Páginas

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

A fantasia não é eterna.



Sabia que a fantasia não era eterna,
descobriu ao sucumbir num tropeço,
perdeu-se na escuridão da baderna,
amor de carnaval nenhum endereço.

Agora sobre cinzas lacrimeja o trapo,
em sonhos despetalados na avenida
do folião desmedido, que beijou sapo
na ilusória mutação vinda da bebida.

Abandonado sobre confetes na sarjeta,
um bêbado afogado pelo seu cansaço,
o jornal sensacionalista capa perfeita,
o rosto pintado em forma de palhaço.

Sues olhos inundados buscam o morro,
onde desceu para viver uma emoção.
Ali na calçada imunda pede o socorro,
mas sem forças lhe abraça a desilusão.

A rua lavada com água e alfazema.
que invade as narinas deste vil folião.
Vem o cheiro da sua amada Jurema,
que agora dá a luz só num barracão.


Toninho.
14/02/2016
Aqui também tem mais: toninhobira.blogspot
************************************
Uma boa semana a todos.

33 comentários:

  1. Mineirinho, são muitos os que deixam a família atrás de uma ilusão de carnaval. E ao fim da festa, nada têm para comemorar. Uma belo poema e uma realidade abordada com sabedoria, regada a música de primeira. Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosa inspiração! A festa acaba, restam as lembranças e a realidade está em casa, vida nova que espera por ele! abração, lindo dia! chica

    ResponderExcluir
  3. E, por vezes, procura-se tanto a alegria para fugir da tristeza. Um belo poema escrito com muita sensibilidade e delicadeza. Senti-me muito bem neste seu cantinho tropical!

    Um dia feliz :)

    ResponderExcluir
  4. Quantos fazem isso, fugindo de si mesmo ou da situação que o cerca, até que tudo acaba e só resta voltar para a realidade!
    Um lindo e real poema Toninho!
    Abração!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  5. Tudo tem um princípio e um fim ,um fim talvez nem sempre feliz ,ficam os momentos que se vivem e muitas vezes momentos que extravasam o bom senso e a realidade que se vive ,maravilhoso caro amigo Toninho um grande abraço.

    ResponderExcluir
  6. Ilusão tem fim, realidade não.
    Nostálgico e lindo.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  7. Oi Toninho
    Tão triste seu poema, viver uma ilusão passageira termina como seu personagem.
    Bacana, poeta.
    Um abração.

    ResponderExcluir
  8. Um momento de reflexão.
    Corremos na ilusão que nos enche os dias de nada.
    Depois da festa remexemos as cinzas e revemos os caminhos para viver melhor e com mais razão.

    ResponderExcluir
  9. Toninho,

    Senti que "baixou" o espírito do Mestre Cartola, hein? Grande Cartola! Amo!
    Você soube descrever a essência da desilusão a ponto de tocar o meu coração...

    "Sabia que a fantasia não era eterna,
    descobriu ao sucumbir num tropeço,
    perdeu-se na escuridão da baderna,
    amor de carnaval nenhum endereço"

    Lindo demais, parabéns!

    Bjksss

    ResponderExcluir
  10. Amigo Toninho:
    Retratou tão bem aqueles que vivem na ilusão dos excessos e quando finalmente acordam pode ser já tarde demais.

    Um beijinho

    ResponderExcluir
  11. Amigo Toninho....
    Com certeza descreveu divinamente a alegria mascarada.
    Seus poema é lindo e triste.
    Abraços.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  12. Um amor aventureiro que dura intensamente porém por poco tempo, ou muitas vezes sobre as máscaras da falsa alegria. Lindo teu poetar querido escritor. No blog tem poesia fresquinha

    ResponderExcluir
  13. Boa noite, amigo Toninho!
    Aventuras só as sadias e que nos façam bem, caso contrário é sofrimento puro e a vida não merece isso...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde Toninho.
    Triste situaçao, aos que colocam mascara, ou vive de ilusão, pois a realidade sempre aparece. E pobre dos mortais que se apaixonam no carnaval, pois para muitos é apenas diversão. Um lindo poema. Um feliz final de semana meu amigo. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  15. Espetacular, meu amigo! Em versos muito bem colocados, vc retratou a realidade de muitos foliões e de tantos outros que vão em busca do prazer desenfreado sem pensar nas consequências que isso pode trazer! O triste é que isso acaba sempre envolvendo outra pessoa! Como diz minha irmã: "quer se ferrar (com o perdão da palavra), se ferre sozinho!" Mas nem sempre é assim!

