Páginas

sábado, 10 de agosto de 2019

Menino determinação.






Pensando em família é o blog de nossa amiga terapeuta Norma está de festa em completar 12 anos e somos convidados a participar com uma proposta.
Voltar à puberdade e de lá trazer uma imagem, uma palavra que nos marcou.
Minha imagem é um menino livre, esperto dentro de suas calças curtas e a palavra que define este menino é Determinação. Com estes dados inspiro minha participação abaixo.

Confira os participantes aqui: pensandoemfamilia


Menino determinação.

Mentalizo o menino de calças curtas, mas sempre com bolsos, era exigência do menino, onde guardava suas bolinhas de gudes e às vezes algumas moedas, que usava para comprar pé de moleque de dona Alexandrina, que tinha a arte de faze-los assim como pasteis e pudim de pão velho e os picolés de Tonico Correia. Era o Menino de feliz idade.


Vejo o menino livre e feliz pelas ruas de pedras da vila operaria da Vale do Rio Doce, onde se sentia o dono, o rei da rua. O dia era grande e rolava sob seus pés descalços, seja de dia ou de noite com seus vizinhos amigos, onde brincar era o máximo, não existia televisão nas casas, exceto na casa de um senhor, que as vezes deixavam os meninos assistirem do alpendre da casa. Os meninos gostavam mesmo era da rua e de algumas aventuras no pequeno rio, que passava pela fazenda do poeta Carlos Drummond, onde um pomar rico em frutas era tentação dos meninos.

Posso ver claramente o menino feliz a caminho do grupo escolar, depois na escola de preparação para os exames do SENAI da Vale, onde receberia metade do salário mínimo para aprender uma profissão. Meninos que cedo perdiam a adolescência, mas que era alegria para os país, pois seria um passo para a Vale. Nascia ali o menino determinação, dedicação total nas lições. Ainda tinha aulas particulares com um expedicionário, famoso matemático. Gostava de ouvir suas façanhas em Monte Castelo. Hoje sei que era neurótico pois mudava de humor no meio de suas histórias.

Menino da vila era assim, influenciado a ser como os pais e irmãos trabalhando na empresa, usando aquela farda brim caqui. Assim o menino determinação ingressou na Vale após conclusão do SENAI. Primeiro sonho realizado, ainda em sua determinação, atingiu a maioridade. Sentiu necessidade de dar asas à sua vocação profissional, ser engenheiro da Vale. Para tal deixou a Vale e seu interior. Voou para a capital o menino determinação levando na mochila o menino feliz e leve enfrentar os vestibulares de uma universidade. Mas aí já é outra história da juventude determinada. Mas o menino de calças curtas e do SENAI ficou tatuado para sempre em sua vida. Assim foi forjado em aço forte o menino caracterizado pela determinação.



Toninho
07/08/2019


SENAI – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial na cidade de Itabira fora mantido pela Vale uma parceria para formar mão de obra direta para suas necessidades e assim promover o profissionalismo dos filhos de seus operários.
Cia Vale do Rio Doce, empresa criada pelo governo de Getúlio Vargas com capital americano, para exploração de minério de ferro no Pico do Cauê e transportado até o porto de Tubarão na cidade de Vitoria- Espirito Santo.



Parabéns aos pais presentes 
os ausente que permanecem
na memoria e historia de 
cada um.

******************
Força Diná.
Força Zizi
estamos com vocês.



sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Um trem para o mar.


 

Poetizando e encantando nosso projeto de espalhar poesia pela blogosfera, idealizado e gerido pela amiga Lourdes em seu blog de mesmo nome. Vamos incentivar com leituras e participações, já estamos na edição 92 e logo chegaremos à 100. Meus parabéns à Lourdes e participantes e agora vamos ver quem está neste trem para mais uma viagem por poesias aqui: filosofandonavida e para vocês minha participação abaixo com minha escolha, que não poderia ser outra ao ver os trilhos de uma estrada de ferro. Vamos lá. Coisa da mineirice.


Um trem para o mar.


Ah, como punge esta tal saudade,
que range nas trilhas do coração.
Há o apitar direto na infinidade,
na busca insana de uma estação.

A estrada que me leva a sonhar,
margeia os meus rios sonolentos,
que jamais poderão o mar amar.
Dói ter, que ver peixes sedentos.

Mas a estrada segue seu destino,
chegar ao mar é o compromisso.
O trem vai no seu moto contino,
sinto a maresia no trem remisso.   

Na última curva toca a buzina,
as imagens são lentas na janela.
Ver o mar sob o Sol me alucina,
belo pôr do sol na tarde tão bela.


Toninho
09/08/2019


A todos os pais o meu respeito e carinho bem como as mães, que "guerreiramente" exercem a dupla função. Um feliz dia dos Pais.



Para os pais de sua vida.