Páginas

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Amores escondidos























Amores escondidos
Apenas uma inspiração musical


Amar escondido conjugar o sofrer
Corpo ardente no sangue acelera
Olhos cegos no eterno padecer
Na noite infinita da espera

Quem vive seu amor oculto
Vive sempre na sombra da solidão
Olha seu amor como um vulto
Veste de negro amargo coração.

Adrenalina no céu da boca
Eterna paixão em ternura
Que recria a fúria louca

Que tanto faz enlouquecer
Nos doces braços da loucura
De querer os desejos reviver.


Toninhobira.

Amante é como estrela, alcance constante dos olhos, que vivem no limite constante do toque adiado, do amor estrangulado.

11 comentários:

  1. Vim conhecer seu espaço,parabéns pela poesia...
    Tambem gostei muito de sua poesia
    "Quando o amor se ausenta",parabéns!
    um abraço

    ResponderExcluir
  2. Olá Toninho
    O amor platônico, só trás sofrimento.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Aí Toninho é fogo que queima sem chamas e daí vc fez esta bela poesia que tanto dói, como rói por dentro. Uma lasquera sem eira nem beira...kkk
    Beijos e bom dia!
    Carla

    ResponderExcluir
  4. Querido Amigo..
    Hoje você é um dos homenageados
    com mais alguns amigos no meu blog.
    Hoje tem mais pessoas que de costume graças
    a Deus tenho bastante amigos
    E quero dar carinho a todos
    fico feliz com o carinho que recebo
    é essa forma que escolhi de agradecer.
    Um lindo dia beijos ,beijos,,Evanir.
    www.aviagem1.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Uma linda e criativa inspiração! abraços,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  6. Pode ser sofrido, mas é muito lindo!

    ResponderExcluir
  7. Bela inspiração meu amigo poeta... amores escondidos, proibidos, podem ser emocionantes, mas creio que tragam muito mais dores, solidão do que um amor livre para ser vivido.
    Querido tenha um feliz final de semana...beijinhos
    Valéria

    ResponderExcluir
  8. Fagner me ensinou:

    Quando se tem um amor escondido
    Querendo aflorar
    É se guardar um rio perdido
    Que não encontra o mar
    Mas brilha tanto cada sorriso
    E brilha mais que o olhar
    Quando o desejo é claro e preciso
    Quem pode ocultar
    Tento esquecer te digo baixinho
    Não sei se vou voltar
    Mas nada prende mais que um carinho
    Já vou te procurar
    Vai pensamento voa no vento
    Vai bem depressa corre pra lá
    Conta pra ela meu sofrimento
    Diga pra me esperar
    Se passo o dia sem seu carinho
    Me sinto sufocar
    Pássaro mudo longe do ninho
    Sem força pra voar

    Bjs seu Antonho.

    ResponderExcluir
  9. É amigo, ainda bem que deixaste aqui claro que trata-se de uma inspiração musical!
    Parece que este tipo de amor tem lá suas amarguras, mas não é menos excitante...
    Um lindo domingo!
    Lembranças.

    ResponderExcluir
  10. Se é Amor... É válido em qualquer circunstancia... Apesar de que se escondido sempre fica a faltar algo...
    Muito lindo o seu poema!

    Carinhos...
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Ah! Amores escondidos..cheios de adrenalinas, e ao mesmo tempo prisioneiro,
    por não poder mostrar,
    revelar essa emoção escondida.
    Lindo texto...amei amigo.
    Uma bela noite meu querido.
    Abraços com carinho.

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.