Páginas

sábado, 22 de outubro de 2011

Do vazio da alma.







 Imagem Google




Do vazio da alma.

O coração nada entende do abandono,
Que vem pela manhã como vendaval,
Deposita todas as emoções no monótono,
Da inocência ferida no injusto tribunal.

Quem sonhou e deste recriou suas emoções,
Perdeu-se no caminho de suas concepções
Invadido em terra alheia e escusas intenções,
Revirada toda biografia como inundações.

São estes momentos que mortificam
Pelos desencantos de toda desconfiança,
De metralhadoras as rajadas massacram,
Como Enola Gay produziu sua matança.

Mas o coração teimoso também vive aos pulos,
Pois nada aprende nesta vida de revanche,
Ainda que desfragmentado em tantos cacos,
Cisma de plainar suavemente na avalanche.

Toninho
22/10/2011.

“Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros.” Che Guevara

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Flores na Janela.






 Imagem Google







Flores na janela.

Versos pendurados na janela florida.
Uma penca de poesia à bela senhora,
Que perfumada rima suave e linda,
Com as mais belas flores lá fora.

Poder maravilhoso vem na estação,
Que mesmo em face da melancolia,
Higieniza a alma e alegra o coração,
Recria esperanças e refaz a alegria.

Sentir suavidade no toque à rosa,
Na manhã que orvalha as pétalas,
Da divina rainha tão charmosa,
Vestimenta maravilhosa de gala.

Folgo-me no contemplar esta janela,
Com olhos brilhantes em admiração.
É assim, que me alegra a Primavera,
Como um leve afago ao meu coração. 


Toninho.
08/10/2011

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Quando ela vem nos visitar.











Imagem Google. 




Quando ela cisma de visitar.           
             
Qual é o teu caminho?

Por que não falamos da morte que é certa?
Viver no acumulo de anos de saudades,
Sem saber a hora que ela virá nos espreitar,
Quando ainda pensa ser cedo para acabar.

O que pode esta morte?

Senão calar a voz, na inércia do corpo.
A lágrima de já seca ainda ali
no ultimo instante quer passear pela face.
por que tem seus olhos grandes sobre nós?

Como será seu rosto senhora?

Muitas vezes fico a pensar nesta sua crueza
lanças,  a foice brilhando no escuro da noite
Carregando ventos, aspirando nossos sonhos.
Em sua trilha de funesta visita noite adentro.

Por que querer lhe antecipar ?

não te procuro e nem te entendo senhora
mas ainda lança seus olhos sobre mim
Sorria e siga teu caminho de tristeza e dor
Pois o coração não entende sua ronda. 

*******************************************************************
Fica chato falar desta coisa em plena primavera, mas aconteceu quando assistia a um programa onde pessoas se arriscavam em esportes radicais, como a desafiá-la e às vezes nos parece, que ela tem hora e local certo.
Será que se assim se processa mesmo?

******************************************************************
Toninho
29/09/2011

Quando a morte vem chegando, parece que as pessoas ficam em paz. Param de lutar contra ela e se entregam com uma docilidade quase incompreensível." (Zevi Guivelder)