Páginas

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Quando penso neste amor.



O que inquieta revelo neste amor,
Por mais que disfarça o sentimento,
Há um querer que desnuda a dor.
Assim inspiro neste real tormento.

A ausência resseca, recria carência,
Revela-se na saudade do doce beijo,
Ancoram lembranças em eloquência,
Abrasa os instantes dos meus desejos.

Pensa-se neste amor de desencontros,
Nas noites de fantasmas mal coloridos,
Resgata a infância com os assombros,
Daquele medo de amar e ser proibido.

Quando penso no amor, que leva flores,
Encanto-me com palavras de carinho,
Vivo em pleno êxtase dos trovadores,
Recito poema em versos pelo caminho.

Quando penso no amor, que inspira,
Sinto perfume lançado na atmosfera,
Quando a natureza em transe suspira,
No desejos de amar numa primavera.

Toninho
07/09/2013.
************************************************
Tem poesia toda quinta no blog pensandoemfamilia,passe por lá e confira : http://pensandoemfamilia.com.br/blog/
************************************************
Imagem do Google.




23 comentários:

  1. 'Ancoram lembranças'... Toninho quando leio sobre esse amor sobre os amores que se foram ...
    Ausência desencontros flores e muita nostalgia..!!
    lindo o poema_ obrigada por cantar o amor e me fazer feliz nas madrugadas,
    deixo abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá, amigo Toninho
    A ausência resseca...
    Isso me chamou atenção... não é à toa que a Primavera reacende a Esperança de 'irrigamento' de todo o nosso ser!!! Ficamos muito melhores... plenos em todos os níveis...
    Bjs fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  3. Toninho bom dia , o amor as vezes deixa medo , ele como tudo na vida tem os dois lados , quando amamos deixamos de sentir medos somos super heroes ou heroínas , mais por qualquer motivo quando ele se vai, nos deixa arrasada sem animo, exige de nós muita coragem para voltar a viver. Normalmente a sua poesia é linda, ela fala um pouco disso. na tua poesia, ela é maravilhosa ela faz lembrar os nossos amores do passado. Um abraço fraterno, Celina !

    ResponderExcluir
  4. Ei Toninho
    Amar é tão bom, medo pra quê?
    Uma bela poesia, super de acordo com a linda música do Beto Guedes.
    Abraço, Toninho.

    ResponderExcluir
  5. Olá meu querido!
    Saudades....
    Daí vim afagar nossa amizade.
    Amei o poema Toninho, ame sem receios, a mais bela poesia estar no amor.
    Isso é milagre.

    Beijinho

    ResponderExcluir
  6. Ah bom amar sem medos, sem reticencias , sem pensarem nada apenas amar e amar. Lindo poema, bjs e Bom diaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  7. Realmente Toninho a primavera é inspiradora, inspira o amor, inspira os poetas.... Parabéns. por sua linda inspiração! Um bj querido!

    ResponderExcluir
  8. Vocês aí estão a receber a inspiração da Primavera(uma
    estação que eu gosto) mas eu aqui estou no Outono e hoje
    está um vento fortíssimo.Mas gostei muito deste post.
    Um bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  9. Toninho, tenha certeza de que você e outros amigos, são especiais e bênçãos em minha vida.
    Um abraço caloroso!

    ResponderExcluir
  10. Toninho você está em uma fase sublime.Emocionando.
    beijão

    ResponderExcluir
  11. Linda inspiração, mais uma vez aqui! Parabéns! abração praiano,chica

    ResponderExcluir
  12. Tão linda inspiração no berço primaveril. Só nos faz suspirar com tão lindas palavras e música de fundo.

    Obs: grata por divulgar meu projeto

    ResponderExcluir
  13. Olá Toninho, boa tarde! Que singelo é este teu poema.Você escreve com doçura de alma e inspiração a flor da pele. Adorei estar aqui e contemplar mais este lindo poetar entre flores e inocência. A música de fundo acompanhando a leitura é lindíssima...Parabéns meu amigo!
    Beijos carinhosos e um final de semana doce pra você.
    Marilene

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Chegando meio devagarinho
    pisando de leve
    para os pássaros não espantar
    ah, porque são de todo
    os enfeites,
    são os silvos do mel de setembro
    das flores a desabrochar...

    Encantada com o poema
    lindo e de sensibilidade impar.
    Gostei muito meu amigo
    o amor na primavera
    que aos céus suscita...

    Estou aqui agora e na medida
    do possível buscarei ser mais
    presente...

    Novo Blog
    escritade.blogspot.com

    Abraços

    Livinha

    ResponderExcluir
  15. Lindas palavras!! Quanta doçura em suas palavras! Um abraço amigo!

    ResponderExcluir
  16. As flores sempre nos tocam e então somos capazes de abrir a alma e deixar síirem grandes sentimentos como estes, aqui, deste seu belo poema...
    Um lindo sábado para si!!!

    ResponderExcluir
  17. Olá, Toninho!

    Belos versos, amigo! O amor é sempre um tema recorrente para o poeta. É uma fonte inesgotável.

    Grande abraço
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
  18. Meu amigo

    Hoje passando para dizer que estou a ser entrevistada no RECANTO DOS AUTORES, será um prazer a tua visita. Deixo o Link:

    http://recantodosautores.blogspot.pt/

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  19. Ah Toninho que imagem mais linda, e o poema tão belo, falar de amor é sempre tão bom, bjos Luconi

    ResponderExcluir
  20. °º✿♫
    Amor, é sempre melhor que desamor... com ou sem medo.
    Às vezes o medo é só uma sombra... mas existe sol também.
    Boa semana, amigo!
    °º✿♫

    ResponderExcluir
  21. Olá, Toninho, a primavera, a lua, o mar... todos inspiram os poetas, e seus versos ficam assim como esse... lindo!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  22. Que bien le escribes al amor. Enhorabuena

    un abrazo

    fus

    ResponderExcluir
  23. De volta para lhe dar um abraço pelo dia do poeta.

    Coloquei no face, mas aqui é o seu lugar.

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.