Páginas

quarta-feira, 14 de março de 2012

O tear das Serras.












Inhazinha nasceu e viveu pelas terras mineiras nas primeiras décadas após abolição da escravatura. Uma linda mulher que encantava e inspirava os pintores da época na fartura do busto e no brilho alvo dos dentes.

Ela se tornara conhecida na operação de um tear. Com seus movimentos rápidos e sincronizados ela mais parecia uma aranha em meio aqueles fios que tomavam vida e encantavam os olhos espantados da população serrana, tal a perfeição e beleza de sua produção.

Quando arguida sobre sua perfeição com um sorriso nos lábios dizia:

_ O segredo na arte de tecelã está no amor que se toca nos fios e eles nos retribui dando vida ao tecido, o segredo é a suavidade dos toques das mãos num processo de caricias.

Mas Inhazinha tinha um sonho, que era retratar num tecido a beleza dos campos por onde ela vivia e às vezes passava horas nos movimentos e troca de cores de fios. Perfeccionista sempre julgava que não estava próximo ao que idealizara. Algumas vezes perdia a ternura e com fúria desconstruía todo trabalho de um dia, outras jogava tudo num velho baú herança de seus familiares.

Certa manhã sua amiga e vizinha percebeu certo silencio na casa de Inhazinha, então começou a gritar por ela. Sem nenhuma resposta, rapidamente foi para os fundos da casa, onde um gato dormia na janela, mas a porta estava fechada. Preocupada e com medo a vizinha Joana, arrombou a porta e para seu espanto encontrou Iazinha desacordada junto do tear e enrolada num lindo tecido, que mais parecia uma tela. Pelo chão, fios de todas as cores espalhados.

Joana movida pela emoção da beleza do que vira, explodiu num grito que fez acordar Inhazinha. Joana correu para lhe abraçar, por saber que ela estava viva. Então Inhazinha após tomar um copo de água, relatou de sua jornada noite adentro naquele tear desesperadamente na busca do tecido perfeito de seu sonho.

Visivelmente cansada Inhazinha confessou que na madrugada, quando já sem animo, sentiu um toque de uma mão suave sobre as suas e um clarão no quarto e naquele instante o tear parecia vivo e encantado com movimentos mágicos e suaves reproduzindo em tecido tudo que idealizara,quando pronto, movida de alegria e espanto enrolou-se no tecido e adormeceu.

Foi assim que naquela manha da Primavera, todos na região fizeram romaria para conhecer o tecido do sonho de Inhazinha, que sem muita admiração insistia em dizer que fora uma obra dos Céus.




Toninho.

33 comentários:

  1. Que maravilha de conto,Toninho!! Fiquei presa, querendo mais até o final. E que final lindo!!! Parabéns, adorei estranho podemos pelas tuas palavras até ver o trabalho dos sonhos e ela deitada em meio dele... LINDO!! abraços,chica

    ResponderExcluir
  2. Toninho...
    Sabe quando não temos palavras, para falar do amor, por ser este inde Indescritível?Teu texto está assim para mim.

    Não sei como comentar, mas posso dizer que é muito belo.

    Beijinho amigo

    ResponderExcluir
  3. Oi Toninho!
    Que maravilha! No dia da poesia você nos presenteia com este conto que lindo cheio de poesia!
    Obrigada pelas visitas e palavras sempre carinhosas!
    Abração!

    ResponderExcluir
  4. Toninho, tudo que vc faz com amor, com certeza sai perfeito, muito lindo o seu conto. Sei que o dia estar acabando, mas não poderia deixar de vim aqui lhe desejar felicidades pelo dia do poeta, afinal dia de poesias são todos os dias. Obrigada por me chamar poetisa, mas ainda estou engatinhando e preciso aprender muito mais dessa arte da poesia, por enquanto sou apenas uma aprendiz, uma amante das palavras, por enquanto vou admirando as suas belas poesias e torcendo para chegar ao seu patamar rs,rs beijos

    ResponderExcluir
  5. Toninho parabéns pelo Dia da Poesia, você tem alma e coração de poeta.
    Quer maravilha de história, Inhazinha devia ser mesmo uma mulher muito especial... Tudo que fazemos com carinho e amor se torna perfeito.
    Um grande abraço meu amigo.
    ótimo resto de semana.

