Páginas

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Ausencia



Quisera não sangrasse esta ferida,
Silencio martírio em minh’alma.
Nada na noite vazia que acalma,
O coração que se vê sem guarida.

A esperança cobre-se de fantasia
Viaja no céu as estrelas brilhantes,
Testemunhas dos olhos suplicantes,
Pelo aconchego de sua companhia.

A tua ausência é uma armadilha,
Prisão dos desejos que me isolam,
Como solidão do naufrago na ilha.

Cantarolo tua ausência na sangria,
Lagrimas que nas noites inundam
O meu peito regente nesta eufonia.

Toninho.
06/02/2013.
************************************************
O amor calcula as horas por meses, e os dias por anos;e cada pequena ausência é uma eternidade.  (John Dryden)



37 comentários:

  1. Quanto sentimento em palavras poéticas. Ah! a ausência amada que maltrata e não se consola.
    bjs


    ResponderExcluir
  2. Engraçado pensar que a ausencia as vezes pode ser muito mais presença...
    Beijos Toninho...

    ResponderExcluir
  3. Lindo,Toninho! Quando amamos, pouco tempo longe, parece muito! Muito legal! abração,chica

    ResponderExcluir
  4. Falta a presença. E sobra tanta falta.

    É!

    Beijo na alma, amigo
    Sam

    ResponderExcluir
  5. Gosto das poesias e do quanto ela segreda os amores os sentimentos mais puros os segredos,
    E ficamos a cantarolar a ausência,corajosamente.
    Lindo poema Toninho
    um bom abraço

    ResponderExcluir
  6. Quando estamos apaixonados, está distante do amor é um verdadeiro martírio... o tempo não passa e as noites são tristes e agonizantes. Beleza de soneto querido amigo. Um abraço.
    - Coloquei uma imagem tua com o link do teu blog na minha página de "Sigo e recomendo", se não quiser diga que retiro (já que vc não tem selo)
    http://poesiasesonetos.blogspot.com.br/p/blog-page_10.html

    ResponderExcluir
  7. A ausência do do ser amado é uma dor tão profunda que corrói a alma e faz sangrar o coração. Uma lindeza o seu poema. Os versos são tão intensos que doeu aqui meu amigo. Beijinhos de luar!!

    ResponderExcluir
  8. A poesia fala do profundo da alma. Bela exposição. Desejo um dia maravilhoso.

    ResponderExcluir
  9. Bom dia,Toninho!!!

    É bem assim...quando amamos, ficar longe é um tormento...bem sei!rs
    Quando tirei uns dias de férias e meu marido não foi(estava trabalhando...)me senti assim...como seu soneto!A mana que o diga!rsrs
    Beijos, meu amigo poeta!

    ResponderExcluir
  10. Mas, tem o lado bom também.
    Os reencontros, a rotina que não desgasta...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. A ausência deixa vazios, mas ao chegar tudo acaba.
    Xeros

    ResponderExcluir
  12. Olá Mineirinho,
    Quantos vazios deixados pela ausência. O melhor de tudo é a emoção e os prazeres nos reencontros. A qualidade supera a quantidade.
    Bons fluidos.

    ResponderExcluir
  13. Ausências precisam ser preenchidas, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  14. Ah! Como machuca a alma a ausência do ser amado, hein Toninho?...Adorei sua visita, Beijos!

    ResponderExcluir
  15. E a dor chega a ser física.beijo Toninho!

    ResponderExcluir
  16. Olá, querido amigo!

    Que lindo poetar...
    A ausência para quem ama é uma flecha que atravessa o peito. Dói e faz sangrar.
    Muito inspirado mesmo.
    Beijos e o meu carinho.

    ResponderExcluir
  17. Olá, Toninho
    Obrigado pelo carinho nas minhas férias mais prolongada... to voltando agora...
    Felicito-o por poema tão sentido no coração... sai da alma...
    A saudade dói demais... sei do que fala...
    Bjs fraternos de paz e alegria

    ResponderExcluir
  18. Oi meu amigo, um Soneto profundo, cheio de sentimentos, a dor de uma ausência... muito lindo.
    Bom fim de semana, beijos pra ti!

