Páginas

domingo, 3 de setembro de 2017

Vi num cais.



Vê os barcos bem alinhados no cais,
vêm desejos de partida. Há emoção,
encontro furtivo na margem oposta
desesperança desencontros do amor.

Os movimentos das marés embalam,
barcos inertes alinhados ancorados,
na ilha da fantasia ânsia, corrosiva,
vem numa espera saudosa oxidada.

Há o olhar translúcido na distancia
a vasculhar pela silhueta feminina,
desde o sol nascente ate o por do Sol,
na espera inútil da mulher no barco.

Quando a noite enfim cobre a terra,
no peito solitário entoa uma canção,
vem lhe a imagem da bela Janaina,
sob luz do farol um barco aproxima.


Toninho
05/08/2017

*************************
Setembro feliz
para todos.

18 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Triste espera por Janaína.Linda poesia! Ótima semana! abração( esqueci de te avisar, mas tem conto teu no instantes aos domingos! Obrigadão! chica

    ResponderExcluir
  3. A triste espera, a esperança ainda que no peito e nos olhos que se perdem no horizonte. Lindo

    ResponderExcluir
  4. Uma espera ansiosa e sofrida... O amor tudo sofre e insiste... O poeta vê e sente multiplicadamente...
    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Sofrida a espera por Janaína, como em muitas coisas há o sofrimento, a espera, a angústia, a decepção. A vida é assim, com seus altos e baixos, seus amores e desamores. Nada dá a certeza que todos nós buscamos, sempre há uma pedra no caminho - lembrando Drummond.
    Belos versos, amigo Toninho, como sempre!

    'Quando a noite enfim cobre a terra,
    no peito solitário entoa uma canção,
    vem lhe a imagem da bela Janaina,
    sob luz do farol um barco aproxima.'

    Beijo e uma linda semana!

    ResponderExcluir
  6. Esperar, esperar.... sempre nos causa angústia, aflição, pois não sabemos se o que virá, trará felicidade ou não.
    Beleza de poetar e obrigada por estar sempre presente nos meus espaços e agora, marcando sua maravilhosa presença, no Brincadeiras de Poetas.
    Beijos e um setembro bem florido de inspiração na sua vida!

    ResponderExcluir
  7. Magnifico caro amigo Toninho ,uma espera que vive de saudades de tão belas recordações vivas num coração que sofre de ansiedade ,é sempre um enorme prazer aqui estar caro amigo ,desejo-lhe uma semana muito abençoada ,um abraço

    ResponderExcluir
  8. Meu muito amigo Toninho.
    Gostei de um modo especial deste poema...
    Adoro mar, barcos, maresia e viagens... teria sido uma ótima marinheira...
    Esperas saudosas... quem não as teve? Faz parte da vida e dá mais intensidade ao amor...
    Do Milton que me apresentou, só me presenteia com canções muito belas...
    Então, que Setembro afaste tristezas e traga a benção de encontros felizes e seus cantos vibrantes de louvor...
    Abraço, querido poeta.
    Paz e Bem.
    Beijos
    ~~~

    ResponderExcluir
  9. Tristes e belos versos...de um poeta, com tamanha sensibilidade, que é você, Toninho!
    Boa semana, um abraço,
    Valéria

    ResponderExcluir
  10. Um cais é sempre um local de chegadas e partidas e onde impera tanta vez a dor da saudade.
    Maravihhoso poema.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  11. Imaginar o momento em simultâneo com a sua escrita é perfeito!!!bj

    ResponderExcluir
  12. Olá amigo Toninho, o cais está muito bem defenido e penso que a senhora podia esperar seu esposo depois de um dia de faina, ou então de matar saudades do esposo que partiu e não mais voltou, lindo. Beijinhos e um forte e terno abraço , fique com Deus

    ResponderExcluir
  13. Toninho esqueci de perguntar,para quando a blogagem dos 140 caracteres? tem dia certo?
    Beijinhos e um forte abraço

    ResponderExcluir
  14. O caís suscita muitas emoções e o seu poema retrata muito bem a saudade. Bjs

    ResponderExcluir
  15. Meu amigo, fiquei encantada, ah o cais, belo, nostálgico, saudoso, adorei

    ResponderExcluir
  16. Um cais de chegadas e partidas. Uma maré de emoções.
    Muito belo!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Querido Toninho
    Gostei muito de ouvir a canção que aqui publicou.
    A imagem é linda!
    Quanto ao poema, devo dizer que «quem espera desespera», contudo, a sua inspiração oferece-nos sempre muito bons e emocionantes momentos de leitura. Obrigada.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderExcluir
  18. Um magnifico poema, onde as palavras fluem... ao sabor do mar, da emoção... e da inspiração!
    Como sempre... maravilhoso de ler!...
    Um grande abraço!
    Ana

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.