tão real! Deus é realmente bom e cuida de nós com amor, mas do que suponhamos! Não entendemos todos os seus desígnios, mas podemos confiar, como uma criança confia no seu pai..
    Um abraço aqui de S.Paulo (que também só chove..)

    ResponderExcluir
  5. Belo alvorecer amigo amado !
    Sua crônica é mais uma revelação para acreditarmos que Deus existe,que estamos sempre por baixo dele.Tudo que nos acontece Deus na sua infinita bondade já sabia...
    Bjs para velar tua noite !!!!!

    ResponderExcluir
  6. OIIIIII,tava com saudades!Como vai vc essa semana?Deus e tao bom nao e?Toninho,eu to indo trabalhar,depois volto...olha la no meu blog o link da minha participacao ontem na tv alema...quase morri de tanto nervosismi.Fiz picanha grellada.Bju.Lu.

    ResponderExcluir
  7. O texto é emocionante... gostei...e me fez lembrar minha avo que sempre brincava com uma frase..."A vida é esta subir Bahia e descer Floresta"

    ResponderExcluir
  8. •.¸¸✿⊱╮¸¸.•
    Seu texto é lindo...
    Como diz o ditado: "o que está perdido, remediado já está."
    Bom domingo!
    Bom início de semana!
    Beijinhos.
    Brasil
    •.¸¸✿⊱╮¸¸.•

    ResponderExcluir
  9. É bem assim!
    São fatos que acontecem em nossas vidas, que no momento nos trazem revoltas mas com o passar dos dias vemos que foi o "jeitinho" que Deus arrumou no momento, para nos poupar de frustrações maiores ou até mesmo de uma tragédia.
    Tenha um ótimo final de semana.
    Beijo
    Ivany

    ResponderExcluir
  10. Oi Toninho
    Que história incrível, fiquei pasma e ao mesmo tempo aliviada pois a misericórdia de Deus foi infinita com você.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  11. Oi Toninho
    Tantas vezes coisas assim acontecem e mudam o destino das pessoas.Felizmente seu anjo estava lá na hora certa pra te livrar do desabamento.
    Entendi como um conto real,e gosto da forma que descreve seus poema e contos, um modo singular.
    fique bem , deixo um abraço desejando bom domingo

    ResponderExcluir
  12. Uau!Aconteceu mesmo ou é ficção!De qualquer forma um excelente conto e que sorte teve o protagonista!bjs e meu carinho,

    ResponderExcluir
  13. Amigo Toninho,
    Muitas vezes temos que pensar mesmo há "males que vem para bem",e que a esperança sempre há de existir a nos iluminar,a nos fortalecer.

    Ainda bem que "alguém lá em cima gosta de você" e te protege,amiga.

    ResponderExcluir
  14. Oi Toninho!
    Que surpreendente! Deus está sempre por perto nos guiando e protegendo, reacendendo sempre nossa fé. Dias melhores certamente vieram!
    Abração e um lindo domingo!

    ResponderExcluir
  15. Toninho, se me permite dizer, fiquei arrepiado. E foi por mais de um motivo.

    É claro que o motivo maior foi o desabamento da marquise e a situação em que você ficou. Ao ler esta parte, estremeci. E, por certo, Alguém lá em cima te tem no mais alto grau de consideração.

    Mas, ao ler o nome Mesbla e ver a data, 1962, fiz uma viagem a um passado que não vivi. Nasci em 1968, mas conheci, e muito bem, tanto Mesbla quanto a Pernambucanas, loja popular ainda por aqui.

    Te ler foi um exercício maravilhoso, e que me fez viajar. Muito bom. Aplausos meu amigo.

    Fica com Deus, e tenha uma ótima semana.

    Abraços.

    Marcio

    ResponderExcluir
  16. Toninho,vim agradecer sua solidariedade a Luconi em meu blog!Bjs e bom domingo!

    ResponderExcluir
  17. Olá Toninho,

    Este fato me remeteu aos acontecimento de 11 de setembro, quando as torres gêmeas foram atacadas e desabaram. Foram tantos os casos de pessoas que escaparam da morte por motivos vários, como um atraso, uma falta ao trabalho etc etc.
    Muitas vezes somos agraciados por bençãos divinas, ou porque merecedores, ou porque não seria o nosso momento de passar por uma tragédia.
    As coisas somente acontecem com a gente quando Deus permite.

    Ótimo finalzinho de domingo.

    Abraço.

    PS: Perder para a Argentina é demais para a minha cabeça(rsrsrsrs).

    ResponderExcluir
  18. Olá Toninho,

    Maravilhoso conto.
    As vezes tem coisas que somos graciado pela mão de Deus, percebemos depois o quanto somos poupado de coisas terriveis.

    Adorei amigo!

    Grande abraço e ótima semana.

    ResponderExcluir
  19. Bonito conto. Quantas vezes passamos por situações que nos aborrecem, entristecem e fazem sofrer, mas depois percebemos que aquilo foi o melhor que poderia ter acontecido.
    bjs

    ResponderExcluir
  20. Belo texto relato.Me fez repensar um passado muito breve.
    http://odiariodeanabelajb.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. É AMIGO COMO COMENTEI ANTES, ESTE CONTO É MARAVILHOSO, PARABÉNS AMIGO, QUE VENHA OUTROS!! ABRAÇO. CELINA.

    ResponderExcluir
  22. Adorei o seu conto.
    Passamos por situações que fogem ao nosso controle. Você me fez lembrar das lojas Mesbla e o Mappim daqui de São Paulo que não existem mais.

    Um bom domingo
    Bjs

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.