Páginas

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Verde mata.



Mundo verde cheiro de mato,
há perfume de fruta madura,
quando a vejo junto ao regato
sinto o doce bom da rapadura.

O João de barro na arvore vi
com sua laboriosa construção,
ao som do canto do Bem-te-vi
eu confesso extasiada emoção.

O sol vem desvirginar a mata.
Seus raios formam belos efeitos,
que piscam pelo chão de prata,
onde cuidadoso piso satisfeito.

Na verde mata ouço cantoria,
que vem com canto melodioso,
de uma pequena bela cotovia,
faz meu dia tão maravilhoso.

E quando cai a noite na mata,
uma lua cheia prateia o chão.
Bem tarde ouço uma serenata.
Linda a noite de luar no sertão.

Toninho
10/01/2017 
meu outro blog: Momentos e inspiração.

**************************
Bom inicio de semana.
Inicio de ano e lentidão presente.
Mas é certo, que vou ler-te.
Grato.

23 comentários:

  1. Boa noite Toninho.
    Que poema belo onde pude sentir o cheiro de mato e sentir também saudade da fazenda que tínhamos, onde a natureza era algo evidente com meu cavalo percorria muitos mato e sentia o cheiro da terra. Algo maravilhoso. Uma linda semana meu amigo. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  2. Toninho,
    Esse Verde mata fez me lembrar do interior de MG. Sentidades até o gostinho da rapadura.
    Eita trem bão sô!
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Quem não gosta de um verde assim? E imaginar o luar na mata é tudo de bom!Por si só acalma! Verde é vida! abração ainda praiano,chica

    ResponderExcluir
  4. Que belo momento de poesia caro amigo Toninho, como adorovo verde que se funde harmoniosamente cpm a natureza tão rica como as palavras que escreveu ,um grande abraço

    ResponderExcluir
  5. Olá, querido amigo, que terno poema! Como é linda a felicidade quando está presa á natureza, isso sim é riqueza. Fui lendo seu poema e lembrei de algo que eu adorava: o cheiro de chuva, da terra molhada! Lembro que dizia à minha mãe: vem chuva aí, estou sentido o cheirinho... e ainda havia sol! São lembranças ricas.
    Gostei do vídeo!
    Beijo, amigo!

    ResponderExcluir
  6. Que lindo, aqui na cidade a gente só consegue ver a lua e olhe lá rs...

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  7. Olá amigo Toninho,adorei a canção que escolheu seus poemas são maravilhosos, faça as delicias, come uma e quer logo outra,para ver se já estão prontas é fazer o método antigo é espetar um palito no meio

    ResponderExcluir
  8. ...do bolinho se sair seco pode apagar o forno, se gostar de canela em pó pode polvilhar a delicia pois sabe a pastel de nata os famosos de Belém só a massa de fora é que não é estaladiça como os pasteis de Belém, depois diga alguma coisa tá? um forte abraço

    ResponderExcluir
  9. Belo e encantador poema, Toninho!
    Há beleza, tranquilidade e romantismo no luar do sertão... Puxa, lugares com verde é tudo de muito bom!
    Abração e vamos sempre adiante... Poetando e construindo com palavras de Vida...

    ResponderExcluir
  10. INSPIRACIÓN Y NATURALEZA. BELLO TEXTO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  11. Um poema tão belo e maravilhoso como a natureza.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  12. Ai o luar do sertão que iluminou a alma do poeta na perfeição!!! Bj

    ResponderExcluir
  13. Oi, Toninho!

    A natureza é deslumbrante mesmo. Parece que nossa alma aflora com esse contato. Tudo é beleza e poesia. Há paz e serenidade. E você captou tudo isso muito bem no seu poema.

    ResponderExcluir
  14. Um poema gostoso nos chamando a ir pra roça, coisa bem mineira mesmo. "Bão pra lá de metro". Parabéns, amig.

    ResponderExcluir
  15. Olá Toninho!
    Quanta poesia, quanta natureza , onde predomina o verde de um ambiente bucólico com cheiro a erva e terra molhada!
    Gostei muito....abraço

    ResponderExcluir
  16. Meu amigo Toninho
    Mais uma vez nos encanta com seus versos bonitos, cheios de uma inspiração simples, mas ao mesmo tempo, grandioso.
    Adorei!!
    Um abração.

    ResponderExcluir
  17. Oi Toninho
    Este poema é bem nosso, bucólico, florido, musical, excepcional. São as nossas matas mineiras delineadas com maestria pelo grande poeta mineiro
    Boa noite pra você vizinho
    Beijos de amizade nesse doce coração

    ResponderExcluir
  18. Olá querido amigo Toninho, que poema mais lindo, me imaginei no sertão curtindo o luar, que vida mais boa esta! Abraço grande!

    ResponderExcluir
  19. Pintou um quadro de uma beleza encantadora. Fui transportada para essa mata, e juro que ouvi os pássaros a cantar.
    A Natureza cura.
    Abraço
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
  20. Que bela inspiração que só mesmo a natureza pode proporcionar. E neste passeio nos embrenhamos. bjs

    ResponderExcluir
  21. As delícias da natureza, me lembrou muito Almir Sater, gostei. Um beijo.

    ResponderExcluir
  22. Boa noite, Toninho.
    Delicado demais esse poema, a tranquilidade da mata, o belo da Natureza e a simplicidade que arrebata a alma.
    Como é bom imaginar este doce aroma recheado de luar.
    Lindo.
    Tudo de bom.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  23. Um poeta e uma poesia dizem coisas do coração. Você Toninho querido é o poeta da leveza e ternura, que poesia linda.

    Beijinhos meu amigo querido

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.