    ResponderExcluir
  6. Meu querido amigo

    Muito doce e terno este belo texto, sensíbilidade à flor da pele.
    Parabéns pelo dia do poeta e um beijinho carinhoso.

    Sonhadora

    ResponderExcluir
  7. Toninho,que conto mais lindo!Parece mesmo ter vindo do céu!Parabéns,poeta!Bjs,

    ResponderExcluir
  8. Que conto divinal,sensível destacando a magia dos anjos.Gostei,sonhei,Parabéns Toninho.Bjus\Flor*

    ResponderExcluir
  9. Que os anjos nos iluminem sempre, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  10. Toninho amigo mineiro..lindo conto musica doce só poderia vir de você..
    Obrigada pela visita no meu blog..me sinto muito previlegiada quando vais no meu cantinho tomar um café...és visita especial...visita de poeta..
    abraço...boa quinta feira e uma boa noite......sem dor né amigo?
    titi

    ResponderExcluir
  11. OLá Toninho,

    Que texto lindo, sensível
    como o cantar da inspiração,
    o trabalho abençoado feito por
    artes das mãos...


    Delicada e quão menina
    inspirada pelos dias
    encanto que não desafina
    nas belezas da poesia...

    Poetas ou não, mas que amam
    a poesia
    Feliz data para todos e que nunca nos
    falte a inspiração...

    Obrigado pelo carinho deixado
    em sua visita no Palavras e Poemas
    Seja sempre bem vindo e por aqui
    vou te acompanhando. Gostei muito dos
    teus textos. Parabéns...

    Bjs

    Livinha

    ResponderExcluir
  12. Meu querido mineirinho, olha eu aqui!

    Chego e dou de cara com essa personagem de humildade grande no texto. Digo humildade, porque esse trabalho é um dom de Deus, e nenhum pode ser considerado mal feito.

    Obrigada pela sua presenca sempre, mora no meu core :)

    ResponderExcluir
  13. Um conto que transportei para a realidade das Minas, enxerguei, ouvi e admirei a beleza da Inhazinha que passou tanta ternura e docilidade..
    Amei amigo!!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  14. Meu querido e talentoso amigo!
    Que conto mais doce...me deixa na comparação que só podia ser coisas suas...
    Vim trazer um beijo e meu carinho em versos
    para homenagiar o dia da poesia...
    bjs meu lindo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  15. Boa noite, amigo!
    Não estou blogando, mas visito os amigos queridos de vez em quando e que prazer ler tão belo conto aqui agora. Você sempre nos presenteando com sua capacidade para as letras. adorei!
    beijos cariocas grande poeta

    ResponderExcluir
  16. O tecido dos sonhos, ainda que proveniente de um tear, seria sempre obra dos céus, de onde veio a determinação, o amor, a inspiração que norteou seu lindo conto. Bjs.

    ResponderExcluir
  17. Boa noite, Toninho, nossa que beleza de conto, viajei em suas linhas e detalhes, e com certeza foi dos céus tal obra, pois o amor e a perseverança em conseguir a realização de seu sonho, fez com que ele se realizasse, a fé, a confiança, fazem o céu nos ouvir, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  18. Muito bonito o conto, Toninho.

    Inhazinha tecia fios de ouro, com suas mãos de ouro, porque eram com certeza mãos abençoadas.

    Abs.

    ResponderExcluir
  19. OI Toninho, bom dia , fiquei encantada com o teu conto, e simplesmente lindo, a criatividade,emoção, junto ao talento e a sensibilidade, fizeram esta maravilha. Parabens pelo conto e pelo dia da poesia. um abra carinhoso Celina.

