Páginas

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Longa espera.



Longa espera.

Debaixo de uma árvore frondosa,
Longa é a espera nesta sinestesia.
As horas que se arrastam morosas,
No gosto amargo da manhã vazia.

Na copa um canário pia e canta,
Um canto melodioso com ternura,
Faz desta espera uma hora santa,
Que alivia minha alma na longura.

Vêm alguns raios solares teimosos,
Desvirginando a manhã invernal,
Criam fachos dourado harmoniosos,
Nesta manhã do encontro especial.

No silencio do canário ouço silente,
O tic-tac de toda minha ansiedade,
Como quem suspira ansiosamente,
No sufoco que vem de uma saudade.

Assim embevecido nesta eufonia,
Os olhos vagueiam na vã procura.
Longe uma silhueta sai da inércia,
Para concretizar minha ventura.

Toninho
06/07/2013



terça-feira, 9 de julho de 2013

O amor pede socorro.

O amor sempre esteve em alta, apesar de todos os desencontros pela vida, que faz com que os corações sejam despedaçados nas relações. O relacionamento entre pessoas remonta a criação do mundo na sua formação, como preservação da espécie e sua multiplicação.

Desde então o ato de cortejar, namorar vem passando por mutações ao longo da historia da humanidade. O amor sempre sobrepôs às mazelas comuns aos seres humanos. No estudo das mitologias podemos encontrar inúmeros casos de relações não permitidas e com final trágico, seja por motivos sociais, raciais e preconceitos, que ainda hoje inspiram atores e companhias da dramatização. Mas o amor permanece como o grande sentimento da humanidade.

Hoje vivemos num mundo onde a violência impera, onde a serpente da desconfiança desliza entre as relações, podemos sentir, que o amor ainda aqui se faz presente com suas garras afiadas para vencê-la. Diante desta confirmação é que não se entende como ainda se mata tanto em nome do amor, pois que o amor é sinônimo de vida.

Mas hoje as relações, se esquecem do amor, que é deixado do lado de fora das casas. Não se pode deixar o amor viver como indigente, que não encontrando uma pousada aconchegante sofre de frio, fome e agoniza nos corações.

O amor pede socorro e as pessoas estão surdas e a violência acelera.

Toninho.