Páginas

terça-feira, 24 de maio de 2016

Canto ao tempo.



 




Vejo nuvens escurecidas, há impotência.
Suspiram nossas velhas inquietações,
há sempre uma duvida,
a que me assusta.

O dia que passa, arrasta-se pelas horas,
as horas levam ao marasmo.
Onde moram as mágoas
do coração estreito.

A  dúvida inquieta,
o não saber assusta e deprime,
numa força que sempre nos arrasta,
pelos descaminhos sombrios desta vida.

O perto se torna longe. De repente não é já,
já que tudo ficou frio, mortas esperanças,
o dia passou lento, já os passos lentos
levam os meus sentimentos.

Toninho.
Jan/2007
Tem texto novo lá: toninhobira.blogspot

************************
 ***********************