    Bjs, fique com Deus! =)
    Vivendo e Aprendendo
    Fotos e Prosas

    ResponderExcluir
  16. Sabe no que estou pensando? na pobre Jurema!
    Faz uma poesia para ela Toninho, pra ela esquecer esse vil folião. Rsrs
    Brincadeiras a parte, uma linda poesia Toninho.
    retratando a solidão de quem não encontra alegria nem mesmo em dias de carnaval.

    ResponderExcluir
  17. ~~~
    Os excessos pagam-se sempre caro...

    Belo e sentido poema, de grande humanidade.

    ~~~ Abraço amigo, saudoso mineirinho. ~~~


    ~Ps~
    ~~ Não deixe de visitar hoje, Miss Smile.

    ResponderExcluir
  18. ... e tudo vira cinzas naquela conhecida quarta-feira! Volta a vida real, as desilusões, as tristezas de uma triste vida. Lindo seu poema, Toninho! Gostei imenso! Sentimento puro.
    bjus, amigo.

    ResponderExcluir
  19. Uma hora tem de voltar ao normal a vida...
    Abraço Lisette.

    ResponderExcluir
  20. Boa noite Toninho... O retrato verdadeiro da ilusão atrás da máscara, o poema todo é de uma graciosa beleza, mas essa estrofe me encantou>>>

    "Sues olhos inundados buscam o morro,
    onde desceu para viver uma emoção.
    Ali na calçada imunda pede o socorro,
    mas sem forças lhe abraça a desilusão."

    Parabéns...
    Abçs de Paz deixo, com desejos d eum feliz findi!

    Diná

    ResponderExcluir

  21. ✿‿⎠
    "O bom senso é o limite do sonho."

    Bom fim de semana!
    Beijinhos.
    ╰✿╯

    ResponderExcluir
  22. Toninho, que poesia maravilhosa!
    A família é deixada pela ilusão do carnaval.
    "O prazer pode apoiar-se sobre a ilusão, mas a felicidade repousa sobre a realidade."
    Abraço
    Amara

    ResponderExcluir
  23. Amigo poeta,
    amei esse poema de carnaval...
    verdadeiro mesmo!
    Um domingo abençoado,amigo!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  24. E a fantasia se vai..levando consigo um pouco dos nossos sonhos...abraços meus.

    ResponderExcluir
  25. Adoro essa música...traz um encantamento profundo!!abraçoss

    ResponderExcluir
  26. Ilusão carnavalesca que muitos anseiam e se perdem. bjs

    ResponderExcluir
  27. Ainda bem nè Toninho que a fantasia não é eterna_ mas bem que presenciamos muitos 'palhaços'o ano inteiro.. rs
    Saudade daqui , voltando para te ler.
    abraços

    ResponderExcluir
  28. Nada é eterno, muito menos a fantasia. Belo, mas triste o seu poema.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  29. Boa tarde, poeta.
    Palhaço e seus mistérios. Quem consegue enxergar sob sua máscara?
    Lindo, amigo, lindo!
    Abraços e um beijo!

    ResponderExcluir
  30. Boa noite, Toninho.
    Verdadeiramente triste este poema,escolhas ilusórias,consequências amargas,e, num trago, morre por fruto do seu egoísmo,alma desolada.
    A consciência pode acusar-lhe, contudo, não poderá voltar atrás.
    Tomara que ele se perdoe um dia pela volúpia desenfreada.
    Quem sabe assim,Jurema o perdoe?
    Parabéns.
    Beijos e beijos.
    Excelente fim de semana.

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.