Páginas

domingo, 8 de março de 2015

As dores da mulher.










A Norma Emiliano em homenagem ao Dia Internacional das Mulheres propôs uma blogagem coletiva para expressar sobre esta violencia contra as mulheres de todo o mundo, principalmente aqui.
Confira as participações aqui:pensandoemfamilia.com.br/


Minha participação.

As dores da mulher



A cada dia uma mulher chora sob a violência masculina, com maldades e requinte de perversidade. Chora e se cala numa estranha omissão de seus direitos, muitas vezes em nome de uma união, que só existe na sua cabeça de preservação da prole. Há um sistema, que fecha os olhos para a situação critica das mulheres, que vivem sob o domínio do medo, acumulando cicatrizes e vergonhas das manchas, que proliferam pelo corpo massacrado no dia a dia. 

Ninguém parece ver suas lágrimas de sangue, seu olhar cada dia mais distante, sem brilho perdido na esperança vã de uma trégua, que possa lhe restituir o prazer de viver, de cantar de alegria, além das canções melancólicas no banheiro quando toca e retoca cada mancha, cada ferida dos momentos da violência sofrida. 

Ah, como sofre esta mulher sequestrada da liberdade de sonhar, punida por seu par, escravizada na vil obediência da falsa vida conjugal, que lhe suga sistematicamente as forças, num processo de fragilização da moral e autoestima. Esta se lança no lodo da relação, não vê saída, nem mesmo uma tênue luz no fim de um túnel e permanece na escuridão, que lhe é imposta a conviver com o fantasma domestico que habita sua vida de horrores.

A estas pobres mulheres apenas restam a busca às orações pedindo forças para suportar cada dia, como se a esperar uma nova manhã de uma mudança, que lhe restituirá a alegria, o perfume do prazer. Senhor olhe para elas, pois que a Penha não lhes protege, a Penha apenas as denunciam aos seus algozes, que ferozes e embrutecidos da humilhação lhes aplicam o golpe final como se fosse uma estranha redenção da vida martirizada, que lhe negara os direitos de sobrevivência em paz.

Os números são assustadores e crescentes das mulheres, que tombam assassinadas pela inoperância das autoridades na aplicação das leis e supervisão desta na garantia de vida e liberdade da mulher, que a ela se refugia para resgatar seu mínimo direito, o da vida.



Salve as mulheres que vão à luta e não se entregam no silencio das torturas de seus algozes.


Toninho.
07/03/2015
*******************************************************************
Mais coisas minha aqui: http://toninhobira.blogspot.com.br/

34 comentários:

  1. Incrível que ainda existam tantos e tantos casos assim,não é? Belíssima tua participação denunciando e dando forças aos gritos e lutas dessas mulheres para que saiam disso tudo! Muito boa tua participação! abração, tudo de bom, chica

    ResponderExcluir
  2. E eh verdade! Infelizmente muitas sofrem e se calam!
    Bela participacao!!! Amei!!!
    Bjs e otimo dia!

    ResponderExcluir
  3. Toninho, Eu fui criada com meus tios e minha tia deu-me um conselho antes de me casar:( foi o que aconteceu com ela, mulher que sempre trabalhou e teve seu dinheiro).
    “Um dia seu tio, meu marido, por nada veio agressivo, me xingando e ia me bater e eu peguei uma cadeira pesada daquele tempo e disse: venha me bater eu arrebento essa cadeira na sua cabeça e ele retrocedeu.
    Por isso eu digo que mulher tem que estudar antes de se casar, ter um bom emprego, aprender qualquer defesa pessoal e enfrentar o "bixo"; isso acontece só uma vez, ele fica mansinho como um carneirinho.
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  4. Oi Toninho
    Os dados são alarmantes, mas sabemos que a violência tem imperado em nossos cotidianos. Sofrermos calados é a pior das soluções, portanto vamos alardear e caminhar no sentido de tempos melhores.
    Graa pela sua adesão sempre as minhas propostas.bjs

    ResponderExcluir
  5. Olá, amigo Toninho
    Lágrimas de sangue são roladas nas faces de quem muito ama e não é amada, na certa... caso contrário, não seria assim, seriam até lágrimas de emoção e felicidade... que podem acontecer... tem outro tom...
    Feliz do homem que valoriza as mulheres pois são frutos delas...
    Bjm quaresmal

    ResponderExcluir
  6. É triste e doloroso ver essa situação ainda! Era da comunicação da velocidade do conhecimento e isso continua ainda na idade da pedra! Não é possível! Que as mulheres não se calem mais Abração!

