Páginas

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Outono meu.

















Vejo um monte de flores pelo solo,
lembro bem os outonos onde vivi.
Pelos belos momentos que imploro,
vejo flores e espinhos onde me feri.

De longe muito longe ouço um som,
com o embevecimento de meu ser,
vem pelo vento sinto-me no frisson,
revi fotos, senti perfume no querer.

Meus quereres ocultos reprimidos,
que os levo penitente neste viver,
posso ser por eles mesmos remido,
neste outono vem me surpreender.

Fico no meu ponto com este sonho,
onde viver é correr todos os riscos,
mesmo que me inspire no tristonho,
Seguirei o Outono como um corisco.

Toninho
30/04/2018


Nota: 

Inspiração para o desafio de compor sem a letra A ,feito pela amiga poetisa Diná do blog Pensando e criando aqui: preenchendootempo.blogspot participe, pode ser frases ou quadras.