Páginas

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

De onde vem esta saudade?








Imagem Google




Às vezes sinto uma saudade,
Quando pelas noites de luar,
A vagar pelas ruas da cidade,
Com lembranças a me vigiar.

Ao longe ouço umas canções,
Como de Mozart um réquiem,
Para o corpo vazio de ilusões,
Com frios lábios que sorriem.

Sinto da lamina o frio do fio,
E pelas ruas gotejo lagrimas,
Que se misturam ao suplicio,
Desta saudade já tão intima.

A saudade que agora sinto,
Vem sem o cheiro de jardim,
Na mutação pelo Absinto,
Entorpece a noite por fim.

Como do Arlequim a sorrir,
Aos olhos ávidos de prazer,
Com seu sorriso a esculpir,
Sua mascara de sobreviver.

E sigo por estas ruas desertas
Numa madrugada de sereno,
Com minhas feridas abertas,
Da varanda a mão no aceno.

Toninho.
*********************************************
Da série apenas uma inspiração.
*********************************************


segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Milho aos pombos.













Como prefeito incentivou  o extermínio dos pombos nas praças.
Após impeachment fora abandonado pela família e amigos.
Agora vive nas praças como um mendigo. 
Companhia?

Toninho.

Foto inspiradora colhida no blog da amiga Jana Cruz:  Grato amiga Jana.

 http://esferografia.blogspot.com.br/
********************************************************