Páginas

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Monte Beatitudes


Debruçado sobre o campo o Monte Beatitudes assistiu as mais belas ações de amor do Pai aos seus filhos na terra com todas as Bem Aventuranças.

 
Monte Beatitudes.

















Vi os homens se humilhando peregrinando por um pouco de alimento um pedaço de pão.
Seus olhos lacrimejaram e no chão brotou um botão de trigo, que abundantemente floresceu por todo o campo dando sustento aquele povo sujeito a fome.

Vi os homens se lamentarem por causa de um trabalho, para sustentar suas famílias, e das suas mãos escorreu um liquido, transformando-se num lindo rio de águas límpidas de onde os homens puderam tirar sua alimentação e saciar sua sede.

Vi os homens se matando por causa de uma mulher, e logo de suas mãos o suor desceu em forma de larva queimando todo o chão onde eles pisavam e assim eles aprenderam a se respeitarem e se amarem.

Vi os homens tristes na busca de uma escola para seus filhos e no seu peito uma luz acendeu em forma de guia e iluminou aqueles homens os guiando pela estrada, que foi dar numa região, onde uma pobre bondosa senhora vivendo num simples casebre de palha e barro dedicava horas a ensinar as crianças pobres daquele lugar.

Vi os homens cortando arvores e mais arvores para aquecerem do frio, com os olhos tristes olhou se voltou para o Céu e fez-se o milagre das estações, para que o tempo tivesse alternância e eles pudessem viver na prevenção para condicionar o conforto nas adversidades.

Eu estava sobre o Monte Beatitudes e assisti a este processo da criação com os olhos maravilhados de tanta emoção na bondade do Senhor.
E disse:

Gloria a Vós Senhor no ápice de sua generosa bondade!

 












 Imagem Google

* Como o nome sugere, este é o monte sobre o qual é dito que Jesus pronunciou o “Sermão do Monte”. A posição da terra ao lado da igreja forma um anfiteatro natural inclinando-se até o lado do lago, portanto é mais provável que Jesus tenha ficado na parte inferior do monte, mas isso não diminui a beleza da igreja no seu cume. Fonte Google.

Inspirado num PPS enviado pela amiga Celina do blog “Será que fui eu?” para este momento de Páscoa que vivemos.
Obrigado amiga Celina. 

Uma Feliz Páscoa a todos os amigos e leitores principalmente ao amigo, irmão conterrâneo Cacá que passa por momentos de intranquilidade com doenças no seio familiar. Que Nosso Bom Deus o acalme  alimentando sua fé. Força amigo, estamos juntos na corrente desta fé, de que tudo passará.


Informação:

A origem da palavra Páscoa é hebraica. Vem de Pessach, que significa Passagem. Comemora um marco na história do povo judeu: a travessia do mar Vermelho ao se libertar de um longo período de escravidão no Egito. Com este sentido, a Páscoa foi instituída no ano 1513 a.C. Antes, a data era utilizada pelos povos que habitavam a bacia do Mediterrâneo para prestar sacrifícios de gratidão aos deuses pela colheita, que ocorria na primeira lua cheia da primavera. O sacrifício era chamado de "primícia" e, nele, se ofertava um pão de cevada com o primeiro cereal.
Com a crucificação e ressurreição de Jesus Cristo, a Páscoa ganhou um terceiro significado: a passagem da morte para a vida. Os cristãos utilizam a comemoração para relembrar a imolação do Filho de Deus, que com seu sacrifício livrou os homens dos pecados. A libertação, que para os judeus foi física, se tornou também espiritual.


Toninho
15/04/2011

quarta-feira, 13 de abril de 2011

A menina de olhos calmos.








Imagem do Cli-part Office 2007




A menina de olhos calmos.


Inesquecível aqueles olhinhos encantados
Que na inocência toda criança nos encanta
Perfeita simpatia brota em afetividade
Natural como coelho em cartola mágica
Ou como flores levadas no bico de passarinho.

Não esquecerei suave voz que alude
De uma fascinante sonoridade
Numa espécie de terna solicitude 
Sentimento envolvente de paternidade

Menina magia, um imã que atraia
junto dela a força que emana carinho
alisando meu rosto era minha calmaria
com toda sua especial graça de anjinho

E na viagem de meus olhos cansados
revivi minha saudosa infância
E vejo os dela assim tão animados
Imploro Deus vida em exuberância.

E quando um dia no reencontro
Aqueles olhos calmos de agora
Talvez já sem igual encanto
Mas vale a emoção de outrora.


Inspirado no olhar de uma criança e na afeição criada por mim, durante uma visita de amigos mineiros aos pontos turisticos de Salvador guiados por mim.
 

Toninho
01/04/2011