Páginas

sábado, 5 de novembro de 2011

Olhando a noite.










Desce lentamente a noite sobre o dia,
sinto a presença da Dama da noite,
trama da saudade, que vem como açoite.
no ar, estranho perfume que me extasia.

Noite. Livrai-me desta sinestesia
do perfume, que amarga meus sonhos,
com negra venda de olhos tristonhos,
quando este manto cobre todo o dia.

Cicatrizai, pois esta desordem da mente,
Com tormentos terríveis neste poente,
Que fazem da noite este mar de agonia...

Mas mesmo que se pense viver contente,
vêm estes meus sentimentos em corrente,
acomodam-se nos olhos na indelével ironia.


Toninho.
30/10/2011

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Haikais II





Troncos pretinhos.
Minas Gerais com chuva_
Jabuticabas lindas.



 



Córrego limpo.
Peixes em reprodução_
Pescador feliz.









Praias livres.
Águas marinhas limpas_
Emissário pronto.



**********************************************************
 Confesso minha adoração pelas jabuticabas 
e aqui distante delas dá vontade de comer a foto rsrs.
Não é comum na Bahia/capital.
***********************************************************
Bela interação da Elisa do http://pintandohaikai.blogspot.com/
"Última tarde
em baixo do pé
jabuticabando"

***********************************************************
Sintam a sutil sensibilidade da Celedian: http://sutilezasdaalmaemente.blogspot.com/
CICLOS
Concentram-se todas as cores
no branco neve das flores
no fruto em verde esperança
os belos sabores maturando
no negrume que vem ostentando
o pé de jabuticabas maduras
gosto guardado na lembrança

********************************************

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Finados




Saudade em flor.
Chuva fina que rega_
Dia dos mortos.









 Pensamento:
"Infelizmente, o que vem sem ser chamado é o destino ao qual ninguém pode escapar. Coragem e sintam nossa dor unida à vossa." ( Martha Toffolo )



A todos aqueles que neste dia sentem uma saudade ainda mais acelerada.
Hoje em especial ao nosso amigo Jose Claudio " Cacá", pela recente viagem do pai para o outro plano.


Fotos do Google.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Homenagem ao Drummond

 É melhor deixar que ele fale dele e do sentimento do mundo.
 












Confidência do itabirano 


Alguns anos vivi em Itabira.
Principalmente nasci em Itabira.
Por isso sou triste, orgulhoso: de ferro.
Noventa por cento de ferro nas calçadas.
Oitenta por cento de ferro nas almas.
E esse alheamento do que na vida é porosidade e
comunicação.


A vontade de amar, que me paralisa o trabalho,
vem de Itabira, de suas noites brancas, sem mulheres e sem horizontes.
E o hábito de sofrer, que tanto me diverte,
é doce herança itabirana.

De Itabira trouxe prendas que ora te ofereço:
este São Benedito do velho santeiro Alfredo Duval;
este couro de anta, estendido no sofá da sala de visitas;
este orgulho, esta cabeça baixa...

Tive ouro, tive gado, tive fazendas.
Hoje sou funcionário público.
Itabira é apenas uma fotografia na parede.
Mas como dói!

Carlos Drummond de Andrade.(Sentimento do mundo).



Hoje o poeta completaria 109 anos.
Em nossa Itabira é dia festa assim como em outras cidades.










Fotos proprias numa de minhas voltas à saudosa querida Itabira.