Páginas

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Cicatrizes.



Se a vida passa lenta e silente,
as horas se arrastam morosas,
sigo os ponteiros. E displicente
organizo as saudades ruidosas.

Penso os momentos de euforia,
que juntos os vivemos e felizes,
a cada amanhecer de fantasia.
Hoje são as minhas cicatrizes.

Caminho sem saber do destino,
que me reserva neste romance,
vem a infinitude em desatino,
faz alucinar numa vã chance.

Quanto a luz do sol se acende,
meu corpo do pesadelo emerge,
como o renascer no descrente,
há conspiração que tudo rege.

Toninho.
21/02/2017


32 comentários:

  1. Oi Toninho
    Quanta inspiração.
    Eu também curti bailes com orquestras que cantavam músicas italianas
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  2. Oi Toninho.
    E livrinho está desfolhando veio do nordeste pra mim. Agora é tarde, mas amanhã eu converso com o Roberto e vejo o que posso fazer
    Dorli

    ResponderExcluir
  3. "Quero ser a cicatriz
    Risonha e corrosiva
    Marcada a frio
    Ferro e fogo
    Em carne viva"

    Me lembrou Tatuagem de Chico... belissimo poema...
    Beijos,Toninho

    ResponderExcluir
  4. Sigo os ponteiros... Quanta inspiração,Toninho! Ficou maravilhosa mais essa poesia! Gostei muito! abração, ótimo dia,chica

    ResponderExcluir
  5. Olá Toninho,
    Linda inspiração esse poema. Gostei muito.
    Grande beijo

    ResponderExcluir
  6. Bom dia caro amigo Toninho, mais um belo momento ouvinfa a minha já falecida conterrânea ,a vida sempre deixa marcas que nos consomem e nos fazem delirar por momentos de apologia de tanto sentirmos na carne essa estranha saudade ,uma tristeza riquíssima caro amigo Toninho, desejo-lhe uma quarta-feira cheia de encanto, um abraço Emanuel

    ResponderExcluir
  7. Ops!! Que bonita inspiração, Toninho!

    Penso os momentos de euforia,
    que juntos os vivemos e felizes,
    a cada amanhecer de fantasia.
    Hoje são as minhas cicatrizes.


    O título já é lindo para poema.
    Beijo, amigo, gostei muito!!

    ResponderExcluir
  8. Gostei, você escreve maravilhosamente.

    bjokas +)

    ResponderExcluir
  9. O tempo passa e pela vida vamos caminhando, trazendo a nossa saudade no peito, mas é preciso seguir aos ponteiros que morosamente se arrastam.

    Um abraço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  10. Um poema snostálgico e belo, uma escolha musical espetacular.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  11. Que encantamento seguir teus versos desfiados no tear das doces lembranças enoveladas em dúvidas que o futuro trama.
    Bela composição , amigo Toninho e, sem entrar na discussão sobre letra/verso/ poema, eu sugiro que aches uma melodia pra embalar esse lindo poema.
    Abraço,
    Calu

    ResponderExcluir
  12. Um fado e um poema demasiado tristes...
    Porém, a vida é assim: ora é ditosa e alegre, ora torna-se sofrida e amargurada, por vezes, dolorosa...
    E o poeta com a sua apurada sensibilidade é capaz de expressar todas as suas nuances...
    Lamento que o eu poético não tenha espírito para vivenciar um bom Carnaval baiano...
    Para si, estimado amigo, dias muito agradáveis.
    Terno abraço.
    Beijo de paz.
    ~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratíssima pelas palavras carinhosas que deixou no meu blogue.
      Abraço, amigo.
      ~~~~~~~~~~

      Excluir
  13. HERMOSO Y MELANCÓLICO POEMA.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  14. "...E displicente
    organizo as saudades ruidosas."

    Muito lindo, Toninho!
    Mesmo assim é preciso amar!

    Boa semana!

