Páginas

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Mineiro é assim













Como todo mineiro tenho um trem nos olhos

Na minha fala mansa um apito na imensidão.
Como mineiro chorei as montanhas devastadas
Sonhei novas renascendo no vermelho chão


Aprendi a ouvir e contar piadas e prosas
Olhar para as moças e nunca dizer nada
A suspirar de medo nas estradas sinuosas
Quando a velha jardineira descia desembestada


Aprendi a cortar fumo na noite estrelada
Sentado num banco na porta de minha casa
De cócoras, agachado com uma lamina afiada


Como mineiro entendi bem cedo o que é solidão
Do alto de uma serra a olhar minha cidade
Vendo o trem carregar a terra na imensa composição.


Toninhobira
31/01/10

6 comentários:

  1. Esse mineiro que chora, e sonha,
    que aprendeu cedo a boa educação
    cortou fumos em noites estreladas
    que tinha medo da jardineira desimbestada,
    hoje é esse poeta, que traz a nós extraídos
    de sua alma e coração, belos, intensos,
    e comoventes versos, que invadem o ser da gente,
    e vai se aconchegando, aliviando nossas dores
    e aflições... Ah! Poeta... Como é gratificante te ler!
    Pois mesmo em versos melancólicos, seus poemas
    trazem paz e acariciam nosso coração...

    Que lindo poeta! Quanta emoção jorrando nas
    entrelinhas desse teu maravilhoso poema...!
    Carinhos... Bjsss

    ResponderExcluir
  2. Bom final de semana pro cê trem!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Meu amigo voce tem razão e motivo para cantar em prosa e versos sua amada Minas.
    Me vêm à mente, vários personagens que elevaram bem alto o solo sagradao das Minas Gerais.
    Seria uma lista e aqui não quero me estender mas com certeza, teu poema já insere todas as pessoa que nobremente souberam tornar essa terra tão gloriosa.
    Um abraço, parabéns pela poesia que torno na condição de uma música.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. "Não precisa medo não
    Não precisa da timidez
    Todo dia é dia de viver
    Eu sou da América do Sul
    Eu sei, vocês não vão saber
    Mas agora sou cowboy
    Sou do ouro, eu sou vocês
    Sou do mundo, sou Minas Gerais"

    Para Lennon e Mc Cartney, para você e para todos os mineiros que estão emprestando a sua graça e a sua hospitalidade por este mundão afora.
    Abração, meu amigo. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  5. Meu querido amigo, adoro os seus poemas cheio de nostalgia, essa nostalgia que nos faz fazer a viagem na sua locomutiva,
    tão cheia de sonhos.
    Beijinhos de luz e paz

    ResponderExcluir
  6. Saúde e paz, para vc poeta, mais um verso, mais um canto a tua Minas Gerais que tambem é nossa, quando aí vou me encan ta as montanhas, e o seu chão vermelho, So não tenho o dom da poesia , mais o meu coração sim. um abraço carinhoso Celina.

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.