Páginas

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Qual a sua?

“Ninguém sabe a mágoa que trago no peito
Quem me ver sorrir desse jeito
Nem se quer sabe a minha solidão. ”   (Benito de Paula)                             










imagem google



Observo achando engraçada esta coisa da casca, da embalagem. A pressão da imagem sobre a essência. Verdades se ocultam atrás de um sorriso verdades debaixo de uma maquiagem. Assim temos frutos mais bonitos e menos saborosos. Flores mais coloridas mas sem vida. Pessoas mais lindas, mas vazias como rio que secou e seu leito virou estrada de pedregulhos, o vazio.

Há um perfume exagerado espalhado pelo ar a nos embriagar e querer encobrir  toda a podridão que se alastra por todo o seio da sociedade. Perfuma-se demais e se deteriora na alma e nas relações com os semelhantes.O sorriso uma mascara para o vazio, para as terríveis decepções, frustrações, numa sociedade com o exercício devastador as leis do mais querer e do ter. 

Perde-se o senso de responsabilidade e de compromisso com o mais importante de cada ser é assim vemos pessoas sorrindo, mas pessoas tristes excludentes, espalhando todo tipo de preconceitos e fobias.

Onde vai parar esta corrida desenfreada?
Pessoas se perdem, não conseguem ver um palmo ao seu lado, que seja em direção ao irmão. Viver o mundo do individual no olhar perdido no próprio umbigo ornado com piercing de aço, a fazer parceira com o coração de ferro.

Clamamos um mundo de pessoas fraternas irmanadas no objetivo comum do bem estar. É o mais lindo dos sonhos, que alimentam o motor, que cremos poderá mudar os rumos de nossa sociedade degradada por estes sentimentos de exclusão, por sentimentos de imagem.


Beleza pode ser fundamental, mas que será dela sem a força que faz pensar, criar?


Toninhobira.
17/11/2010.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Desafio dos Sete


Muito dificil falar de si.
Atendendo a um convite da querida Celina do blog:

7 coisas que pretendo fazer antes de morrer:

Gostaria de ver meu filho formado e em ação.
Gostaria de ver minha mãe completando 100 anos em saúde e paz.
Gostaria de ver meus textos numa publicação.
Gostaria de saber do fim da violência nas ruas.
Gostaria de morar numa cidade pequena em uma casa com quintal.
Viajar pelos estados brasileiros que não conheço.
Participar de ação social em uma creche ou instituto de ajuda a criança pobre e ou especiais.

7 coisas que mais digo

Deus te proteja.
É assim mesmo.
Vai dar certo
Bom dia.
Eu penso diferente
O que vamos almoçar amanha?
Isto também passará.

 7 coisas que faço bem

Manutenção elétrica em geral principalmente residencial.
Dirigir veículos.
Apoio moral
Galinha caipira com quiabo (gastronomia mineira)
Vaca atolada (costela bovina e mandioca)
Fazer amizade
Jogar baralho (buraco) e truco.


7 defeitos meus

Teimosia
Tabagismo
Timidez (de primeiro contato)
Raiva
Estabanado nos atos.
Indecisão
Não chorar

7 coisas que amo

Minha família.
Ouvir musica
Ler
Dirigir em estradas.
Meus amigos
Viajar
Ficar de frente para o mar

7 qualidades minhas

Respeito
Sinceridade
Paciência
Solidariedade
Esperança
Tolerância
Generosidade

7 amigos para participarem desse desafio

Prefiro também deixar em aberto para os leitores.

Toninhobira
24/11/2010.

domingo, 21 de novembro de 2010

Sob o fogo da paixão


















O sangue que acelera, no corpo a espera
No lindo processo da vontade de amar
Que inunda de perfume pela sede do amor
No corpo que se impregna na noite que se entrega.

Cheiro de amor se espalha pelo ar.
A temperatura que sobe, bocas se oferecem
Na brisa que sopra em corpos que se aquecem
Lenta a mente se envolve na ânsia de se dar

Em pernas tremulas dos passos errôneos
Num longo e confortável abraço
No enlace que tudo imagina, se alucina
E sorve da doce bebida que rola no seu regaço

Perdidos na noite amar se cegar ao prazer.
Fogo fátuo entrega de corpos febris
Da força alucinante em momentos sensuais
Extasiados em loucas entregas de carícias sutis.

No ápice da respiração ofega excitante
Da mão que à boca sufoca um grito
Calado num molhado beijo estonteante
Sente a felicidade do amor infinito.

Que nunca se cale este amor
Mas no amor às vezes é assim.
Viver a alegria da festa no torpor
Calar na solidão do doce no seu fim.




Toninhobira.
16/11/2010.