Páginas

sábado, 25 de maio de 2019

Pelos teus beijos.


 
Em sua 83ª edição do Poetizando e encantando entre as imagens oferecidas pela Lourdes escolhi a imagem abaixo para minha inspiração que ofereço a vocês e convido para ler e conhecer a BC que pretende espalhar poesia pela blogosfera sem fins de concorrências. Vamos lá ver os amigos: filosofandonavidaproflourdes  


Pelos teus beijos.


Quando amanhecer ainda aqui estarei,
na espera ansiosa de teus doces beijos,
que bem sabes, que me fazes sentir rei
neste reino encantado de belos desejos.

Quero sentir nos lábios escorrer o doce,
que selados nos levam viver a loucura
incandescente corpórea numa simbiose,
que faz tudo vibrar em doce aventura.

Ainda que com o alucinado sacrifício,
sob este verão assanha toda preguiça,
deito na rede, sonho-te, que é suplicio
com saudade desvariada, que já atiça.

A noite surge como uma azagaia fria,
sorrateiramente espeta minha paixão,
pelo beijo estralado pleno de ousadia.
Sinto o teu perfume vir na escuridão.

Quando risca o Céu a estrela cadente,
vem como holofote pousa no caminho,
vejo-te em silhueta, ardo febrilmente.
Desliga-se a ribalta solidão no ninho.


Toninho
24/05/2019    
Outro blog sempre alguma novidade:momentos de inspirações


Grato 
pela visita. 

Meus sentimentos e conforto à nossa amiga Suelzy (flor da vida)
de blog  e Recanto das Letras pela perda 
de uma irmã nesta sexta-feira.


Meus sentimentos





domingo, 19 de maio de 2019

Sórdido desprezo.




















Poetizando e encantando a BC bem sucedida da professora Lourdes em sua 82ª edição, nos convida com belas imagens para inspiração livre e sem concorrência e assim espalhar poesias pela blogosfera. Confira: filosofandonavidaproflourdes  e prestigie os participantes com sua leitura. Minha escolha de imagem e poema para a apreciação de vocês.




















Olha ao longe espera por alguém.
a manhã ensolarada da solitária.
Uma borboleta voa num vaivém,
ora pousa é companhia solidária.

Calada se alimenta pela ausência
vitima-se no abandono, é sentida
tua dor, o banco sabe a carência,
nas confidencias desta esquecida.

As horas fluidas bem lentamente,
sofrência pela presente languidez,
a rosa branca murcha friamente,
sentida pelo desprezo da sordidez.

Ah, não fosse toda sofrida espera,
finda o dia no canto do Rouxinol.
Poder-se-ia reviver doce quimera,
regozijar-se-ia no belo pôr do Sol.


Toninho
18/05/2019


Um bom domingo 
de feliz semana
Grato pela visita.