Páginas

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

TEM UM POSTE NO CAMINHO.











Imagem propria.




Da janela a estranheza e a decepção de mãos dadas. Este olhar sobre a cidade, onde se vive numa gaiola e quando sai pelas ruas encontra se numa selva, cheia de feras. Falo de uma capital, ou seja, de qualquer capital deste país, onde os nossos mínimos direitos são desrespeitados. De minha janela vejo com olhos tristes indignados, a dificuldade dos portadores de deficiências em constantes constrangimentos causados por motoristas, empresas de prestação de serviços, como as de energia elétrica e telefonia. São os postes, orelhões todos implantados no meio das calçadas, ou passeios, onde os pedestres em labirinto buscam seus caminhos para suas atividades.

Vejo uma faculdade e na sua calçada, onde deveriam passar livremente pedestres, vejo carros estacionados na diagonal com suas frentes encostadas no muro da escola. As pessoas se deslocam para a rua, se expõem aos veículos. Para meu espanto, vejo fiscais controladores de transito, passam pela rua reordenam os taxis, que se acham donos da rua, mas o mesmo órgão com seus ineficientes inspetores, não têm olhos, para os carros sobre a calçada. Agora vejo o deficiente visual, com sua bengala metálica, toca no poste e desvia, mais a frente toca num veiculo, novo zig zag desviando das armadilhas. Resmunga indignado para o além, como não querer acreditar, se bate num orelhão em forma de berimbau. Nova manobra, difícil travessia para ele, que bem merecia receber um troféu por vencer tantos obstáculos.

É revoltante a inércia das autoridades municipais com estabelecimentos comerciais e escolas, que não tem o mínimo de respeito com os cidadãos pedestres, que precisam das calçadas. Posso imaginar o tipo de cidadão que se forma nesta escola, desinformados cultural e politicamente. Queria crer que as autoridades, quando da liberação de um alvará para funcionar uma escola ou estabelecimento qualquer, deveriam em primeiro lugar, exigir que se apresentasse o sistema de estacionamento, vagas especiais, acessos para pessoas deficientes, saídas de emergência, sistema de incêndio e etc. Quer dizer o politicamente correto só ficou no papel numa gaveta suja da corrupção. Assim ficamos a Deus dará ou salvem-se, quem puder. 

No direito de ir e vir livremente, pois sempre temos um poste, um orelhão ou mesmo um carro sobre a calçada e às vezes carros com logomarcas do estado ou municípios. Fico a pensar no grande Drummond ao encontrar uma pedra no seu caminho, que retida nas retinas cansadas lhe inspirou um poema histórico. Agora imaginem, o que o inspiraria, se fosse um poste ou um orelhão em forma de coco verde. Ele criaria uma crônica, ou jogaria na cabeça destes pobres mortais ridículos?

Pense bem, quando for estacionar seu carro, você poderá estar sendo observado.
Mas seria preciso isto? 
Sentir-se  vigiado, para fazer o correto?
Pense bem.

Toninho
28/07/2011

22 comentários:

  1. É mesmo muita ignorância. Ou será falta educação?
    Pior é isso aí, só respeita na pressão. Com vigilância.
    E ainda assim, há aqueles que não se inibem.
    Toninho, boa tarde!
    Xeros

    ResponderExcluir
  2. Hoje estou passando apenas para lhe fazer um convite.
    Estou falando do www.superlinks.blog.br que é um site agregador que vale a pena visitar, pois é mais um espaço no qual você poderá publicar seus links de matérias, pois é um site sério e com critérios bem positivos.
    Espero que goste da dica.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  3. É amigo, as coisas erradas parecem exercer mais atração do que as coisas corretas, se chegar alguem coloca o seu carro no local errado em seguida vai ter muitos o seguindo. parece fazer parte do ser humano, e se for dizer algo,, compra uma briga com certeza. Um abraço e paciencia. Celina.

    ResponderExcluir
  4. Foste fundo,TONINHO... ESSE DESRESPEITO É ALGO REPUGNANTE E PARECE NÃO DIMINUIR NUNCA.

