Páginas

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

De minha janela II






De minha janela II
 

O dia amanhece com perfume de flores.
Vejo os pássaros na mais linda cantoria,
Eu os vejo de galho em galho e no chão,
Uma bicada e ciscada felizes em liberdade,
Em pares acasalam-se em danças exóticas.

O Sol atravessa uma árvore neste instante,
Aos meus olhos embevecidos desta magia,
Vejo um beija-flor chegar num voo rasante,
De manobras perigosas para uma falsa flor,
No plástico vermelho seu bico sente prazer.

Já ouço sons desordenados, asas se batendo,
Assustados com os apressados transeuntes,
Numa corrida maluca para seus afazeres.
A cegueira que impede de ver o amanhecer,
São pássaros urbanos na maldita competição.

O barulho na crescente agride meus ouvidos,
São buzinas, motores, sirenes sons de celulares.
Quebram a serenidade desta linda manhã,
Roubam a cantoria dos pássaros do jardim,
Fecho a janela sobre a cidade, já é a rotina.

Toninho.
17/08/2013 

Uma linda semana a todos e que possamos ter sempre uma manhã linda, que nos faça renovados para o dia com novas esperanças.

****************************************************





29 comentários:

  1. Que linda poesia Toninho, da minha janela tudo se vê os mais belos sonhos o barulho deslumbrante da natureza e os sons dos humanos. Parabéns, a poesia revela a alma do poeta. Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Linda poesia e manhãs assim nos enchem de energia! Linda música! abração,ótima semana,chica

    ResponderExcluir
  3. È uma lástima que a correria seja cega para os brilhos da natureza, para o vôo dos beija-flores, para o rasgo matutino de cada amanhecer;esta perda faz semblantes sombrios e ombros arqueados.
    Importante alerta na poesia destacada, amigo Toninho.
    Uma semana de claros e fulgurosos amanheceres.
    Um abraço,
    Calu

    ResponderExcluir
  4. Bom é a gente ver vida , verde, natureza e amor florescente através de nossa janela não é poeta? ameiiiiiiiiiiiii a poesia. venha ver nosso país das fotografias. bjs

    ResponderExcluir
  5. Mas meu anjo amigo, que delícia meus olhos aqui veem aqui se esparram diante dessa beleza e tanta delicadeza que teus versos me constroem. A imagem, uma captura mais que perfeita.

    Eu, meu querido, sou suspeita até o pescoço para falar dessas criaturinhas mágicas e tão sorridentes - basta termos "olhos de ver"

    Beijo na alma, lindeza do meu coração.
    saudades eu estava de você.
    Sam.

    ResponderExcluir
  6. Oi, querido Toninho!

    Começo por agradecer sua visita a meus blogs, tal como as bonitas palavras, que lá deixou.

    Você, e ao longo desses quase dois anos, que nos contatamos, tem sido um ser incrível. E porquê?

    Por diversos motivos, sendo de salientar, a sua constância de atitudes e propósitos.
    Comentários carinhosos, sinceros, mas NUNCA ultrapassou a "linha". Isso para mim, tem muito valor e apreço.

    Você pertence à "velha guarda", ou esja, é um cavalheiro daqueles que tiveram berço e que sabem respeitar seu semelhante.
    Evidente que não é perfeito, mas para mim, o tem sido, sempre.

    Par falar verdade, não tenho razão de queixa de nenhum dos "meus homens"(os que seguem e comentam meus blogs), como carinhosamente lhes chamo, embora, por vezes, o terreno sendo "movediço", isso é, me refiro ao género de poemas que faço, pode levar a uma "escorregadela" linguística, e algumas vezes, poucas, isso tenha acontecido mesmo, só que as palavras foram feitas para esclarecer situações.

    NÃO SE PODE, NEM SE DEVE CONFUNDIR MEU EU-LÍRICO COM A MINHA PESSOA. Evidente, que há uma mistura, em alguns poemas, de ambos.

    Li, sua "JANELA II" e lá li/vi o mundo que dela nos descreveu.
    É mesmo, assim, querido amigo. O mundo, as pesssoas pulsam, e tudo nos parece belo, mas repentinamente, há barulhos que interrompem nossos sentires, nossa paz, e chega até a incomodar.

    Gostei muito do que você escreveu, porque o fez, com naturalidade e com muita sapiência.

    Estarei voltando aos blogs, se Deus quiser no dia 01 de setembro, no final do dia, hora portuguesa, com poema longo, fruto de saudades da escrita, com certeza.

    Boa semana, em paz e harmonia.

    Um beijo da Luz, com carinho e muita consideração.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Toninho
    Esse poema aconteceu comigo hoje pela amanhã ao despertar tão longe do Pantanal...
    Voltei à realidade e fechei a janela também....
    Agora, já posso abri-la: é noite!!!
    Bjs fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  8. Olá amigo, aqui em casa o dia começa com os passarinhos cantando, mas logo os sons da vida urbana invadem o ambiente rsr Abraços e boa semana!

