Páginas

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Um bode expiatório.

Botando a cabeça para funcionar é uma BC de nossa amiga Chica de todos os dias 5,15 e 25 ond ela trás uma imagem do seu cotidiano para livre inspiração, hoje vou com um pouco de humor para participar. Vamos ver aqui chicabrincadepoesia como nossos amigos se inspiraram nesta imagem abaixo e logo apos minha brincadeira. 




Era uma casa muito engraçada,
naquele canto de rua da cidade.
Com fachada suja e desbotada,
nela mora Jovelina da caridade.

Um papagaio falante no telhado,
repetia tudo, que ouvia pela rua.
Na janela um bode endiabrado,
que vê tudo de dentro da cafua

Quando bode via vir o carteiro,
mugia como bicho ensandecido,
papagaio verdadeiro fofoqueiro,
imitava o bode no maior alarido.

Quando vi este bode expiatório,
pensei naquela minha vizinha,
da janela faz seu observatório,
da vida alheia, é erva daninha.  

Se é verdade o ditado do povo,¹
este bode expiatório não é bom,
pois seu berrar irrita, é estorvo.
Mas para a velha sine qua non.²


Toninho
05/09/2019


Notas
              1-    Ditado que surgiu em meio aos criminosos do estado do Rio de Janeiro, ganhando muita popularidade. Na linguagem dos prisioneiros, o verbo “berrar” possuía o mesmo significado de “delatar”, entregar o companheiro.

             2-    Extremamente importante, essencial; que não se pode nem se consegue dispensar; indispensável.

                                                     Grato pela visita.



14 comentários:

  1. Boa tarde de serenidade, querido amigo Toninho!
    Um poema para nos fazer pensar sobre a insignificância que é bisbilhotar a vida alheia mesmo sendo indispesnsável para a fofoqueira se manter viva: imprudente e vazia de conteúdo profundo.
    Ser bode expiatório faz sofrer muito, mas fazer o que? Os desocupados sempre escolhem alvos que lhe dão despeito.
    Na realidade, a casa da mulher era o reflexo do sua alma: suja.
    Os animais de sua casa eram de acordo com seu modo de proceder. Assim se dá...
    Belíssimo poema do tema!
    Muito bem humorado, como sempre e nos alegra com verdades ditas.
    Muito interessante o seu falar de coisas sérias em forma de poesia bem concatenada de pensamento.
    Tenha dias serenos de paz!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  2. Sensacional história em poesia e ninguém merece papagaio e bode assim.

    Inteligente teu RECADO que iniciou com a engraçada música,RS...

    Obrigadao! A do rei!

    Daqui a pouco consigo colocar teu o link! Abração, chica

    ResponderExcluir
  3. Poético e com humor dando uma perfeita mensagem. bjs

    ResponderExcluir
  4. Ha! Ha! Muito boa essa sua inspiração dando até pra ver e viver a cena, a casa, a vizinha e o papagaio falador! Boa, muito boa a música também, a sua explicação sobre o berrar! Bênçãos pra você! Abração!

    ResponderExcluir
  5. Há realmente velhas muito bizarras!!
    Não devia funcionar muito bem do miolo, Faltava-lhe o treino da nossa amiga Chica...
    Um belo trabalho!
    Tudo bom.
    Abraço, Amigo.
    ~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também preferi optar pelo humor...
      No Corujinhas. Bj.

      Excluir
  6. Ei Toninho! Essa sua facilidade em descrever imagens e converte-las em lindas poesias me encanta! Minha mãe se chamabva Jovelina e e´muito raro alguém citar esse belo nome. Grande abraço, meu caro poeta de minas. Feliz fim de semana.

    ResponderExcluir
  7. Amigoooooooooo Toninho!
    Cheguei, ainda meio molenga, a recuperação aos poucos vai se cncluindo e ja estou a xeretar nos blog e da brincadeira da Chica participando.
    Adorei sua inspiração, uma releitura interessnte e divertida, e olhe que papagaio é ave fofoqueira mesmo. Maravilha de participação.

    A Lúcia me falou da sua preocupaação com minha cirurgia, obrigada amigo, setou sensibilizada om tanto carinho dos amigos. Não mereço tanto!!
    Bjs no core amigo!

    ResponderExcluir
  8. Olá querido amigo Toninho as férias estão a chegar ao fim para a semana terça vou para Lisboa e na sexta vou até Tanger Gibralter marrocos ,minha saúde começa a recuperar as feridas estão quase a fechar enfim depois já em Lisboa de regresso começarei a mostrar as fotos lindas da natureza da aldeia que tanto amo, beijinhos e um forte e terno abraço

    ResponderExcluir
  9. Que delicia de participação! Recheada de bom humor! Adorei, abraços Luconi

    ResponderExcluir
  10. Você encontra música pra tudo, rsss, também não lhe faltam versos com mensagens humoradas e reflexivas...
    Participação muito boa...
    Abçs

    ResponderExcluir
  11. Olá, Toninho!
    Bom dia!
    Gostei dos bem-humorados versos sobre a história do papagaio e do bode.
    Vamos viver a vida, respeitando os limites.
    Boa semana! Muito bom.

    ResponderExcluir
  12. Boa noite, querido Toninho
    Bode expiatório e papagaio uma dupla do barulho...rs
    Adorei a sua bem humorada participação.
    Um carinhoso abraço de
    Verena.

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.