Páginas

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Perdas

 





 Imagem Google





Sentimento de Perdas e o tempo.

Por muitas vezes tentei entender o fim das relações. E assim alimentava a certeza que a causa estava no processo desgastante do tempo. Uma corrente cria e afirmava ser uma crise normal do tempo. Onde as pessoas estariam expostas, sendo preciso toda sorte e cumplicidade aliada a uma cooperação, para sobreviverem a esta fase da vida afetiva. Mas como poderia ser o tempo o grande vilão e responsável? Se sempre nos ensinaram como máxima, que é o próprio tempo que nos amadurece e nos torna mais experientes?

É este mesmo tempo, que nos faz aprender e a repensar.

Sempre cri na expressão de dar tempo ao tempo, para amenizar minhas mazelas e ou minhas aflições. O mesmo sempre atendeu minhas suplicas nos momentos de angústia concedendo-me as realizações dos desejos. Foi com ele, que aprendi a aceitar o sofrimento pelas mortes, com as perdas que me rodeavam num verdadeiro processo vendaval de eliminação das pessoas, que mais amava e queria juntas de mim, em meus momentos de alegrias e tristezas. Elas eram retiradas como frutas amadurecidas de uma frutífera árvore e assim passei a entender que frutos maduros também apodrecem quando não colhidos. Aprendi a assimilar a morte como um fruto, que não mais pode ficar na arvore e a dor da perda tornou-se aceitável ainda que maltratasse. Coisa da mania de achar, que podemos eternizar ao nosso lado as pessoas como uma propriedade.
Mas a pior perda em forma de morte é ter que enfrentar a estúpida e inaceitável inversão da partida, este parto ao contrario, como dessas mães que enterram seus filhos em plena juventude, no ápice de seus sonhos dourados, contrariando nossa lógica. Assisti esta dor, ao ver meus pais sepultando uma filha de cinco anos vitima de acidente domestico com fogo e mais tarde um filho aos 33 anos vitima de infecção hospitalar. É muito triste ver aquele olhar sobre o caixão como a querer a substituição. Uma triste imagem gravada em minha mente.
 Então, perda é esta dor, que não tem como estancar simplesmente entregando no colo do tempo, para que ele num sopro possa aliviar esta terrível saudade que carregamos para o resto de nossas vidas, como um fardo pesado.


 Do lado esquerdo carrego meus mortos.
Por isso caminho um pouco de banda.” (
Carlos Drummond de Andrade)

************************************************
Texto para um exercicio no blog pensandoemfamilia da querida Norma, que agora
publico aqui para os amigos que não leram por lá.

***************************************************
 A visão de Cacá do blog Uai mundo?...
 http://uaimundo.blogspot.com/

"A morte é mais bem aceita quando vem no decurso de prazo. É do ciclo natural nascer, ter a perspectiva da digna existência e ir-se. Eis o decurso. Vindo antes é intromissão,enxerimento, é descombinado.
É recado mal dado, é amor deslembrado, é tempo inclemente com os distraídos. Aconselhei-me com a morte. Sendo ela o fim de tudo, sabe mais do que a vida. Dá-lhe rumo se bem ouvida. Faz-lhe sentido, se não olvidada."
**********************************************************
Assim pensou e inspirou Catia Bosso.
http://catiabossopoesias.blogspot.com/
Em parto inverso
Sofre-se inversamente em verso
Verso mal recitado que nem há autoria
Verso mal sentido que nem há utopia.
Parto inverso, dor no reverso.
Nada que doa mais, agruras malogradas.
Veste sem cor.
Fúria sem par.
Queria o poeta sempre fazer-se olvidar
Tal a tela que nunca se fará arte
Enquanto a mãe em derradeira hora, se esguia em parto....se esvai em revezes...
************************************************************
Toninho
15/04/2011

28 comentários:

  1. Um texto sincero, e muito bem escrito, transmitindo toda sua emoção.

    ResponderExcluir
  2. Toninho!
    Tens razão, pois só mesmo o Tempo para curar nossas feridas, até as mais profundas.
    Adorei isso: "passei a entender que frutos maduros também apodrecem quando não colhidos."
    Tentarei lembrar-me sempre desta preciosa frase quando estiver diante do inevitável.
    beijos, cariocas

    ResponderExcluir
  3. Adorei por lá na Norma quando publicado e vale muito trazer pra cá.Um texto lindo ,profundo e cheio0s de sabedoria. abração,linda semana,chica