    ResponderExcluir
  7. Dia da mulher e apenas mais um dia para quem ainda neste mundo sofre tamanhas crueldades ,um grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. E só não maior a taxa de homicídios porque muitas mulheres se calam por medo, vergonha e até esperança.E por incrível que pareça, alegando amor. É triste!
    Participação belíssima! Adorei!!
    beijos
    Amara

    ResponderExcluir
  9. Estatísticas de uma realidade triste que as mulheres vivem e lutam, algumas porém ainda caldas tentando sair dessa triste realidade. oremos por cada uma e que haja mais consciencia e amor

    ResponderExcluir
  10. Oi Toninho! Infelizmente é esta a realidade...estas mulheres só tem uma saída: ter coragem e enfrentar o problema! Tem que ter uma saída sim! Se calar jamais!

    ResponderExcluir
  11. Oi Toninho! Infelizmente é esta a realidade...estas mulheres só tem uma saída: ter coragem e enfrentar o problema! Tem que ter uma saída sim! Se calar jamais!

    ResponderExcluir
  12. Boa noite Toninho, os números disparam cada vez mais e temos que dar voz a tantas mulheres que por medo não falam, o que a acontecer elevaria ainda mais os números das vítimas!
    Dura realidade esta que tratou aqui de forma realista e muito elevada!
    Um excelente contributo ao apelo da Norma Emiliano.
    Beijinhos e boa semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  13. OJALA TODAS LAS MUJERES TENGAN EL CORAJE DE NO QUEDARSE CALLADAS.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  14. São dados alarmantes, uma triste realidade trazida por você nesta postagem.
    E ainda muit@s de nós tem de ouvir que quando as mulheres reclamam, denunciam esta realidade, estão exagerando.
    Estes números mostram a verdade.
    Ótima postagem e participação.
    Boa semana
    Mari

    ResponderExcluir
  15. Muita coisa ja mudou... ta ai a lei Maria da Penha... mas... a realidade ainda continua brutal...

    Beijos, Toninho...

    ResponderExcluir
  16. Bom dia Toninho.
    Uma bela participação, confesso sem querer julgar as mulheres que aceitam agressão,mas não compreendendo como elas aceitam se tratada de uma forma dessa. O meu pai sempre me disse que nenhum homem sai agredindo fisicamente a mulher sem antes ter praticado agressão verbal, dessa forma a mulher aceita tudo e termina apanhando.. Desculpa a expressão infeliz do homem que levante a mão para mim ou para a minha filha ficaria sem mão rsrs. Uma linda semana. Beijos.

    ResponderExcluir
  17. A realidade nua e crua que, infelizmente, a Lei Maria da Penha ainda não deu conta de frear.
    Covardes são aqueles que sobre a mulher joga a sua força de perversidade.
    A tua participação não precisa de comentários de tão bela e presente.
    Abração.

    ResponderExcluir
  18. A realidade nua e crua que, infelizmente, a Lei Maria da Penha ainda não deu conta de frear.
    Covardes são aqueles que sobre a mulher joga a sua força de perversidade.
    A tua participação não precisa de comentários de tão bela e presente.
    Abração.

    ResponderExcluir
  19. Toninho, querido amigo,
    Não é por ser mulher que me dói esta escravatura. Mas é insuportável ver mães e companheiras tratadas como seres de segunda espécie. Isto no século de todos os avanços!
    Obrigada pelo seu post maravilhoso. Nem admira. Está à altura do Homem que é! Um Ser fantástico!
    Fraterno abraço! **

    ResponderExcluir
  20. Oi Toninho, boa noite , estou feliz por estar de novo me comunicando com vc. mais infelizmente estão mandando vírus estou procurando solucionar mais está sendo difícil. Estou Muito feliz por vc participar na defesa das mulheres que sofrem do marido, isso prova a grandeza do seu coração.Abraços.

    ResponderExcluir
  21. Muita ainda por se fazer pelas mulheres, embora algumas conquistas já tenham se realizado.
    Abraço

    ResponderExcluir
  22. Boa noite Toninho!

    Essa é a realidade dura e crua. A lei não favorece nada a mulher, por isso são tratada dessa forma. E muitas se silencia por medo de ser agredida novamente ou morta.
    Tua participação ficou excelente.
    Desejo uma excelente semana!
    Um excelente mês de março!
    Um Beijo!

    ResponderExcluir
  23. Oi Toninho!

    Bela homenagem!
    Você tocou em um ponto crucial, meu amigo, a violência contra as mulheres.
    É inaceitável o que ocorre em nosso país, melhor dizendo, no mundo inteiro.
    Realidade dolorosa...
    Que um dia isso também venha a mudar, não é?
    Que a covardia desses homens seja transformada em respeito!
    Grata pela linda homenagem! Amei!

    Linda semana!

