Páginas

sábado, 18 de agosto de 2012

Ebrio de perfume












Flamejarei encantado em versos ardentes.
Lavarei minh’alma entranhada da poesia,
Outrora furtiva nas entrelinhas que nasço
Recrio fantasias cicatrizadas pelas rimas
Desfeitas pelo amor como numa faxina.

Absoluto envolto em devaneios que canto,
Violam os poros, cala na boca ultimo beijo.
Instante que beija-flor beija a flor amarela,
Debruço na janela ao perfume da Nectarina.

Ainda que seja distante, tudo que invento.
Espera-se que as palavras nas frases soltas
Unifiquem pensamentos neste louco idílio,
Transporte as saudades como o colibri a flor.

Então envolvo na manta do anjo de flecha,
Atinja certeiro o alvo da esperança sólida.
Mergulhada em perfume de uma primavera.
Ostenta feliz o coração aberto como uma flor.
Toninho.
***********************************************************
Inspirada Calu, grato pela interação:
O idílio feito em versos,
do namoro do beija-flor,
exala perfume etéreo
d'alma da linda flor.
************************************************************

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Inverno









Pipa pelo Céu.
Vento forte presente_
Menino feliz.
*******************************************************************
 
 






Manhã nublada.
Ventania na praia_
Coqueiro cai.

*****************************************************************
  










Pétalas de vidro.
Madrugada com frio_
Flor orvalhada.

**********************************************************************
AVISOS:

1-Nunca solte pipa perto de rede elétrica.
2-Nunca use a mistura * Cerol que causa acidentes terríveis.
3-Evite estacionar debaixo de arvores em tempo de ventania.
4-Evite caminhadas em área arborizada em tempo de ventania.

* Cerol é o nome atribuído a uma mistura de cola com vidro moído (ou limalha de ferro) que é aplicado em linhas de papagaios, também conhecidos como pipas.

**************************************************************** 



 

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Os misterios da vida.








Foto Google.





Quando olho para o mar sinto energia.
Mas se olho para o céu vejo o clamor.
Quando olho para a serra sinto a magia,
Mas se olho para dentro vejo o amor.

Uma gota d’água que faz transbordar,
Quando se desprende desta imensidão,
Vêm alimentar rios e volta para o mar,
Mas umedece a terra na plantação.

Assim que vejo os mistérios da vida,
Nesta fusão da matéria na construção,
Mas que sabemos logo vai ser subtraída,
Para cumprir sua volta na nova missão.

Não busque em Dante o seu inferno,
Nem as origens que tanto entristece,
Pois sempre sente o carinho materno,
Então fecha os olhos como numa prece.

Toninho.
******************************************
Uma linda semana a todos voces.