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Lá como cá, sua expressão sincera das perdas.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Deveria ser proibido os pais enterrarem seus filhos.
    Minha sogra já enterrou 4 filhos depois o marido e o net.
    Eu sei bem o que é ver esta dor nos olhos de alguem que sofre tamanha perda.
    Lindo, reflexivo e verdadeiro teu texto.Parabens.beijos na alma

    ResponderExcluir
  6. Perda é tão dolorido. Só serve para a gente lembrar que tem coração bom e forte....tristes perdas.... o tempo vai nos ensinando a deixar que tudo passe por nós....o desapego.... a gente vai treinando na prática, entre lágrimas e lágrimas....
    Lindo texto!
    Beijos querido!
    Obrigada pelo voto!
    :D
    Carla

    ResponderExcluir
  7. Amigo, eu não sei lidar muito com a perda de pessoas que eu amo. Só entendi esse sentimento de perto quando perdi meus pais derepente, num espaço de 6 meses os dois se foram. Perdi também um sobrinho num acidente terrível de carro. Isso me fez ver que tenho que estar preparada mesmo que meu coração rejeite isso. Frases bem colocada do(Carlos Drummond de Andrade)“Do lado esquerdo carrego meus mortos.Por isso caminho um pouco de banda.” Desejo um ótimo começo de semana. Bjs pra ti!

    ResponderExcluir
  8. Toninho, realmente é um triste e belo texto.

    acho que nessas perdas mais doloridas como a de pais e filhos, o tempo não tem o poder de curar, pois é uma ferida que sempre vai permanecer aberta, e vai sangrar toda vez que saudade doer e as lembranças vierem... o tempo nesses casos só nos torna conformados com a ausência, pois algumas perdas são irreparáveis...

    E que linda a citação de Drummond!

    Obrigada por compartilhar!

    Um beijo, meu amigo!
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  9. Em parto inverso
    Sofre-se inversamente em verso
    Verso mal recitado que nem há autoria
    Verso mal sentido que nem há utopia.
    Parto inverso, dor no reverso.
    Nada que doa mais, agruras malogradas.
    Veste sem cor.
    Fúria sem par.
    Queria o poeta sempre fazer-se olvidar
    Tal a tela que nunca se fará arte
    Enquanto a mãe em derradeira hora, se esguia em parto....se esvai em revezes...

    Acabei me empolgando em teu poema, Mineiro! Espero que não se importe!

    Adorei sua expressão no poema. Muito bem trabalhado.

    bjs

    (Paulistinha)

    ResponderExcluir
  10. O tempo é o melhor remédio, só ele mesmo cura...

    Uma boa noite amigo.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  11. Muito obrigada pelo carinho!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Também já vi isso em casa, na perda de uma irmã, mas sequer posso imaginar as marcas em uma mãe que perdeu 5, sou o sétimo.

    Paz e Luz!

    ResponderExcluir
  13. Olá amigo toninho
    Acredito que recordações tão tristes quanto as tuas, nem o tempo pode apagar.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  14. Toninho muito profundo as suas palavras e me fizeram pensar muito sobre relacionamentos,sobre perdas irreparáveis na vida gente..Como você disse será que os relacionamentos com o tempo se desgastam tanto que ficam a mercê da sorte,se dizem que o tempo traz a maturidade de uam relaçao....Nem sempre amigo....já casei,me separei e hoje estou numa nova relação a cinco anos e hoje vivo o hoje somente e deixo o futuro nas mãos de Deus...Apreendi com o sofrimento muitas coisas...Já também perdi um filho bem pequeno sobreviveu 7 dias depois de nascido e se foi como uam brisa que passa..Mas Deus foi generoso comigo e me presentiou com meus filhos hoje tão queridos...
    Amigo sinto muito as percas de sua vida..uma irmã,um filho...Isso traz dor e crescimento e vemso que nessa vida basta ser simples e viver porque não temos controle sobre nada..
    Fique na paz amigo Toninho..
    abraço sua amiga
    titi

    ResponderExcluir
  15. A morte é mais bem aceita quando vem no decurso de prazo. É do ciclo natural nascer, ter a perspectiva da digna existência e ir-se. Eis o decurso. Vindo antes é intromissão,enxerimento, é descombinado.
    É recado mal dado, é amor deslembrado, é tempo inclemente com os distraídos. Aconselhei-me com a morte. Sendo ela o fim de tudo, sabe mais do que a vida. Dá-lhe rumo se bem ouvida. Faz-lhe sentido, se não olvidada.

