Páginas

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Um apito solto no ar.










Imagem Google




Passado alguns anos, numa manhã de Agosto, acordei mais cedo e preparava meu café, quando ouvi um barulho vindo do sótão. Pensando se tratar de algum gato, fiz um chamado tradicional bichim... bichim. , mas como resposta, apenas risos do meu pai, saindo do sótão com uma caixa de sapato escurecida pela fumaça do fogão à lenha da casa. Após lhe pedir a benção como tradição mineira, quis saber, por que ele tinha ido ao sótão naquela hora do dia. Mas ele apenas falou que estava à procura de uns papeis antigos. Tomamos café juntos e cada um foi para sua rotina. 

Durante o dia no escritório, lembrava da manhã com meu pai saindo do sótão, e pensava como velho tem manias, que a gente nunca entende. Aquilo ficou martelando na minha mente, pois fazia tempo que ele não subia por lá. Quando voltei do trabalho, minha mãe relatou que o pai passou varias horas no quintal, remexendo na caixa velha de sapato e que ela vez ou outra, ouvia um apito vindo do quintal, mas que não identificava e ele sempre afirmava, não ter ouvido nada e que ela minha mãe, deveria estar ficando maluca.

No dia seguinte uma ligação urgente vinda de minha residência, o que me preocupou, vez que isto não era comum na família. Rapidamente segui para a sala e ao ouvir a voz de minha mãe, senti que algo não estava bem, em meio a um choro ela dizia, que o pai tinha saído de casa após minha saída, que tinha tirado algo da tal caixa e que não tinha voltado para o almoço como de costume. Sai pelas ruas com a cabeça pensando mil asneiras. Veio a lembrança do pai remexendo na caixa e pensei que ele poderia ter cometido um suicídio, de tanto esperar o tal aumento da Previdência, que ele aguardava por mais de 10 anos. Mas, não constava que o pai, tivesse arma em casa, muito menos naquele sótão. Lembrei de passar pela estação, onde ele sempre voltava para ver os trens de ferro e conversar com velhos amigos.

Ao aproximar da estação, ouvi um apito que não cessava como se estivesse na boca de criança em dia de festa. Quanto mais aproximava, mais era audível. Quando cheguei ao muro da estação, avistei pessoas olhando para a via férrea, levei um susto, mas de longe vi meu pai, com um apito brilhante na boca e soprando e acenando com as mãos para os trens que vinham em manobras. Um funcionário logo me disse que meu pai invadira a pista com o apito e não reconhecia ninguém. Corri até ele, o abracei retirando dos trilhos. Ele me olhou deixou cair uma lagrima e afirmou que apenas queria mostrar que estava vivo e podia comandar as manobras dos trens, mas que não estava louco. 

No outro dia bem cedo, peguei o trem com ele e minha mãe e fomos para a capital onde ele fez vários exames comprovando sua sanidade mental. Que fora apenas uma crise emocional pela perda do irmão. Ele tirou do bolso o apito amarrado a um broche de Honra ao Mérito ao sair da clinica e falou que aquele apito atado ao broche, o acompanhava deste o dia da morte do irmão numa manobra naquela estação e que fora lhe dado como lembrança, mas o seu pai, meu avô, o havia escondido nesta caixa de sapato, para evitar lembranças emotivas, mas ao rever os objetos naquela manhã um filme passou na sua mente lhe empurrando para aquela estação. 

De repente um sorriso abriu em seu rosto era o trem que chegava à estação para nossa viagem de volta.

E hoje para evitar alguma recaída, o apito atado ao broche fica com a mãe.

Toninho

21/09/2011



Participação em  http://escritoslinguagemnocorpo.blogspot.com/  no Exercicio: uma caixa de sapato contendo vários objetos, que permanecia guardada no sótão.

Aí baixou esta coisa desta minha minerice e os trens que povoam meus olhos ouvidos e boca e que apitam no meu peito fez isto.

33 comentários:

  1. Que a Paz e o Amor estejam
    sempre presente em sua vida Sinta o que você diz.
    Com carinho diz o que você pensa.
    Com esperança pense no que você faz
    para ser feliz e fazer as pessoas a sua volta feliz.
    com fé faça o que você deve fazer
    com esse carinho que tem no seu coração.
    Eu ganho força,coragem e confiança.
    E me sinto bem Através de cada mensagem
    que VOCÊ deixa no meu blog.
    Continue me abençoando com seu carinho
    Com muito amor agradecerei cada uma delas.
    Hoje tem aniversário do filho de uma amiga poetisa.
    venha parabeniza-lo .
    A união é tão gostoso não é mesmo?
    Uma semana linda encantada e acima de tudo abençoada.
    Beijos no coração.
    Evanir.
    Na próxima postagem vou falar como anda minha vida.
    Meu Amigo Nota Mil.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite meu amigo...que historia emocionante...pena que meu marido nao sabe ler o portugues...como nosso coracao e fraco ne...depois de tempos as emocoes ainda afloram com os recordos tristes.um abraco p vc Toninho nessa noite de setembro.obrigada pelos votos.Bju.Lu.PS:vc ja ouviu?o malware entrou nos nosos blogs atraves do contador de visitas,talvez seja bom vc tirar o seu ate melhorar a net...

