Páginas

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Onde está meu vale?


Cadê meu vale?


Já cri que, montanhas renasciam,
elas se foram como os passarinhos.
olhos lacrimejantes em penitencia,
a espera inútil, mas elas sumiram.

Hoje novamente querem me iludir,
na floração do vale que já agoniza,
sem peixe nunca mais a piracema,
na lama assassina perde sua vida.

Maldita toda lama a me confundir,
mata aniquila como lava de vulcão,
vejo pisoteada biosfera que sangra,
sob seu rastro de destruição a sede.

Já não sou o menino de olhos limpos,
nem minhas pernas podem navegar,
os passos perdidos atolados no barro,
contaminado pelo pó negro da serra.

A serra com suas entranhas abertas,
onde belos lobos Guarás se saciavam,
os vejo tristes enlameados e famintos,
seus uivos clamam o sacrifício final.


Toninho
Novembro/2105

Imagem Google Rio Doce antes e depois da lama assassina.

******************************************************************


24 comentários:

  1. Uma dor que fere a alma e mata a esperança, é fim dos tempos ver a natureza lutar sem esperança , já que quem devia cultivar a vida explora a toa e em nome do capitalismo vai erradicando fauna e flora. Ainda sonho com flores, com passarinhos, com as doces águas do rio, com a pureza do mar, e estremeço em saber que a morte beira em todo lugar. Lindo e triste teu versejar para o real e mesquinho esse trágico acontecimento poeta. bjs. Tem novidades no blog

    ResponderExcluir
  2. A tristeza que sentimos está expressa em seus belos versos, mineirinho. Choramos com a natureza destruída e sem esperanças de que tudo possa ser como um dia foi visto. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Olá, amigo Toninho
    Lama assassina é a melhor definição do que nos assola no Brasil... cada dia mais e mais... MG. ES. quase na BA... e por todo lado...
    O jeito é descarregar tristeza imensa na poesia de cada dia...
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  4. Horrivel o que aconteceu... por mais que se fale, ainda penso que a proporçao dos danos causados a natureza é muito maior...

    Beijos, Toninho...

    ResponderExcluir
  5. Toninho,

    Você acredita que não mais acompanho as matérias relacionadas a esse desastre ambiental?
    Dói demais na minha alma, sabe?
    Eu creio que os responsáveis vão pagar diante da justiça de Deus, que é perfeita e justa.
    Um crime sem tamanho, meu amigo!
    Resta chorar, chorar e relembrar os bons tempos.

    Bjksss

    ResponderExcluir
  6. Oi Toninho
    Estou com os olhos cheios d'água ao ler seu poema ao som desta música, é muito triste, lamentável, absurdo, não temos palavras para descrever tamanha catástrofe.
    Grande abraço, amigo.

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde, Toninho.
    A natureza vai chorar por muito tempo essa tragédia.]

    ResponderExcluir
  8. Os humanos destroem;
    A natureza recomporá-se
    lentamente, aos poucos, e sempre.
    Mas, até quando suportará?

    Será como cantou Raul:

    Um dia o mundo há de sacudir o homem
    como um cão sacode as pulgas.

    ResponderExcluir
  9. Um grito de clamor ,triste mas é infelizmente a realidade não só do Brasil ,mas um pouco por todo mundo que destroem pela avareza do ser humano ,maravilhoso caro amigo ,um grande abraço Emanuel.

    ResponderExcluir
  10. Como tudo isso é doloroso...e dói mais porque sabemos que em qualquer país sério, os calhordas que causaram tudo isso já teriam sido obrigados a desembolsar bilhões para a limpeza e contenção urgente. Mas quem detém o poder para isso está nadando na mesma lama que os executivos dessa empresa irresponsável. Meu consolo é que um dia o planeta os cuspirá daqui.
    Um abraço, com pesar.
    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
  11. Toninho, meu amigo,

    Texto emocionante de um relato dolorido, a natureza sofre, a população sofre e a indignação aumenta. O dano já foi feito, agora é exigir que os culpados sejam punidos e que reparos sejam feitos, a natureza chora agonizando em seu leito e nós também choramos.