    É um excerto de um texto que fiz logo depois da partida do Paulo. Ainda não publiquei, nem sei se vou. O seu serviu-me de alento para isso, vou ver.

    Abraços, amigo. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  16. Meu caro amigo
    Falar da morte de alguém próximo é doloroso e uma experiência traumática.
    O texto nos faz refletir na dor da perda, e nos faz ver que a vida é tão preciosa.
    O que acho mais incrível, é que em algumas religiões, fala-se tanto da morte como o encontro do crente com o Salvadoe e os anjos, onde lá só reina paz e harmonia no seio de Deus, e no entanto quando o assunto é morte, esses mesmos crentes, fogem do assunto como o "diabo foge da cruz"...
    Mas enfim, somos seres complexos no quesito sentimentos e creio que para tudo há um tempo.
    Meu amigo, um bom dia, um fraterno abraço.

    ResponderExcluir
  17. O tempo é nosso carrasco, às vezes nos chicoteia, mas é também o nosso bálsamo, só ele responsável para cicatrizar as nossas feridas...e nada como ele para nos ensinar, ora nos chicoteando, ora nos acalmando. O tempo, entendo que é um contraste, que mesmo as vezes sendo severo outras vezes doce, nos fazem chegar ao amadurecimento. E como o aprendizado é eterno, ele vai seguindo com suas alternâncias.
    Bom dia meu amigo querido Toninho.
    Uma ótima semana, sabendo compreender o tempo, pois querendo ou não ele é o nosso maior MESTRE.

    ResponderExcluir
  18. "Aprendi a assimilar a morte como um fruto, que não mais pode ficar na arvore e a dor da perda tornou-se aceitável ainda que maltratasse."

    posso assim dizer que seu texto entrou em mim de tal forma que ganhei um novo sentido e isso é grande porque me faz maior e mais humano...

    obrigado,
    cá voltarei para prestigiar sua sensibilidade...

    te seguindo pra não perder de vista...

    beijos,
    do menino-homem

    fique com Deus!

    e continuemos...

    ResponderExcluir
  19. Penso que jamais entenderemos o fim,,,um adeus,,,um corda profundo no coração...o tempo passa e temos a cada dia menos a esperar...grande abraço de bom dia pra ti meu amigo...

    ResponderExcluir
  20. Bom dia,Toninho!!!

    Belíssimo texto,instiga a profundas reflexões!
    Muita sabedoria meu amigo!Beijos pra ti!!
    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  21. Meu querido amigo, agora venho mesmo só deixar o meu abraço e beijinhos de lua e paz, prometo que mais logo depois de vir do ,médico venho ler e comentar...

    ResponderExcluir
  22. O texto transmite muita emoção!Abraços.

    ResponderExcluir
  23. Quanta emoção nesss linhas!Falar de perdas não é fácil.Senti profundamente, meu amado.
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Temos uma amiga em comum, por isso vou te esperar por aqui...

    Tenho um visita no blog Poetas.
    Vou te esperar por lá.
    http://sandraregina7.blogspot.com/
    Com muito carinho
    Sandra

    ResponderExcluir
  25. Toninho,
    Bastante completo e lúcido o seu texto!Mas, tenho que te confessar, por mais que eu leia, procure saber, ouça palestras, veja filmes a respeito, não consigo entender e aceitar as perdas, principalmente as definitivas como a morte.
    Mas, valeu, mais um texto pra me ajudar nessa tentiva de encarar o tema com mais tranquilidade! Bjkas com carinho!

    ResponderExcluir
  26. Toninho, palavras bem colocadas para um momento que talvez nem o tempo dê jeito... Perguntas que nunca terão respostas e que a nós só cabe aceitar... acho uma lição dura demais.

    Beijo

    ResponderExcluir
  27. POIS É MEU AMIGO, COMO O PROMETIDO É DEVIDO EU CÁ ESTOU LI TUDO, E EM PRINCIPIO PENSEI QUE FOSSE SEU MAS NO FINAL VI QUE NÃO ERA.
    MAS MORTE NÃO É O FIM MORTE É SÓ A CURVA DA ESTRADA É SÓ NÃO SER VISTO, A PESSOA SÓ MORRE QUANDO O CORAÇÃO DE QUEM AS AMA A ESQUECER, BEIJINHO DE LUZ E ATÉ UM DIA

    ResponderExcluir
  28. Toninho...uma boa noite...
    voltei aqui por um motivo:
    hoje é dia do amigo e resolvi te deixar um abraço...porque o considero..
    Titi

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.