    ResponderExcluir
  3. Uma história muito sensível.
    Sempre as lembranças a nos desencadear doces recordações...
    Gosto dos seus causos.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Puxa,Toninho!Que imaginação .Belo exercício, muito inspirado.

    Deu pra sofrer junto e depois sentir o alívio... abração,chica

    ResponderExcluir
  5. Alma sensível produz uma rica história, sem dúvida!

    Essa caixa mágica revelou tua imaginação num crescente das misturas emocionais...ficou muito legal!!

    Uma ótima semana, beijo terno!

    ResponderExcluir
  6. Amigo toninho bela historia..que imaginação essa caixinha mágica..!!! bacana..
    gostei do final..
    abraço grande e forte nesse amigo mineiro conterâneo..
    titi

    ResponderExcluir
  7. Ô coração mineiro!
    Minha mãe também é mineira e tem muitas estórias assim de família.
    O legal é quando a pessoa tem a veia literária e sabe contar as coisas de um jeito que nos prende e fascina.
    um grande abraço carioca

    ResponderExcluir
  8. Toninho, gratificante passear nesse texto.
    Amei, o rumo que ele tomou.
    Muito lindo!

    Beijinho amado.
    Fernanda

    ResponderExcluir
  9. Oi toninho tudo de bom para vc. que historia mais interessante . nos chama atenção do começo ao fim, nos deixa curiosa para sabermos o desfecho,os cuidados o carinho a viagem de trem para a capital, a felicidade do regresso, tudo Toninho faz parte tambem das nossas memorias,onde acontecem coisas quase iguais, depois do susto a felicidade de passar para a posteridade, reminicencias que enche os nossoa olhos dágua.Um abraço carinhoso Celina.

    ResponderExcluir
  10. Que linda história Toninho
    Vai tomando uma dimensão inimaginável de adivinhar
    o desfecho. A caixa de sapato guarda infinidade de recordações que mesmo insano ou não ,às vezes nos convida a revivê-las

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  11. "Todos os dias é um vai-e-vem
    A vida se repete na estação
    Tem gente que chega pra ficar
    Tem gente que vai pra nunca mais
    Tem gente que vem e quer voltar
    Tem gente que vai e quer ficar
    Tem gente que veio só olhar
    Tem gente a sorrir e a chorar
    E assim, chegar e partir

    São só dois lados
    Da mesma viagem
    O trem que chega
    É o mesmo trem da partida
    A hora do encontro
    É também de despedida
    A plataforma dessa estação
    É a vida desse meu lugar"


    Você reinventou uma saudade de uma forma tão viva que chega a emocionar. Que coisa linda, meu amigo!

    Abraço grande. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  12. Oi Toninho, emocionante te ler, e qualquer um pode passar pela mesma situação, tem coisas que marcam mesmo.
    Eu sou fã desses causos, quanto ensinamento tiramos, sem contar que viajo junto no decorrer das palavras rsss
    Beijos e lindo dia pra ti!

    ResponderExcluir
  13. Meu querido amigo hoje não venho comentar porque já cá vim duas vezes e não tive resposta.
    Meu querido será que está zangado comigo?
    Me desculpa o atrvemento mas eu jamais quero perder uma amizade mes sendo ela virtual, beijinhos de luz paz e muito amor...

    ResponderExcluir
  14. Olá sua história de família criiou alma e nos toca pela sua habilidade literária, mas não pude deixar de ter o olhar da tterapeuta que você neste ato do seu pai a possibilidade de libertação emocional através do broche escondido a sete chaves.
    Estou tento alguns problemas na atualiazação dos meus posts nos blogs amigos. Fico triste pois estou perdendo os comentários que tanto prezo.
    bjs

    ResponderExcluir
  15. OI Toninho, vim te deixar um beijinho.

    Com carinho.
    Fernanda

    ResponderExcluir
  16. Querido amigo Toninho!
    Que emocionante história vc nos relata!

    Gostei como sempre, suas histórias tem coisas lindas de um passado que sinto saudade, como o trem!


    Um abraço grande.

    ResponderExcluir
  17. Que história mais emocionante meu querido...que coisa... como determinados objetos, como um apito, no caso, não um simples apito, mas um tão significativo, pode fazer emergir tantas lembranças... adorei ler...
    Boa tarde amigo...beijinhos...
    Valéria

    ResponderExcluir
  18. Oh, meu querido amigo, que história linda , emocionante e triste...toca na alma, no coração...só mesmo um alma de poeta para descrever uma lembrança de um modo tão lírico e comovente...

