Páginas

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Eu sei.



Eu sei que não me canso de olhar,
estas ondas que vêm tão furiosas,
sobre as pedras negras deste mar,
mas logo já fogem tão preguiçosas.

As ondas vêm num branco lençol,
cobrem as pedras com o puro sal,
que batizo minha poesia sob o sol
em nome do encantamento local.

E sei deste meu encanto infinito,
ver o continuo movimento do ar.
Vem na brisa a poesia como rito
da dança da sereia vindo do mar.

Dói-me saber, que tudo vai sumir,
numa onda gigante de um verão,
sobre as pedras virá me persuadir,
e roubará a poesia de minha mão.

Toninho.
10/11/2016


convite de coisas que leio e recomendo:
confiram aqui: amor-e-sexo-no-envelhecer

*************************
*************
*******
***