Páginas

sábado, 18 de janeiro de 2014

Ponto da saudade.


Ele me esperava, eu era dele,
Mas não me permitia à posse
Por instante pensativo a olhar
Estáticos de frente para o mar.

A inércia próxima do infinito,
Juntos numa solitária calçada,
E a vida fluía em dois sentidos.

E me flagro no olhar incisivo,
Em meio à solidão do instante,
Uma brisa vem me segredar,
Amor que jamais pude olvidar.

Embarco na nau de um tempo,
A catar cacos de uma saudade,
Lançando a rede sobre as ondas.

Inebriado pelo lindo pôr do Sol,
Adormeço na canção do vento,
Sonho com versos caindo do céu,
Das asas alvas de um querubim.

Agora sentado no solitário banco,
Lanço meu olhar sobre este mar,
Uma dupla corroída pela saudade,
Reminiscências de um caso de amor.

Toninho
07/01/2014

Foto inspiradora do blog  pensandoemfamilia da amiga Norma onde ela convidou seus amigos para externar o que o faz voltar à sua pagina.
************************************************
A todos um bom fim de semana.

23 comentários:

  1. Lindo demais e voaste bem na imaginação, deixando tua inspiração expressar lindamente! Adorei! abração praiano,chica

    ResponderExcluir
  2. Oi Toninho
    Como você é inspirado e talentoso, cada vez que você nos brinda com um poema, ele é sempre muito bonito, sem falar no seu bom gosto musical.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Tens uma criatividade bárbara, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  4. Que lindos versos meu amigo, inspiradores para os poetas.
    Abençoado fim de semana, beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Toninho, boa tarde, um banco sempre nos traz recordações seja numa, praça, numa praia, com a lua para fazer companhia, e vermos as ondas indo e voltando não tem coisa mais linda , , não precisa mais nada, o resto nós sonhamos..muito linda a sua poesia a inspiração não faltou, tenho certeza, parabéns poeta

    ResponderExcluir
  6. Não é preciso muito mais que um banco e o mar para que as lembranças de um amor fluam como as ondas...

    Um poema nostálgico e lindo, Toninho, como só vc sabe fazer.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Boa noite Toninho, um banco sempre nos traz lindas recordações seja numa praça num jardim ou numa praia tendo a lua enfeitando o cenário e as ondas com as suas espumas indo e voltando, o resto é sonho e muito amor, a tua poesia é linda e muito inspirada. Um domingo bem legal . Um abraço fraterno. Celina

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Querido Toninho
    Um banco,uma paisagem de frente para o mar...E a inspiraçao de um grande poeta como o meu amigo fazem um magnifico poema!
    Muitos e muitos parabens.
    Um excelente domingo.
    Beijinhos
    Beatriz

    ResponderExcluir
  10. Lindo... a saudade... reminiscencias de um caso de amor...

    Um otimo domingo Toninho...

    Beijos...

    ResponderExcluir
  11. Musica linda
    Imagem belíssima
    Poema encantador
    Então é só parabenizar

    Desejo um bom domingo

    Abraços de sempre

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  12. Poeta, sempre tem uma linda metáfora para nos oferecer. Sortuda a sua amiga que inspirou os versos acima.
    Abraço, um domingo muito doce
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    P.S. Gostei do seu novo avatar. Quem desenhou?

    ResponderExcluir
  13. Um banco, o mar, a brisa e é inevitável um mergulho na saudade. Belíssimo querido. Bjus

    ResponderExcluir
  14. Boa noite, Toninho
    O facto de ter estado ausente três dias impediu-me de vir mais cedo agradecer a sua tão simpática presença na minha «CASA»
    Faço-o agora, com toda a satisfação.
    Gostei muito que o meu conto lhe tenha agradado. Ver que gostam do nosso trabalho é a melhor compensação que podemos ter.
    Muito obrigada.
    Tenha uma noite tranquila e uma semana feliz.
    Beijinhos

    O seu poema está muito bem delineado e mostra-nos que, em qualquer lugar ou circunstância, as recordações podem afluir a todo o momento.
    Gostei muito. Parabéns.

    ResponderExcluir
  15. Toninho,

    Lendo seu poema eu viajei para um tempo que morei numa cidade e haviam banquinhos numa praça de frente ao encontro do rio com o mar. E os barcos de pescas eram acompanhados pelas gaivotas.

    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi, Toninho!
    Pensamentos que se movimentam como as ondas do mar, indo ao passado e voltando ao presente.inspirando esse belo poema!
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  17. Que viagem poeta. Passado e presente se encontram neste banco diante do mar.
    Lindo, aplausos.
    Vou compartilhar.

    ResponderExcluir
  18. Bravo Toninho,lindo demais! poeta!
    beijo bom dia

    ResponderExcluir
  19. Saudade....
    Sempre saudade...

    Catita
    bjsMeus

    ResponderExcluir
  20. Olá Mineirinho,
    Quanta inspiração! Tudo perfeito para bater aquela saudade. Viajei aqui lendo o seu poema... Senti até a brisa do mar (rs).
    Bons fluidos.

    ResponderExcluir
  21. Caro amigo, fui lá no seu blog, mas não consegui comentar, não abriu a página de comentários, não é problema de sua casa é problema de meu pc, vira e mexe está me dando problemas, então resolvi comentar por email, adorei teu poema, diz a velha canção que "recordar é viver" e hoje mais do que nunca sei que é verdade, feliz daquele que tem algo a recordar é sinal que bons momentos viveu, ou então, bons ou maus foram momentos vivenciados com amor, obrigada Toninho por sempre conseguir vibrar minha alma com a beleza de seus poemas, abraços Luconi

    ResponderExcluir
  22. Olá Toninho,

    Saudade não tem hora nem lugar certo para se achegar, mas em alguns cenários ela afloram com mais intensidade.

    Lindooooooooooo!

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  23. Meu amigo, foi iluminado pela inspiração ao construir seu poema.
    A saudade é rica, nesse sentido. Bjs.

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.