Páginas

sábado, 12 de dezembro de 2015

Pequena flor.






Pequena flor nasceu no meu jardim,
era como um grão de areia esta flor,
a minha flor miúda beleza carmim,
a presença marcante com o teu odor.

Pelas manhãs sentia o teu perfume,
Sempre já refeita dos raios solares,
uma fiel espectadora dos queixumes,
que lhe fazia aos estranhos olhares,

Às vezes um transeunte a agredia
com as mãos ácidas. Ela murchava.
Mas no sereno da noite já renascia,
como uma flor da vida e com alma.

Então nas quatro estações mutantes,
sentia a sua força de viver tão pura,
quedava-me aos encantos. E arfante
suspiro silenciosamente na ventura.

Toninho
Dezembro/2015

 
******************************************
Um bom fim de semana a todos. Grato sempre.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Desejos de amar.



Nasce o desejo louco de amar,
Oh, luta frenética neste sentir.
Insaciável preso naquele olhar,
vê-la sensualmente a desvestir.

Quisera uma falta suportável,
que não evocasse esta solidão,
mas vivo o frisson indomável,
que me trai no fogo da paixão.

Amarga condição desta vida,
o fogo se desfaz. Vem a paixão.
O que era a chama vira ferida,
cicatriz que sangra no coração.

Mas o tal tempo que tudo cura,
Sabe como cuidar da nostalgia,
Mesmo envolto numa tortura,
Leva esta dor com sua magia.



Toninho/2015
Dezembro

“A palavra dos homens é o material mais duradouro”. Se um poeta deu corpo à sua sensação passageira com as palavras mais apropriadas, aquela sensação vive através de séculos nessas palavras e é despertada novamente em cada leitor receptivo.
Schopenhauer

 ***********************************
Uma semana maravilhosa para todos.