    Bjks

    ResponderExcluir
  15. Bom dia Toninho.
    Um poema triste e tão belo. Como a saudade que é um sentimento triste, doei, ao mesmo tempo belo, afinal a saudade só existe se existir o amor. Amei meu querido amigo, escrever assim com a sua inspiração é para poucos. Estou bem, obrigada pelo carinho e um lindo dia. Estou digitando no cel da minha filha. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  16. olá, Toninho.
    Acho bacana dar essa parada e essa olhada de vez em quando, repensar, rever.
    Avaliar.
    Belo poema!
    Boa tarde, bom carnaval!

    ResponderExcluir
  17. "Seguir os ponteiros" é essencial... Organizar as saudades e cicatrizes é muito importante...
    Poema 10!
    Uma boa noite... Mais e mais inspirações, Toninho...
    O meu abraço

    ResponderExcluir
  18. O amor tudo sofre e as cicatrizes estão ali a sempre lembrar do ser amado. Belo poemar

    ResponderExcluir
  19. O amor tudo sofre e nesse sofrer deixa marcas, cicatrizes que sempre tornam a lembrar o ser amado. Belo poemar

    ResponderExcluir
  20. Toninho, poeta amigo, o seu poema Cicatrizes canta a dor de todos os apaixonados, que nunca terão uma vida de total calmaria, pois sempre haverá uma rusga, um desencanto... e a dor. Um belo poema. Parabéns.
    Um grande abraço.
    Pedro.

    ResponderExcluir
  21. Assim é a vida e que bom poder se rever, organizar as saudades e cicatrizes e não se abater, sempre recomeçar.

    ResponderExcluir
  22. denotando uma certa nostalgia é muito melodioso e inspirador
    bom fim-de-semana.
    beijo
    :)

    ResponderExcluir
  23. Olá querido amigo lindo seu trabalho voluntário o dom de escrever, beijinho

    ResponderExcluir
  24. Boa noite Toninho.
    Olá meu amigo vim lhe desejar um feliz carnaval e feriadão. Abraços.

    ResponderExcluir
  25. Oi Toninho,
    E quando a saudade ruidosa aperta os minutos realmente se arrastam... Mas o lado bom é poder recordar os momentos felizes...
    Beijos ;)

    ResponderExcluir
  26. Amigo Toninho, este seu sentido poema dava uma maravilhosa letra para um fado, pois tem todos os ingredientes para isso.
    Ouvir a nossa Amália é sempre comovente .

    Um beijinho e bom final de semana

    ResponderExcluir
  27. Maravilhoso o teu poema, Toninho! Juro por Deus que quando comecei a ler, pensei teres posado um poeta já imortalizado entre nós como Bilac, Castro Alves, Coelho, Cecília, Augusto, Fernando etc. E quando ao fim vi ser autoria tua, testemunhei o grande talento seu, meu irmão. O poema tem ritmo, mensagem, começo, meio e fim e tem poesia. Parabéns! Obrigado também pela contribuição à história dos ambulantes que narrei em meu blog. Deu-me uma vontade de retroceder ao tempo, por saudade nostálgica, e saborear um queijo de Minas na folha de bananeira. Parabéns. Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
  28. Olá, estimado Toninho!

    Todo o mundo tem "Cicatrizes", umas mais visíveis k outras, mas todos as temos.

    Me deliciei, escutando Amália, a nossa Amália, a diva do fado, cantando, como só ela mesmo sabe: "Estranha forma de vida".

    E seus lindos versos lhe dão seguimento e a acompanham, mto bem. Você escreve palavras tristes, pesarosas, mas qdo o sol se levanta, há auroras em seu peito, em seu olhar e duas mãos k procuram as suas. Bem melhor que carnaval, sem dúvida!

    Agradeço sua visita e gentil comentário.

    Beijos e dias felizes.

    ResponderExcluir
  29. Mais um poema lindíssimo, onde o talento e a inspiração, se revelam no seu melhor!
    Pura maravilha, Toninho!
    Abraço!
    Ana

    ResponderExcluir
  30. Muito bom este post.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.