Páginas

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Lembranças sofridas.










 


Lembranças sofridas.

E foram estas noites de escuridão,
Um pau de arara que não quebrava,
Sentimentos dolorosos de solidão,
Num país que a incerteza reinava.

Os sonhos assassinados na mente,
Sob o aparato daquela maldade.
Nos corredores fétidos um inocente,
Diante do carrasco a perversidade.

As mães desesperadas pelas praças,
Numa sala uma mulher se ajoelha,
O silencio era a estampa do cidadão,
E malditos fracos viviam da delação.

Meu Deus quanta maldade atroante,
Neste período que manchou a nação,
E por ironia há quem ainda os venere,
Como os reais protetores, triste visão.

Nada eles sabem do sangue derramado,
Daqueles torturados nos podres porões,
Que esmagaram homens em corredores,
Onde a morte terminava com as ilusões.

Não, não me fale deste tempo do medo.
Com nossos olhos cansados de agora,
Pois dele nunca mais esqueceremos,
Das tristes lembranças de outrora

O país não suporta mais uma ditadura,
Que faça calar quem se levanta e luta,
Pois não foi completa aquela abertura,
Que veio resgatar toda nossa esperança.

Toninho.
24/07/2013
 **********************************************
No período critico das manifestações de ruas, ouvi algumas pessoas tecendo loas ao periodo da ditadura com certo saudosismo, em nome de uma paz, que julgavam ter naquele tempo de solidão e maldades. Ai saiu isso.
**********************************************
Um lindo fim de semana a todos.

15 comentários:

  1. Noooooossa, nem pensar naquele tempo de tantos sofrimentos que vimos e sentimos...
    Saudades daquele tempo, nem pensar!

    Linda poesia , inspiração triste! abração, lindo fds! chica

    ResponderExcluir
  2. Meu velho e saudoso pai sofreu tanto ,tanta tortura meu Deus...Ele e milhares.Lendo seu poema me fez ouvir a voz dele narrando as barbaridades que sofreu.
    beijo meu amigo

    ResponderExcluir
  3. Oi Toninho
    É um canto sofrido seu poema e de fato a ditadura quando descamba para a violência torna-se lei,onde o poder é soberano e tudo pode. O povo muitas vezes esquece dos detalhes sombrios.
    Respeito pela ordem publica é uma necessidade e os baderneiros de plantão devem ser devidamente orientados ou cadeia neles. rs
    Manifestações são válidas quando não escondem sentimentos de uma revolta política orquestrada.
    Saudades Toninho da sua inspiração nas letras.
    Um fim de semana feliz
    abraços

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Toninho!!

    Que lindo e consciente poema!!! Quem lembra com saudosismo da ditadura, ou não conhece a história ou não teve sua liberdade tosada,nem a família devastada...é egoísmo, né?! Quantas famílias foram destroçadas por lutarem pela liberdade!!!
    Beijos e meu carinho!

    ResponderExcluir
  5. Olá Toninho.
    Vim dar um alozinho, desejando um ótimo final de semana de muita luz e paz.
    Xeros

    ResponderExcluir
  6. Oi Toninho senti falta dos amigos nestes dias que passei doente, o importante é está aqui de novo, . nós todos estamos com certo receio que alguma coisa venha acontecer nos privando principalmente da liberdade da imprensa , mais com a graça de Deus, e felicidades de todos encontrarão um caminho certo, Um abraço fraterno, uma semana de paz e muita saúde. Celina.

    ResponderExcluir
  7. Querido Toninho
    Embora cada país tenha épocas das quais não se pode orgulhar,o certo é que não devemos deixar que esses períodos caiam no esquecimento.Assim talvez se consiga que não voltem a acontecer.
    O seu poema,apesar de dramático e até trágico,além de ter muito valor,é muito belo.Parabéns.
    Bom fim de semana.
    Beijinhos no seu coração
    Beatriz

    ResponderExcluir
  8. Ainda há os que não sabem do que falam.Nada ouviram falar da verdade dos fatos,da marca, da mancha,desta ditadura em nossa historia. Bjos!

    ResponderExcluir
  9. Olá amigo, saudades de ti, eu não vivi a ditadura mas lembro das histórias do meu pai e da minha mãe, nada justifica ter saudades desse tempo, belo poema! Abraçosss

    ResponderExcluir
  10. Acho que foi dias meses tristes como seu poema
    lembrei da novela Flor do Caribe, onde passou cenas dos nazistas...
    Mas esse tempo deve ter sido muito ruim para quem viveu

    Bjuss de bom final de semana

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  11. Amooo essa musica do Nilton

    Pagina do blog no facebook,curte?
    http://umagarotacitouu.blogspot.com.br
    Beeijos :*

    ResponderExcluir
  12. "Numa sala uma mulher se ajoelha"

    Nessa frase linda, mas dolorosa, Toninho, vejo a esperança no fim... e o nosso país anda mesmo muito estranho... parece que dá um passo a frente e três para trás.

    Beijinho, querido.

    ResponderExcluir
  13. Olá, amigo Toninho
    "Maldade atroante"... verdade!!!
    Mães que rezam e o céu conquistado por suor e sangue...
    Lindo poema, quase uma "expiação"!!!
    Bjs fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  14. Mineirinho
    Quanto sofrimento! Quantos desaparecimentos! Quantas famílias sem direito à verdade! Quantos silêncios forçados! Quanto medo!
    Retratou de forma excelente um período que não podemos esquecer, para que não permitamos volte. Bjs.

    ResponderExcluir
  15. Amigo Toninho

    Embora nos cause tristeza e indignação sempre é bom lembrar. Fatos que você se inspirou nestes lindos versos.

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.