    UMA PENA, PESSOAS PARECEM SE ACHAR MAIS DO QUE OUTRAS E INDIFERENTES AOS PROBLEMAS, PENSANDO APENAS NA SUA PRATICIDADE...

    ABRAÇÃO,CHICA

    ResponderExcluir
  5. Meu amigo, disseste bem.
    Sair de casa para o centro da cidade é correr riscos.
    Não pise no pé de alguém ou estará fadado a sofrer uma represália mortífera.
    Não sofrem somente os deficientes, mas o cidadão de uma forma geral.
    Texto muito oportuno e pertinente, principalmente para quem habita em São Paulo.
    Um fraterno abraço.

    ResponderExcluir
  6. Amigo Toninho isso chega ser uma falta de educação....As prefeituras deveriam se empenhar mais não é? mas é tanto desvio de verbas tanta palhaçada...Ta uma M.....tudo isso!!!...você fez uma colocação perfeita de indignação.
    abraço amigo
    titi

    ResponderExcluir
  7. Toninho é impressionante como que tem coisa errada para todo o lado que olhamos né?
    Me senti aí olhando tudo à sua volta e indignada e impotente também...affff.
    E tava tudo fora do ar hoje. Tentei responder no seu comentário muitas vezes e o quadrinho branco de escrever não aparecia não. Voltou agorinha.
    Beijos,
    Carla

    ResponderExcluir
  8. Toninho, boa noite!
    Eu vejo que isso grassa em todo o país hoje em dia, pelo menos naquelas cidades com grandes populações, pois é uma atitude geral e a mesma atitude generalizada também é dos que deveriam fazer algo e não fazem. Fecham os olhos a esses desmandos, fingem que não vêem, não fazem o trabalho de pôr ordem, de organizar a casa.
    Se você por aqui como é também, eu fico triste e indignada, mas achei um lugar para reclamar que poderá ser visto pela mídia, jornais ou Tvs.
    Trata-se das comunidades das nossas cidades pelo Orkut. Eu não entro neste site para ver fotos de ninguém e nem mandar beijinhos ou fofocar da vida dos outros, mas sim para reclamar, criar posts mostrando estes desmandos que acontecem na cidade em que moro e vez por outro tem dado certo, já vi reportagens baseadas no que descobrem por lá. Faça isso também e, se possível, fotografe, hospede as fotos no ImageShak e coloque no Orkut.
    Este seu texto está ótimo para abrir um tópico por lá, que tal?
    beijos cariocas



    (Veja quem está no MeandYou hoje, ok)

    ResponderExcluir
  9. Bom dia,Toninho!!

    Estou de pleno acordo,é de se ficar indignado!!
    Este descaso,se reflete em tudo.Já pensei tanto e fico perdida, no que fazer. Cheguei a conclusão(já que não quero ser política, não aguento tanta hipocrisia!!),que se fizer a minha parte, mesmo sendo tão pouco, posso contribuir para que um dia, este quadro mude, educo meus filhos, para que saibam respeitar os direitos dos outros,é bem pouco mais é o caminho.Se todos os pais fizessem isso, não veríamos mais carros estacionados em lugares inadequados, entre outras coisas...Penso que EDUCAÇÃO é fundamental! E quando digo educação , é no sentido mais amplo!!Não só restrito as escolas...
    Mas mantenho a Fé, isso tem que mudar!
    Beijos pra ti!!!Tenha um bom dia!!!

    ResponderExcluir
  10. Infelizmente essa é a pintura da vida, do mundo em que vivemos,,,abraços fraternos meu amigo e um belo dia pra ti.

    ResponderExcluir
  11. Você tem toda razão no que escreve querido..falta empatia, falta respeito. Um exercício para todos a cada momento.
    Beijinhos e belo dia amigo...
    Valéria

    ResponderExcluir
  12. Oi, Toninho!

    A falta de educação, o descaso das autoridades constituídas, a corrupção, a impunidade, contribuem para que vejamos situações idênticas as descritas por você, em todas as cidades brasileiras. Moro numa cidade de porte relativamente médio, e digo-lhe que a situação é exatamente igual, ou pior, infelizmente. É uma vergonha isso.
    Muito bom amigo. Texto excelente.