    ResponderExcluir
  20. Passando hoje para avisar que estarei ausente nas visitas por uns dias, estou mexendo com mudança, tão logo tudo normalize voltarei.

    Obrigado pela compreensão amigo.

    Bom dia!

    beijooo.

    ResponderExcluir
  21. Linha a linha, tecido nesse tear amoroso, teu conto na pessoa de Inhazinha faz sonhar, convida os olhos a encenar os fatos, lugares e gentes deste mundo particular.
    Encantadora história, meu amigo, que nos deixa a matutar!!
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  22. Oi Querido toninho,

    Adoro contos, mesmo, que quem conte um conto, lhe acrescente um ponto. E você o recontou, muito bem.
    Inhanzinha era uma mulher, uma tecelâ maravilhosa, que desejava tecer o mundo doutras cores, cores perfeitas, ideais.
    Esperemos, que existam ,ainda, muitas "Inhanzinhas" para darem novos tons às nossas vidas, ao Mundo.

    Grata pelo seu doce comentário, em meu blog.
    Beijos e carinho e luz.

    ResponderExcluir
  23. Que inspiração mais encantada você teve aqui meu amigo, lindo poema, um sonho de qualquer artesã que ama o seu ofício...lindo dimais...beijos amigo...

    ResponderExcluir
  24. Você teceu belissimamente bem com suas palavras, amigo, adorei ler seu conto.
    E estou muito feliz com sua companhia lá no meu outro blog também. viu? Seja super bem vindo, beijinhos,
    Valéria

    ResponderExcluir
  25. Olá Toninho,
    Que bom ler sobre o imaginário de pessoas inteligentes, gostei! Obrigado por sua visita.

    Um abraço, paz e bem

    ResponderExcluir
  26. Amigo Toninho boa noite!
    Passeando por aqui para lhe saudar! Ando ausente sofrendo de um tremendo resfriado o qual deixa-me só querer sonhar e "enrolar-me" em tecido tão caloroso e colorido!
    Literalmente estou no momento enrolada enquanto saudosa passeio por aqui!
    Uma linda noite!
    Lembranças
    Ange.

    ResponderExcluir
  27. Que história nota mil! Coisa de mestre!

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  28. Bela história da vida. Nos tecemos nossos caminhos e damos as cores que escolhemos. E quem sabe! A tela mesmo nos surpreenda.
    bjs.

    ResponderExcluir
  29. Que bela história da vida. Tecemos nossos caminhos e damos as cores que escolhemos. E quem sabe! Nos surpreendemos.

    ResponderExcluir
  30. Olá Toninho,

    Que conto lindo e envolvente! Enquanto lia, as cenas iam desfilando diante de meus olhos, tal a precisão da narrativa.
    A força do sonho de Inhazinha fez com os céus
    conspirassem a favor de sua realização.

    Maravilhoso!

    Um abraço especial por sua sensibilidade poética.

    Bj.

    ResponderExcluir
  31. Um tecido de sonhos, encontrado no encantador sonho de Inhazinha, daria pra vestir belas musas para encantarem os olhares poéticos e com isso causar inspirações perfeitas.

    ResponderExcluir
  32. Inhazinha mãos de ouro ,tal qual uma delicada aranha tecendo com fios multicoloridos o melhor trabalho que sonhara.
    Amigo Toninho.
    Encantei-me demais da conta. Essa história é a mais bela inspiração do divino.

    Um carinhoso abraço.

    ResponderExcluir
  33. Nossa! Este conto reviveu minha mãezinha mais do que nunca dentro de mim... Tenho várias cobertas de algodão e de lã tecidas por ela. Meus irmãos quando jovens, só vestiam calças costuradas com tecidos criado por ela...
    Ah Deus... Quantas saudades...

    Beijo-te.

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.