Páginas

domingo, 20 de janeiro de 2019

De volta ao começo.



Uma inspiração para a imagem abaixo oferecida pela Lourdes em seu projeto Poetizando e encantando na 3ª edição . Na época estava impossibilitado de participar, mas salvei a imagem, que agora posto com minha inspiração. Convido a conhecer o filosofandonavidaproflourdes que de recesso, volta em Fevereiro. 


O menino corria pela terra trincada,
nos pés os dedos feridos pelos espinhos.
O menino zeloso daquela flor rosada,
a quem dedicava todos seus carinhos.

Todos os dias era dele a tarefa nobre,
aguar a flor e também as hortaliças
carregar na lata única água salobre,¹
que tirava da cacimba sem preguiça.²

O sol parecia, apiedar-se da roseira,
sempre a florir em todas as estações,
alivio dos olhos da seca sobre a leira,³
onde os sonhos se perdiam de ilusões.
  
Olhou para o Céu abriu-se no sorriso,
para um belo desfie de nuvens pretas.
A chuva milagrosa vê como um aviso.
Vida nova na roseira com borboletas.

Toninho
19/01/2019

Nota:

   1-    Salobre: água com um gosto de sal como a do mar.
   2-    cacimba: buraco que se cava para tirar água.
   3-    Leira: marcas do arado na terra onde se planta os grãos.


Grato pela
presença.
Feliz semana com 
paz.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Sob a poeira branca.


Dia de viajar na imagem da Mari em sua BC_#umaimagemem140caracteres de toda sexta-feira aqui no seu blog: devaneiosedesvarios, visite apoie participe. Abaixo venho com três olhares sobre a imagem, mas basta apenas um.


Olhar I
Depois daquela curva há uma casa,
onde morava minha mais querida vó.
Dali visualizava uma fumaça cinza,
A saudade que na garganta é um nó.

Olhar II
A estrada estreita levanta a poeira,
leva-me aonde moram minhas raízes.
Nesta volta ressurge sobremaneira,
velhas lembranças momentos felizes.

Olhar III
Para onde a estrada quer me levar,
deixando o rastro de poeira branca.
Mergulho no passado me faz olvidar,
amores e a saudade que não estanca.

Toninho
18/01/2019 


Desejo a todos
 um feliz fim de semana
 com paz e alegrias.

*************
*********
***

Hoje peço uma silenciosa oração seguida de palmas 
para a Chica e Kiko em bodas de Ouro.

Parabéns Chica e Kiko.
Deus cuida com carinho de vocês.

domingo, 13 de janeiro de 2019

Toque de borboleta.




Uma inspiração para uma imagem oferecida pela Lourdes na sua quarta edição do Poetizando e encantando quando eu ainda não participava, mas acompanhava os amigos. Enquanto ela de férias, vou aqui participando das quatro primeiras, que estive ausente. Conheça o blog dela aqui: filosofandonavidaproflourdes


Quando o dia embrutece a tarde alivia,
como escape fica em meditação no mar.
São minutos que se arrastam pela praia,
sempre no mesmo ponto está a meditar.

Sente-se embevecido com todo sol poente,
naquela bela fusão de cores de encantar.
Foram tantos os momentos ali presente,
que se tornou o compromisso este voltar.

Mas foi numa tarde de rigoroso inverno,
com ondas que vestiam as pedras pretas,
soprava do mar delicioso vento galerno, ¹
que sentira um suave toque de borboleta.

Nada se viu naquele instante de emoção,
mas o certo, é que o céptico, se fez crente,
o som da Ave Maria tocara seu coração,
Hoje liberto, senta-se ali como penitente.

Toninho
13/01/2019

Nota:
1-    Galerno: Vento brando do Nordeste.

**********************************************************


 Semana feliz para você.
Grato
****************
Nossas felicitações à amiga 
Verena.


sábado, 5 de janeiro de 2019

Preciosidade.


 Hoje é dia da BC_botando a cabeça para funcionar da chicabrincadepoesia que para hoje trouxe bela imagem do blog da amiga MZ de além-mar, onde cada imagem vem como poesia. Aliás nossos amigos de Portugal são Expert em fotografias inspiradoras no retratar as belezas de lá. Vejam: Afectos e duvidas É sempre bonito isto de levar os amigos a outros blogs para que se encantem. Com a imagem abaixo crie livremente.



Quando olho para este mar,
vejo meu Deus com sua luz.
Neste vai e vem sem parar,
há uma brisa leve que seduz.

Donde vem toda esta água,
que deságua infinitamente?
Em mim retira toda mágoa
no mergulhar simplesmente.

Porque matam tantos rios,
antes de verem o Atlântico?
São valas secas com desvios,
do ganancioso vil despótico.

Oh, Deus! Pai da natureza,
Tende piedade da sociedade.
Jorre sobre ela toda clareza,
ver na água a preciosidade.


Toninho
05/12/2019 

Grato sempre.