Páginas

domingo, 12 de setembro de 2010

Enquanto ela dorme

Ao amor que dorme.












Enquanto ela cansada adormece,
Meus olhos vigiam admiram seu corpo
Zelando seu sono na suavidade que enternece
Toco de leve seus cabelos em desalinho
Na cabeça inunda a vontade de amar
A linda desejada mulher in natura perfumada

Mulher que não sente o abrasar do meu corpo
Dorme em seu sono leva toda minha fome
Na fervura que meu sangue derrama
Nesta angustiante noite de poucas estrelas
Carregada de voluptuosos loucos desejos
Que na minh’alma tanto alucina.

Ah, se você pudesse num despertar magistral
Receber-me em seus abraços e no regaço
Entregar-se toda às caricias minhas
Mas você adormece e minha vida padece.


Oh, mulher dos meus sonhos venha saciar minha
Loucura e assim vivermos este amor nesta noite.


Toninhobira.
10/09/2010.

7 comentários:

  1. E agente vai te lendo, e entrando dentro dessa
    tua sublime inspiração, e até conseguimos sentir
    a profundidade desse amor que enaltece, que
    embala, que vela o sono, que floresce e perfuma a
    alma... Ah! Poeta, se existe essa amada, com
    certeza ela o acolheu em seus sonhos, se entregou
    às tuas carícias, e também lhe amou com toda essa
    ternura transmitida em teus versos... Lindo
    demais amigo!!! Todos os aplausos a ti!!!!!!!!!
    Deixo a ti meu carinho com o desejo de que tenhas
    um lindo e inspirado domingo... Bjsss

    ResponderExcluir
  2. Oi toninho,que versos lindos, feliz é a mulher que o inspira, duas coisa que faz uma mulher feliz, primeiro um bom seresteiro, cantando para ela canções de amor e segundo um poeta de versos apaixonados, como os seus. desejo que vc seja correspondido, por esta sortudo que é a sua inspiração. Nos meus tempos idos passei por momentos romanticos através das serestas os seus versos me faz recordar,tempos que não voltam mais.

    ResponderExcluir
  3. Assim como você se queixa do sumiço do Sirlan na música, eu me queixo do sumiço do Fernando Teles, um antigo poeta de BH. Eis um trecho de um dos poemas mais belos, MINHA DOCE COMPANHEIRA:

    "Quando sozinha na noite.
    Minha doce companheira,
    Não é estrela cadente.
    Estática, quase uma crente,
    No seu infinito de luz.
    Minha doce companheira
    Não tem olhares furtivos
    E, como quer me conduz.
    Sabe que o dia amanhece,
    Para encontrar-se com a noite
    E como a noite se veste,
    Toda coberta de estrelas
    Para ofuscar todas elas."

    Para abrilhantar ainda mais o seu belo poema. Abraços. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  4. Voltei para agradecer a recomendação do meu livro. Não havia visto ainda. OBRIGADO, meu amigo! Abração. paz e bem.

    ResponderExcluir
  5. Que esta mulher te inspire por muito tempo, paz.
    Beijo Lisette

    ResponderExcluir
  6. Acorda a moça Toninho!
    Ela vai gostar! Pode acreditar em mim.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Olá amigo, bom dia! Entrei aqui bem silenciosa
    pra não acordar a moça que dorme aí... Mas precisava vir te deixar uma abraço de ótima
    semana e meu carinho regado por aquela chuvinha
    de paz, felicidade, e amor fraterno, acolhe essa chuvinha aí em teu coração, ok? Bjsss

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.