    Um abraço
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
  13. Lindo o que você escreveu.
    E a pedra?

    Poste

    Orelhão

    Um abraço

    ResponderExcluir
  14. É a falta de se viver sem pensar no outro. Na verdade, é a própria falta de nos amarmos porque qdo nos amamos, amamos também o próximo e os respeitamos, porque os enxergamos...

    Um beijo fraterno...
    Liz

    ResponderExcluir
  15. É, meu amigo, o direito de ir e vir continua garantido desde que você não atrapalhe as máquinas criadas pelo homem. Ao Homem, se sobrar espaço. Certa vez eu disse aqui que a maioria das grandes cidades é composta de uma população vinda do interior onde as pessoas são mais tolerantes, mais humanizadas, mas próximas umas das outras. Pensava com isso que pussem transferir esta humanidade para as grandes cidades, formando aquele interiorzão caloroso. Qual o quê? Vemos é elas transformarem-se em feras, tal qual a selva de pedra sugere e impele a todo tempo. Isso o que você colocou sobre a faculdade é sintomático. Que pessoas são estes estudantes, que, formados vão dirigir os rumso de um país? De qualquer forma são denúncias instigando ao debate que ajudam a levar um pouco de luz e sensatez à sociedade. Muito bom esse alerta! Meu abraço. paz e bem.

    ResponderExcluir
  16. Lembrei-me que hoje é o dia dos advogados
    Pertinente a sua postagem sobre a liberdade de ir
    e vir.
    Dia propício para pedir "Habeas Corpus" aos nossos
    governantes.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  17. Hj para mim tinha manchas de café no caminho do coredor aqui de casa e no meu coração tem luz brilhando e me encaminhando para sorrir Toninho.
    Beijos,
    Carla

    ResponderExcluir
  18. Boa noite, Toninho!

    Parabéns pela postagem-alerta!

    A sua indignação se une aos milhares de brasileiros que sentem na pele o desrespeito a liberdade de ser cidadão. Pena que muitos só se lembram deles quando querem votos.
    Mas acredito que ainda há esperança de que algo seja feito, Toninho.

    Um grande abraço

    Deus seja contigo

    ResponderExcluir
  19. Mineiro, a sua indignação tem fundamento e é claramente compreensível e apoiado pela minha pessoa...

    Bjsss paulistassss

    ResponderExcluir
  20. Toninho eu sempre achei o cumulo as pessoas que desrespeitam totalmente o ir e vir dos outros, é egoísmo, é não parar pra pensar, é preguiça de andar uma ou duas quadras e estacionar o carro um pouquinho mais longe,e sem contar as calçadas eu não moro em nenhuma capital, mas as calçadas aqui
    é carro na diagonal,é bicicleta, aqui todos usam, é buracos imensos nas calçadas, é degraus nas mesmas, tudo dificultando para o deficiente físico o seu ir e vir, tanto que quase não os vemos circulando pela cidade, as autoridades não estão preocupadas, são a minoria e na maioria das vezes não votam, assino embaixo de tudo o que disse, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  21. Olá Toninho
    Isso acontece em todas as grandes cidades. É uma questão de educação e cidadania , coisas que o brasileiro ainda não tem.
    Bom fim de semana
    Abração

    ResponderExcluir
  22. "O politicamente correto só ficou no papel numa gaveta suja da corrupção."

    Adorei isso. Nao só o politicamente correto, diga-se de passagem...

    Ainda navegamos em mares de sonhos, porque no Brasil parece que tudo é um.
    Outro dia vinha pensando nas diferencas nesse sentido que encontro por aqui, como os governantes pensam em tudo... quer dizer que os nossos governantes aí nao pensam?

    Tenho uma colega blogueira que é cadeirante, e vejo o quanto é mais difícil a vida do dia a dia pra elas, o quanto é aviltante a dependência, e no caso deles, inclusive dos postes no caminho.
    Muito bom texto, Toninho!
    Grande beijo

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.