    ResponderExcluir
  9. Es un pena que muchas veces por seguir el ritmo cotidiano de la vida, olvidamos disfrutar de tan bellos detalles.
    Preciosa poesía impregnada de aromas y naturaleza.
    Abrazos miles, bella noche!

    ResponderExcluir
  10. Que maneira bonita de descrever um começar de dia
    maravilhoso...Que mais se poderia querer, se isso
    nos sucedesse todos os dias? Gostei amigo. Dá
    ânimo.
    Beijinhos
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  11. Rotina talvez mas a cada janela aberta novos olhares existem...
    Abraço Lisette

    ResponderExcluir
  12. Um Bom Dia, Toninho!
    Cada manhã é uma oportunidade de abrir a janela do coração e ver tanto azul, tanta luz... Ver os pássaros que trazem mensagens lindas de confiança e liberdade... Lindo poema!

    Abraço

    ResponderExcluir
  13. Oi Toninho, que a sua semana seja de paz e luz, obrigado pelo comentário, gostei muito, onde moro por ter muitas árvores quem fazem a festa são os pardais, com chuva ou sol eles fazem a sua sinfonia, sempre as cinco hrs. da manhã e na hora de se recolher, o reloginho deles são perfeitos.Amei a sua poesia, lindo e gostoso abrir a nossa janela e deparar com um cenário assim , antes que os ruídos da cidade venham abafar a beleza que a natureza nos oferece.Um abraço grande amigo, da amiga de sempre, Celina

    ResponderExcluir
  14. São os sons das cantorias,sons do dia dia,beijos querido!

    ResponderExcluir
  15. Oi Toninho
    Infelizmente os urbanos já não têm tempo para observarem a beleza do amanhecer.
    Abraço

    ResponderExcluir
  16. Olá Toninho, boa noite! Lindo poema meu amigo, dizendo uma grande verdade, as pessoas não encontram mais tempo para parar e observar o que de belo existe ao nosso redor...Tanta beleza sendo desperdiçada pelos transeuntes apressados. Que pena!
    Beijos com carinho e fica com Deus
    Marilene

    ResponderExcluir
  17. Boa noite, Toninho
    Mesmo morando em cidade, pequena sim, mas ainda curtimos o amanhecer ensolarado, ao som de alguns pássaros que vêm até o pé de romã do meu quintal.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  18. Pois é querido, estava tudo tão lindo, mas de repente fechaste a janela... que dó! Mas a poesia ficou deslumbrante. Um bj Toninho.

    ResponderExcluir
  19. Gracias por pasar y dejar tus huellas, te estoy muy agradecida por tu tiempo y tus comentarios.
    Te dejo un fuerte abrazo y el enlace de una rosas.
    Bello día!

    http://www.losencantosdelolita.com/blog/wp-content/uploads/rosas-rojas.jpg

    ResponderExcluir
  20. Manhãs energizantes tão raras nas cidades grandes.
    Bom final de semana.
    bjs

    ResponderExcluir
  21. 彡♪♫°

    Essa é a verdade mais cristalina nos dias de hoje!...

    °º✿♫ Boa semana!
    °º✿ Beijinhos
    º° ✿ °❤ Brasil ♫° ·.

    ResponderExcluir
  22. Prezado amigo, venho deixar um abraço, e dizer que esta rotina é a parte azeda de nossas vidas, Pois ela azeda o que de mais doce ainda temos: a natureza.

    ResponderExcluir
  23. Lindas manhãs que tem o seu encanto quebrado nas cidades grandes.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  24. Toninho,os passarinhos sempre deixam as manhãs mais alegres.É mesmo uma pena essa correria da cidade!Muito linda sua poesia e Nana é uma fada!bjs,

    ResponderExcluir
  25. Toninho que um poema belo comparando a vida no campo, no interior ao de uma cidade grande, aqui onde moro ainda se pode ver e ouvir o amanhecer com todos os cantos que a natureza produz, beijos Luconi

    ResponderExcluir

  26. Olá amigo,

    As duas primeiras quadras me ofereceram um cenário magnífico. Já as outras duas me trouxeram de volta à selva de pedra.

    Muito lindo.
    Que aproveitemos, pelos menos, a beleza do despertar do dia para a renovação diária de nossas energias.

    Abração.

    ResponderExcluir
  27. Quanta sensibilidade e doçura, Poeta!
    É triste viver junto de uma rua barulhenta... Sei bem como elas estragam a alegria de observar a natureza...
    Não há lugares mais apropriados para vivenciar a vida natural do que um sítio...
    Excelente poema, querido amigo!
    Comoventes os seus sentires...
    Grande Abraço.
    Beijos
    ~~~

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.