Páginas

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Varanda da poesia.






Lá que o olhar alcança o infinito,
na fusão de cores neste pôr do sol,
os olhos furtam as cores no agito,
vê Elvira encantada pelo arrebol.

Sob o Sol poente pastam os gados,
com estes os últimos raios solares.
Há uma paz reinante nos prados,
que prevê leite bom para os lares.

Na varanda é lindo observatório,
onde a poesia se acomoda silente,
para acolher o poeta merencório,
diante a beleza de um Sol poente.

Cai a noite. Na varanda solitária
com o perfume da dama da noite
o poeta se vê diante a Ave Maria
e fecha os olhos para o seu deleite.

Toninho
15/05/2018


Inspirado nesta imagem no blog da querida Elvira de Portugal. Daqui: imagensdaelvira  



Um bom fim de semana
Paz e amor 
a todos.

domingo, 27 de maio de 2018

Estranha loucura.
























Passo as horas nesta longa espera,
daquele que me inspira no poetizar,
por quem todo o meu corpo acelera,
trago lindas flores para aromatizar.

Dos raios solares vem uma química,
que catalisa, processa uma emoção,
como transe de uma dança rítmica,
com os meus sentidos em vibração.

Longe muito longe ouço uma canção,
conhecida que me refaz em alegria,
fala de um amor dentro do coração,
como inspiração de elegante poesia.

Quando a voz aproxima do ouvido,
a torrente complexa de adrenalina
Inunda os poros na estranha libido,
que me faz sentir numa messalina. 

Toninho
26/05/2018

Em poesia muitas vezes é preciso entrar em outro corpo para fluência da inspiração. Compositor e cantor Chico Buarque um bom exemplo desta arte.

Esta minha inspiração para a imagem do projeto Poetizando e encantando da Lourdes aos domingos. Hoje a edição 37ª confira outras inspirações.


Uma feliz semana
com paz
ainda que seja complexa
pelo desgoverno.