Páginas

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Amor à liberdade.



I
A voejar tonta aterrissou na mão.
O vento soprou sobre a asa ferida,
acreditou na liberdade e partiu.
Que bom ser como borboleta.
Livre e Voar.


II
Sonhamos com a tal liberdade
mas vivemos com asas presas.
Encasulados nos acomodamos,
naquela vil zona de conforto,
que faz a inércia humana.

III
Já corri mundo para te aprisionar.
Hoje por ironia pousas em minha mão.
Como podes ver, já nem corro mais.
Mas tu tens asas, voe pelo infinito.

Toninho
24/02/2018

Minha participação no projeto #umaimagemem140caracteres da Mari em devaneiosedesvarios, Depois que conheci numa mais deixei de participar, vamos lá ver outras leituras.

A beleza de uma imagem nos provoca a fazer alem do esperado, por isso as vezes participo como mais de uma leitura. E a liberdade que tanto sonhamos é tão complexa e profunda que a sensação de sua existência nos basta e estamos errados. 

Fim de semana
feliz com paz