Páginas

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

A mocinha e o monstro.

 
Há dor, uma angustia dentro da noite,
Sátiro sai da floresta destilando a dor
a mocinha apavora de medo do açoite,
indefesa entrega-se levada pelo terror.

Momentos de loucura o medo velado,
Sob a sombra negra covarde do algoz,
a cabeça gira um grito longo sufocado,
a fúria que arranca da garganta a voz.

O monstro dos bosques insaciado agora,
com os seus passos longos na escuridão.
deixa para trás a menina que só chora
balbucia lamentações na imensa solidão.

Este monstro deve ter viver nas trevas,
donde vem tentar as moças da cidade.
Um mau cheiro sai de suas entranhas,
a sua fuga deixa rastro de infelicidade.

A mocinha sangra de dor pela floresta,
clama à deusa guerreira e estrategista
Atena, para o extermínio desta besta,
o que Penha não faz com os machistas.

Toninho
***********************************

Nota:

Sátiro, na mitologia grega, era a entidade da natureza com o corpo metade humano e metade de bodes. Equivale ao fauno da mitologia romana.o aspecto de homens com cauda e orelhas de asno ou cabrito, pequenos chifres na testa, narizes achatados, lábios grossos, barbas longas.

Atena: conhecida como Palas Atena é, na mitologia grega, a deusa da civilização, da sabedoria, da estratégia em batalha, das artes, da justiça e da habilidade.

Penha: Maria da Penha Maia Fernandes é uma farmacêutica brasileira que lutou para que seu agressor viesse a ser condenado, por isso a Lei que protege as mulheres contra esta violência recebeu o seu nome em homenagem a ela.


**********************************************************

Uma inspiração nos fatos de violência e terror que ainda algumas mulheres enfrentam diante um machismo arcaico e que nem as leis conseguem por um fim.Texto modificado de 29/08/2010 porque nada mudou nesta relação.

Motivo: um ex marido executa triplo homicídio na famosa Praia do Forte-Bahia executando a ex esposa, a filha menor, o amante e depois suicida com um tiro.


segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Eu só queria ser criança.


Ah, como queria voltar no tempo,
viver a liberdade numa dança.
Neste sonho de ser uma criança,
voando pelas serras como vento.

Queria nos pés o afago da terra,
que na chuva exala um perfume.
Com meu barquinho de costume
o menino marinheiro sem guerra.

Feliz da vida para casa regressa,
inventa mentiras nova promessa,
livra-se das broncas costumeiras.

Assim inventa a sua felicidade,
o menino descalço pela cidade,
pois assim é feliz.Desta maneira.

Toninho.
12/10/2015
************************
Que todas as crianças sejam livres e tenham uma infância digna. Que todos nós tenhamos viva esta criança que habita nossos corações. Uma feliz semana a todos com este sorriso solto e contagiante. Texto de 08/10/2011 que trago para aqueles, que não leram ou que possam relembrar. Feliz dia para todas as crianças de sua família e que Nossa Senhora Aparecida os abençoe.
***********************
Foto Google.