Páginas

domingo, 31 de dezembro de 2017

Voar entre estações.



Minhas asas me levam para o infinito,
onde encontro as minhas boas emoções,
no tempo que faz do amor mais bonito,
como uma voz que soa numas canções.

Voo como uma águia em sua mutação,
sabedora dos tempos de recolhimento,
naquele isolamento que faz reparação,
para seu retorno livre dos sofrimentos.

Sinto no ar sintomas da nova estação,
que vem com calor de forma colorida,
onde pouso de volta com meu coração
eufórico com esperanças de nova vida.

Meus planos de voos vêm como magia,
numa tarde com mais lindo sol poente,
deixo minhas asas livres na travessia,
sobre escombros como o raio reluzente.


Toninho
31/12/2017 
Uma leve pausa.
Foto gentilmente cedido pela Lis Costa 

Chegamos ao fim da viagem. Da janela do trem pude visualizar verdes campos floridos, revi cada estação. Em cada plataforma senti alegria em ver os amigos que entraram e fizeram da viagem a mais linda. É certo, que vem comigo uma tristeza de algumas perdas, amigos que desceram numa estação e não voltarão. Mas fica minha gratidão para com eles e vocês neste nosso  desembarque na ultima estação Dezembro. Mas muitos, já estão na a postos na plataforma, para outra viagem. O trem esta chegando, sinto o cheiro da fumaça e ouço o apito na curva. Vamos juntos mais uma vez. 


Feliz Ano Novo no fazer e ser o novo.