    Abraços iluminados

    ResponderExcluir
  24. Oi Toninho
    Que beleza de texto, quantas mulheres aguentam as agressões, os maus-tratos por não terem condições de sobrevivência fora daquele relacionamento, dependem do homem para lhes garantir o pão de todo dia.
    É muito triste e um absurdo este tipo de comportamento em pleno século 21, com tantas informações e tecnologia avançada.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  25. Toninho,
    seus textos são sempre maravilhosos!
    As mulheres ainda não conseguiram muito, mas
    tenho a certeza de que com vontade, determinação, profissionalismo e muito posicionamento, alcançam posições até superiores no trabalho, através de concursos públicos!
    Basta ter postura!
    bjus,amigo!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  26. Oi, Toninho!
    Muito mais que leis, a mudança de comportamento. Não deveria ter que existir esse tipo de lei, tanto para proteger as mulheres como também as crianças. O agressor copia um modelo e cabe a mulher afastar-se desse tipo de homem. A bebida alcoolica também é um ingrediente que faz aflorar esse ódio latente. A existência da lei, de certa forma é educativa, mesmo que ela não seja eficiente 100%, mas para que essa lei possa ser cumprida à termo, a mulher também tem que fazer a sua parte.
    Eu estava lendo os comentários e, em um deles li havia o confronto, o que não aconselho. Melhor procurar por ajuda do que tentar enfrentar um homem. Vai que ele seja doido varrido?
    :)
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  27. Toninho,

    Essa violência crescente, tem me assustado.
    Muito triste e preocupante o rumo que as coisas estão indo.
    Não participei dessa BC, mas eu gostei muito da ideia. Precisamos aproveitar os nossos espaços, para falar a verdade, e gritar pelos nossos direitos.
    Bela participação! Abraços

    ResponderExcluir
  28. Olá amigo,

    Você disse muito bem, pois a Penha não está sendo capaz de coibir a violência e abusos contra a mulher. Acredito que a lei precisa de ajustes e que o Estado precisa se equipar para dar sustentação a essa lei. Infelizmente, o medo e a dependência acabam por fragilizar a mulher, a ponto dela silenciar diante dos maus tratos e abusos de seus parceiros. Denunciar é preciso, mas temos visto muitos casos em que as medidas protetivas são violadas pelos denunciados, que acabam por matar suas mulheres. Situação muito difícil e repugnante. Acredito que a Lei do Feminicídio, sancionada pela Sra. Presidente, poderá criar um freio maior à violência contra a mulher, já que transforma em crime hediondo o assassinato de mulheres decorrente de violência doméstica ou outras questões de gênero. Tomara!

    Excelente participação.

    Grande e carinhoso abraço.

    ResponderExcluir
  29. Participação bem esclarecedora e coerente! Realmente, é preciso mais conscientização e "gritos" para que medidas justas venham à tona!
    Seus posts são sempre "despertantes" e animadores!
    Abraços

    ResponderExcluir
  30. Dia oportuno para esta reflexão e divulgação dessa monstruosidade contra as mulheres, que no mundo inteiro ainda são tratadas com tanto desrespeito. Obrigada pela visitinha! Paz e bem!

    ResponderExcluir
  31. Meu amigo, consistente e muito belo seu texto. Ainda que tenha discorrido sobre uma realidade sofrível, abordou o tema com sensibilidade e grandeza. Muitas são as circunstâncias de prisão, de violência física e psicológica contra as mulheres. Elas precisam ser levadas a não se submeter, antes que sejam dominadas. A polícia não tem como vigiar e fazer com que sejam cumpridas as medidas de restrição alusivas à aproximação do homem. Assim, eu até as tenho como ineficientes. Deveriam os agressores ser, de imediato, punidos com mais rigor. Bjs.

    ResponderExcluir
  32. Um post forte, mas infelizmente essa é a realidade! É bom ver que existem homens sensíveis que se ressentem com nossas dores! Uma abração Tetê

    ResponderExcluir
  33. Boa noite Toninho
    Triste essa realidade,bem retratada no seu post.Todos somos merecedores de respeito.
    Abraço

    ResponderExcluir
  34. Olá Toni,

    Lamentavelmente nem a Maria da Penha conseguiu mudar essa realidade. Oremos então por estas mulheres para as quais a força parece sequer mais existir.

    Olha, é injusto esse negócio de fazer niver perto do dia da mulher né? rsrs Mas já que o Sr. se omitiu de colocar um post especial, deixo meu comment especial para PARABENIZAR você! Parabéns meu amigo!!! Que Deus possa continuar abençoando ricamente sua vida e provendo sempre esse teu lindo coração de poemas lindos como tenho visto sempre por aqui. Um Beijo e muiiiitoooos anos de vida!!!

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.