Páginas

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Acaso num ocaso.



Quis viver um grande amor,
iludiu, esqueceu-se de viver.
nas noites era o puro terror,
a incompletude triste do ser.

Se acaso o amor vier visitar,
pensava e imaginava a hora,
como o guri aprendiz escolar,
ansioso na hora de ir embora.

E se nada acontece ao plebeu,
no insucesso vem lhe oferecer,
a descrença como vive o ateu
alheio à vida pensa só morrer.

Aos ouvidos chega uma voz:
Um amor não vem do acaso,
nasce, enraíza. Criam-se nós,
faz-se lindo como este ocaso.

Toninho.
03/10/2016

Da série apenas uma inspiração.

**********************
***************
********
****

24 comentários:

  1. Boa noite, amigo Toninho!
    Li o poema e em seguidinha veio a noticia de que nossa amiga Maria Luísa está internada e aí, fiquei tão triste que nem consigo comentar à altura.
    Que Deus renove as esperanças no coração do plebeu do poema e no meu agora pela amiga tão querida.
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rosélia uma notícia que realmente nos pega de surpresa, mas vamos crer e rezar que tudo logo se resolva e temos nossa Luíza conosco com sua fé sempre ativa. Obrigado pela informação.
      Abraços.
      Bju de paz.

      Excluir
  2. Amar é bom, mas amar e ser amada é melhor ainda.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. A obsessão pode nos cegar a tal ponto nos permitindo ver o amor que está tão próximo pois fixamos nosso olhar e sentimento em alguém que não compactua do nosso sentir
    Um lindo dia para você
    Beijos no coração amigo Toninho

    ResponderExcluir
  4. Como diz minha amiga Julie:

    que momento de(ins)PIRAÇÃO;

    ResponderExcluir
  5. Um amor não vem por acaso, mas quando chega é lindo como um belo ocaso
    Um abraço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde Toninho.
    Como sempre um lindo poema, de um poeta sensível e de um grande coraçao. Cresci ouvindo que o amor não mate na porta. Mas na minha bateu rsrs, deixou um tesouro e depois descobrir que nem tudo o que parece ser é, mas logico antes se viver um amor, mesmo que não seja o que esperamos, do que ficar a espera de uma amor que talvez nunca aconteça. Acho que o acaso não existe, mas o mundo conspira para que duas almas afins se encontre. Um lindo fds. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  7. Toninho, meu querido amigo, pensei ter deixado aqui, dias atrás, um lembrete para que fosses ver uma postagem que fiz em agradecimento aos amigos que me confortaram com suas palavras de solidariedade, mas agora eu vejo que tal lembrete não ficou registrado. Devo ter feito alguma incorreção.
    Por favor, quando puderes, dê uma chegadinha no meu espaço, pois tu estás entre os amigos queridos a quem eu quis prestar uma singela homenagem lá no meu MULTIPLICIDADE DE MIM.
    Um beijo no seu coração,
    Helena

    ResponderExcluir
  8. Boa noite caro amigo Toninho ,um lindo poema apesar de intenso brota tristeza ,que nunca se perca a esperança da felicidade ,um grande abraço .

    ResponderExcluir
  9. Aos ouvidos chega uma voz:
    Um amor não vem do acaso,
    nasce, enraíza. Criam-se nós,
    faz-se lindo como este ocaso.

    O amor nao vem do acaso, é preciso cultivo...

    Beijos, Toninho...

    ResponderExcluir
  10. Oi Toninho
    Se o amor tivesse hora de chegar... seria ótimo, marcaríamos o tempo para vivê-lo.
    Um lindo poema, meu poeta.
    Beijos, caro amigo.

    ResponderExcluir
  11. Um poema muito bonito, Toninho! O amor e suas nuances...
    Sim, já orando pela Maria Luiza, haja saúde no seu organismo!!
    Bom fim de semana... Muita paz...

    ResponderExcluir
  12. O último verso diz tudo!
    Poema ... perfeito! Bj

    ResponderExcluir
  13. Por vezes chega, sim, por acaso.
    Porém, há que cuidá-lo: alimentá-lo e regá-lo
    continuamente para que cresça não só belo, mas
    também forte e saudável.
    Também aprecio muito ocasos esplendosamente
    matizados em ocres incendiados.
    ~~~ Abraço solidário, Amigo ~~~
    As nuvens escuras sempre se vão,
    ainda que caia alguma chuva...
    ~~~ Beijo de paz ~~~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  14. Belíssimo poema, Toninho
    Também eu estou torcendo pela querida Maria Luiza.
    Que ela se recupere prontamente.

    Obrigada pela gentil participação por lá.
    Um forte abraço de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  15. Olá amigo, gostei da forma como as palavras se encaixam nos versos, desde o título até o final. Deu um show de inspiração. *abraços*

    ResponderExcluir
  16. O tom melancólico feito poesia numa escala musical onde o ritmo faz dela uma canção. A pureza do amor como só um Toninho sabe cantar! Parabêns!
    Fraterno abraço! :)

    ResponderExcluir
  17. Bom dia meu poeta preferido.alles klar?Bussi da Alemanha pra vc? Luciene.

    ResponderExcluir
  18. O último verso, é mesmo a cereja em cima do bolo, desta linda e doce inspiração... que descreve de uma forma maravilhosa, como é um verdadeiro amor...
    Adorei! Um grande abraço!
    Ana

    ResponderExcluir
  19. Olá Toninho,
    Com o poeta é assim: mostra-lhe uma pedra e consegue fazer uma linda poesia
    Sua poesia é uma verdadeira obra de arte
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  20. Oi Toninho,
    Que coincidência: meu marido chama-se Antonio Carlos e todos o chamamos de Toninho.
    Adoro estar aqui
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.