    Lindo demais...
    Um grande beijo com saudades...
    Liz

    ResponderExcluir
  19. Linda história, Toninho!
    Os sótãos escondem preciosidades dos tempos idos. Lembranças tristes e alegres.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Boa noite, querido amigo Toninho.

    Ai, menino!! Quanta emoção...
    Parece um filme triste. Nossa... Chorei, chorei.

    (O trem de ferro já é por si só, nostálgico para muitos. Meu pai trabalhou na Central do Brasil).

    Ainda mais, o desfecho desse episódio na sua família, ah...

    Que Deus acalente o coração do seu pai, e o proteja. Imagino a dor dele, e a dor, e preocupação de todos vocês.

    Que a misericórdia divina ampare a sua mãe, ele, você, e todos.

    (Amigo, muito obrigada pelo lindo comentário).

    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Meu querido amigo

    A vida é feita dessas recordações que sempre que as lembramos despertam um sorriso doce.
    Adorei como sempre e deixo um beijinho com carinho.
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  22. Que delícia de texto! Quando cheguei na parte da ligação urgente, apavorada com família como sou, já imaginei uma desgraça (rss). Felizmente, o caminho foi outro. Objetos ligados a momentos impactantes podem provocar imprevisíveis reações, realmente.
    Amei sua visita! Os blogs proporcionam essa integração, quando um amigo menciona alguém que ainda não conhecemos. Isso é um presente.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  23. que história !!!
    confesso que não gosto de relembrar recordações que machucam , só das boas, em casa todos temos o costume de tomar a benção de nosso pai e de nossa mãe, e somos todos paulista, e isso nos tempos modernos é tão difícil né! amei a historia um belo dia Toninho.

    ResponderExcluir
  24. Bom alvorecer !
    Depois que o bicho(vírus) se instalou no meu blog,me fechei e só hj que estou abrindo com uma postagem linda e emocionante.
    Te convido a ir lá,depois passarei por aqui para fazer meu comentário...Tenha um dia fenomenal e de muita luz...
    Grata pela amizade...Particularmente estava com saudades de viajar nesse universo,junto com vcs...por amar demais(sonhadora)todos.
    Bjs para aquecer teu dia!

    ResponderExcluir
  25. Estou aqui para ficar, Toninho! Gostei muito! Você me conquistou por um comentário no blog da Liene. Meu abraço!

    ResponderExcluir
  26. Belos sentimentos meu amigo, bela historia, passagens marcantes da vida que sempre ficam guardadas na memória...abraços de bom dia pra ti.

    ResponderExcluir
  27. Bom dia,Toninho!!

    Nossa meu amigo!!Tem certeza que não aconteceu de verdade??!Amei seu conto, impressionante tua inspiração!! Além de parecer muito verdadeiro, é uma história cheia de bons sentimentos e emoção!!
    Linda participação!!Parabéns!!
    Beijos pra ti meu amigo iluminado!!

    ResponderExcluir
  28. Toninho,baixou e nos encantou com sua belíssima história!Bem ao jeito mineiro!Amei a musica de fundo que colocou!Combinou com a história tb!Bjs,

    ResponderExcluir
  29. Toninho, ATENÇÃO!

    O BLOG DA NOSSA AMIGA VILMA PIVA ESTÁ INFECTADO POR UM VÍRUS ADQUIRIDO EM OUTRO BLOG DE NOME: gemariosampaio.blogspot.com

    QUEM PUDER FAZER CONTATO SEGURO COM A VILMA, FAVOR ALERTÁ-LA, CASO ELA NÃO SAIBA AINDA.

    GRATA.

    BEIJOS.

    ResponderExcluir
  30. Bom dia!

    Que seu dia seja de paz, de sorrisos e de muitas bênçãos, e que você possa sentir a presença de Deus aonde quer que vá.

    “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós”. (I Pedro 5:7)

    Deus seja contigo!

    Blog Yehi Or!
    http://hajalluz.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  31. Completamente emotiva termino de ler esse teu "conto-real" na dúvida de em qual das opções o situo, mas com a certeza, de que ele se encaixa com perfeição na qualidade de envolvente relato dum episódio carregado de sensibilidade e amor incondicional.
    Brilhante amigo Toninho!
    Tuas histórias, em verso e em prosa, me encantam.
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  32. Olá Toninho.

    É muito bom ler um texto como este. Obrigado pelo seu comentário no meu blog.

    Um abraço, paz e bem

    ResponderExcluir
  33. Olá meu amigo Toninho,

    Não estou conseguindo comentar em outros blogs,então aproveitei para fazer uma visita e um teste.

    Um abraço, paz e bem

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.