    ResponderExcluir
  19. Toda angústia da ausência foi aqui esmiuçada pelos versos pungentes do poeta.Triste e belo a um só tempo.
    Bom fim de semana.Muitas bençãos!
    Abraços,
    Calu

    ResponderExcluir
  20. Amigo António, coração ferido, ferida que sangra, mas muito bem trabalhado, o poeta não é obrigado a fazer poesia alegre, quando se escreve o que se sente, torna-se um desabafo e imortaliza-se o momento. Gostei é um bom poema.
    António.

    ResponderExcluir
  21. Oi, querido Toninho!

    Belo poema, embora nostálgico.
    Lamentamos a distância, a ausência da pessoa amada, mas, por vezes, até que fortifica e consolida a relação.

    Bom fim de semana.
    Beijos da Luz, com estima e ternura.

    Luzes e Luares

    ResponderExcluir
  22. Junta-se a bela canção, as imagens e o encanto do soneto, considero a noite do meu sábado perfeita.

    Bom domingo, Toninho.

    ResponderExcluir
  23. Oi, Toninho agradeço sua visita em meu cantinho e por segui lá. Tmb pelo carinhoso comentário. Te convido para conhecer meu outro blog vai lá deixa tmb sua marquinha. Tenha um dia maravilhoso na presença do Senhor Jesus.

    ResponderExcluir
  24. ♪♫º♫♫º
    Olá, amigo!

    Por que quem ama sofre? Por que a ausência é um tormento?
    Poema perfeito... por que tanta dor? "Todo poeta é um sofredor."

    ღ°Bom domingo! ♪♫º
    ♪♫♫º Beijinhos.
    ♪♫º Minas.♪♫♫º
    ♫♪•.

    ResponderExcluir
  25. Olá amigo!
    Por que será que quem ama sofre tanto?
    Amor e sofrimento andam sempre de mãos dadas...

    Um grande domingo pra você!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  26. Olá Toninho, querido amigo,

    A triste dor de uma ausência fica estampada em teus bonitos versos! Feliz inspiração!!!
    Parabéns!
    Beijos, Vilma

    ResponderExcluir
  27. Toninho,sempre belas poesias e a ausencia de quem se ama é sempre uma grande dor de amor!Muito bom te visitar !bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  28. Belo soneto meu amigo, A ausencia realmente faz sangrar o coração.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  29. Olá boa tarde!
    Andei por aqui a ler os seus poemas. Gostei e fiquei!
    Você tem muita inspiração e escreve sonetos de forma maravilhosa.
    A ausência do ser amado dá uma imensa saudade!
    Abraços de Portugal.
    M Emília

    ResponderExcluir
  30. A ausência é motivo também de inspiração para os poetas. É sempre bom vir aqui e ler suas poesias.

    Abraço

    ResponderExcluir
  31. Toni,

    As estrelas testemunham grande parte de nossas angústias. Lindo poema meu amigo! Gr. Bj.!

    ResponderExcluir
  32. BOA NOITE AMIGO QUERIDO !!!!
    SUA AUSÊNCIA NO POETAR ME FEZ LEMBRAR MINHA AUSÊNCIA AQUI NO SEU CANTINHO ...ESTIVE AUSENTE POR UM BOM TEMPO,MAS AGORA DE VOLTA,ESTOU AQUI ME DELEITANDO NA SUA AUSÊNCIA POÉTICA...
    BJSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  33. Fiz uma visita pelo seu blogue e, fiquei deslumbrada com a arte e o movimento das suas palavras...numa leveza que se sente, mesmo quando o tema dói como é o caso da saudade...

    O meu abraço poético e a promessa do meu regresso sempre que me seja possível...:)

    ResponderExcluir
  34. Soneto de amor é tudo de bom.
    E deste teu jeito, poeta!
    Bom!

    ResponderExcluir
  35. Boa tarde, amigo. Belíssimo soneto onde as emoções ficam muito transparentes.
    A ausência do ser amado é como corte de navalha, sangra até a hemorragia.
    Tomara que essa ausência tenha um fim e a felicidade encontre o poeta.
    Parabéns!
    Tenha uma excelente semana e fique na paz!
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  36. A ausência aguça as ideias do próspero e bom poeta.
    Abração.

    Tenho tido problemas com os sinais da internet.

    ResponderExcluir
  37. Meu amigo

    A dor da ausência foi lindamente retratada em seus versos. Ela traz melancolia e lágrimas. Não questiona o tempo, eis que este não passa quando nos deixamos envolver por ela. Bjs.

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.