    Paz meu amigo e muita força, beijo.

    ResponderExcluir
  12. Amigo poeta,
    seus poemas são lindos e reais,
    retratam a tristeza que vivemos,
    num país onde não se previne...n se conserva nada!
    Bjos
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Toninho,
    Dói ver essas imagens que tive oportunidade de ver na TV. Faz padecer a alma e o coração!
    Como é possível que a ganância do Homem ponha em causa a sobrevivência das espécies e do próprio Planeta por este caminhar. Triste realidade do mundo em que vivemos.
    Tantos alertas como os dos grandes cantores como Maria Bethânia que adoro, até agora seu poema num lamento bem pungente. Nada demove esses corações de pedra!
    Vamos ter fé!
    Obrigada por festejar comigo o aniversário da nossa querida Chica e suas palavras tão reconfortantes.
    Desejo-lhe um fim-de-semana muito abençoado e repleto de paz.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
  14. MUY TRISTE LO QUE ESTÁ PASANDO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  15. Um poema realista, retrata uma horrenda situação! Muito triste o que vem acontecendo, Toninho!
    Resta pedir a Deus socorro e justiça!! Ele é o Justo Juiz!...
    Um abraço neste sábado...

    ResponderExcluir
  16. Toninho, sem palavras, só repúdio eu sinto desses homens desse governo! Triteza sõ! Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Agora que tantos se juntam para preservar a blogosfera, eis que uma represa se solta num grito , deixando atrás de si angústia, miséria e sofrimento...
    Aqui, quase não se fala de tão grande e triste calamidade, Toninho!
    Oportuno o se alerta.
    Fraterno abraço!

    ResponderExcluir
  18. Boa noite, Toninho.
    Uma desgraça colocada em versos, infelizmente.
    Algo que poderia ter sido evitado, mas por causa de erro humano, descuido, não o foi.
    Assim, morre a Natureza, sofrem as pessoas, choram seus mortos e nada poderá trazer de volta nem um, nem outro.
    A Natureza, depois de muitos anos, poderá começar a dar algum sinal tímido de vida, mas nada como era antes!
    Uma calamidade, sem dúvida!
    Beijos na alma e lindo fim de semana de paz!

    ResponderExcluir
  19. Belos versos de uma realidade cruel que vai destruindo a natureza e nos tirando esperanças. bjs

    ResponderExcluir
  20. Triste e real o seu poema meu caro.

    Obrigada pela visita ao Palavras.

    grande abraço, sigamos com a triste realidade que vive a nossa Minas Gerais.

    ResponderExcluir
  21. Quanta melancolia neste seu poema. Não está fácil salvar o nosso planeta...
    Beijo.

    ResponderExcluir
  22. O maior descaso ambiental que vi no nosso país, Toninho. Junta-se a isso a irresponsabilidade, a ganância a podridão que se apresenta no Brasil. Não sei se dá para acreditar numa recuperação. Existe gente preocupada, mas os responsáveis não aparecem. Triste de se ver a flora, fauna e a gente próxima, atingida.
    Teu poema é um grito de tristeza. De sentimento.
    Bjus, amigo, obrigada pela tua presença muito querida prestigiando o meu blog.

    ResponderExcluir
  23. O seu triste lamento ecoa nesses vales lamacentos, nos lares destruídos, nos olhares dos meninos que brincavam no rio.
    Soube que muitos voluntários trabalharam para transportar os peixes para outros locais, mas não seria humanamente possível salvar todos. O que poucos destroem, muitos não conseguem reparar. Tristes, tristes acontecimentos, que tocam não só os brasileiros mas todos nós.
    Abraço, amigo.
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.