Páginas

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Badaladas em minhas memórias.








Igrejinha onde nasci.



Badaladas em minhas memórias.
 
Dobram os sinos da igrejinha, no alto da colina,
Ungem meus versos na benção das inspirações,
Que faz deste exercício zeloso, da fé que não rima
Verdade com facilidade, que possa criar ilusões,
Nos insurgentes dos ensinamentos do Criador.

Os versos que vem desta lembrança distante,
Que se nutrem de minha alegria de menino feliz,
Jamais saberia da minha saudade neste instante,
Em não ouvir as badaladas, dos sinos da matriz.

As minhas rimas com tantos ais dispersos,
Não ocultam minha oração na celebração,
Da procura solida de minha fé no universo,
Onde “O” encontro na festa da aclamação.

São nestes momentos sacrossantos de viver,
Que mais nos aproximam da mãe natureza.
Pois, que se tenha tanto amor neste querer,
Ele abençoa nossa inspiração com beleza.




Estou por este blog numa generosidade da Norma do Blog Pensandoemfamilia:

Toninho
18/06/2011.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Deixa-me sentir voce.










Imagem Google.



Deixa-me sentir você.


Deixa-me sentir na pele a suavidade,
Nas criciaas de minhas mãos ávidas,
de fazer deste instante a eternidade,
Que nos faça sonhar na vida impávida.

Deixa-me cantar a paz do amor,
Que faça embalar sonhos reais,
E adormeça em canto de louvor,
Que inspiro em versos celestiais.

Deixa-me beijar sua linda face,
No beijo que nos faça reacender,
Todos nossos desejos neste enlace,
Assim como o jardim no florescer.

Deixa-me sentir este sabor,
No doce saboroso fruto proibido,
Assim envolvidos em louco fervor,
Recobrar nossos dias perdidos.

Deixa-me com belos dias a sonhar,
Sair das trincheiras desta revolução.
Minha bandeira branca a tremular,
Na harmonia de minha inspiração.

************************************************
Bela interação da Ange, obrigado amiga.


"Deixa-me entrar aqui e voar...
Nesta fugidas horas que tenho nas mãos
Embalar-me nestes teus versos e prosas
E deixar-me levar nesta onda de emoção

Deixa-me esquecer o tic-tac
Dos ponteiros de um relógio em ação
Deixa-me esquecer que é madrugada
Deixa-me voar ao amanhecer nesta ilusão..."


Toninho.
13/06/2011