Páginas

sexta-feira, 4 de maio de 2012

A dor que sai no jornal.












A dor que sai no jornal.

Na casa um fogão a lenha feito de barro.
Num canto da cozinha um gato quieto dorminhoco.
Mais ao lado se vê dois cântaros tampados com um prato e um pano branco com algum bordado, imagino que o pano tenha sido feito de algum saco de açúcar ou trigo. Uma mulher mal vestida com um lenço branco na cabeça, sentada numa tarimba feita de madeira agreste. Na sua frente um repórter, um tanto sensacionalista, busca informação sobre o estupro da menina de oito anos, praticado pelo próprio irmão da menina.

Angustiante assistir e ver a descrição do ato pela boca do bandido, ali diante da própria mãe que chora desesperadamente. Pela porta da cozinha se vê um pé de arvore esquelético e desfolhado, com um cabrito preso em seu tronco, com algumas crianças perto dele como a brincar. Ao lado da casa na ultima sombra daquele escaldante sol nordestina, a câmera mostra uma velha senhora com cabelos brancos aparecendo sob o pano branco que lhe cobre a cabeça. Ela de mãos no rosto, chora desesperada, dando seguidas tapas na cabeça como não acreditando na tragédia familiar, o que fazia crer ser a avó da menininha. 

Neste ínterim a senhora desmaia para espanto geral dos repórteres e policiais que fizeram a diligencia, momento que eles desviam o foco do bandido para acompanhar o desfalecimento da anciã. O que me causou surpresa, foi não sentir nos policiais a mínima habilidade de primeiros socorros, se limitando a conformar a família, dizendo que ela logo voltava a si. Como assim voltar logo sem nenhum atendimento de socorro?

Isto se passou numa cidade no nordeste da Bahia próxima ao Rio São Francisco divisa com Pernambuco. Fico a pensar de como é exposta a dor das famílias humildes pelos meios de comunicação, por saber que isto lhes rende bons pontos na medição de audiência.
Que país é este, que não se limita a exposição das dores das pessoas mais humildes?

É o país do vale quanto pesa, urge rever os valores da sociedade, resgatar o sentimento de família e buscar o controle de natalidade nos lares empobrecidos e embrutecidos alijados da partilha do bolo, cada vez mais restrita a poucos bolsos.

Toninho.
26/04/2012.

30 comentários:

  1. Que triste relato,Toninho! Gostaria que NÃO acontecessem casos assim, mas acontecendo, não fossem assim explorados pelas mídias que se alimentam de desgraças alheias e tragédias. Isso, infelizmente, dá IBOPE,né?

    Uma pena!! Cada uma!! e nosso país e suas mazelas! abração,chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, querido amigo Toninho.

    Nossa...
    Causa arrepio, ao imaginar a dor da avó e da mãe, desânimo com a falta de preparação desses policiais, e raiva desse ibope imbecil.

    Essa anciã que veio de época em que até a palavra ESTUPRO era desconhecida, nesse momento deve estar desejando a própria morte, à dor que invade sua alma.

    Valha-nos Deus!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oi Toninho, muito triste tudo isso e mais lamentável ainda a insensibilidade de tantos.
    Um bom fim de semana pra ti, beijos

    ResponderExcluir
  4. É uma cruel realidade...infelizmente, sabemos que isto é mais comum do que se imagina. Muitas crianças não relatam os abusos sofridos, por medo e vergonha muitas vezes. Eu mesma fui vítima de abusos quando criança. Desde os quatro anos de idade, e lembro-me como se fosse hoje. E seguindo as estatísticas, por membros da família!! Nunca contei a ninguém, por medo e vergonha. Mas, oa traumas, esses carregamos para o resto da vida...

    Tenha um ótimo final de semana!
    Beijos!♥

    ResponderExcluir
  5. A midia roda conforme o Ibope, portanto os seres humanos estão sedentos de tragédias, e neste círculo vicioso vamos colhendo a violência de todos os tipos- um ABUSO generalizado.
    Hoje postei sobre Ação e isto que nos relata é um excelente exemplo.

    ResponderExcluir
  6. OI TONINHOBIRA, BOA TARDE, AQUÍ EM CASA SEMPRE ASSISTIMOS O CANAL DE TV. QUE TRATA COM MAIS HUMANIDADE, ESTES CASOS TRISTES. A IPUNIDADE SERIA UM DOS MOTIVOS, A PENA DE MORTE, NÃO RESOLVIRIA, ALEM DE SER CRISTÃ E TER UMA RELIGÃO QUE CONDENA. MAIS A PRISÃO PERPETÚA SERIA IDEAL A TODOS AQUELES QUE SÃO NOCIVOS A SOCIEDADE. ACHO UM DOS CRIMES MAIS BÁRBAROS, UM FINAL DE SEMANA DE MUITA PAZ PARA VC.

    ResponderExcluir
  7. Toninho,

    Indignada: eis como me encontro, após essa leitura tão forte. Não vi a reportagem na TV, mas, nem seria preciso, dada a precisão com que você nos passou. E melhor, você nos mostrou o lado humano, que a mídia não mostra. Tragédias humanas, até quando, meu Deus? Será que nem no seio das famílias se encontra a paz?
    É deplorável como a imprensa sensacionalista, vende a dor dos pequenos, dos menos privilegiados. E a Justiça? Não vê?
    Que Deus tenha piedade de todos nós!

    Excelente artigo, meu amigo.
    Paz e Bem!
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
  8. Poxa vida, Toninho, eu ia lendo este relato triste, ficando cada vez mais indignada e pensava o mesmo que você disse no final, ou seja, como as pessoas humildes abrem-se para mostrarem-se assim, tão sem apoio, ajuda de uma Assistente Social que, parece-me, é uma profissão extinta ou quase extinta neste nosso país. Cadê esses profissionais numa hora dessas? E como a mídia é perversa!
    Excelente sua observação escrita.
    um grande abraço, carioca

    ResponderExcluir
  9. Oi Toninho!
    Que triste relato!
    O pior é saber que as mídias sobrevivem destas tristes histórias, da desgraça alheia virada ao avesso tirando até a última gota de sangue e lágrima.
    Abração e um ótimo fds!

    ResponderExcluir
  10. Amigo, tua crônica me emocionou...
    Quisera eu que tudo isso que você escreveu fosse só mais uma das suas lindas obras fictícias...
    Mas infelizmente sabemos que não é ficção, e que a realidade do nosso país é mesmo essa.
    Que Deus em sua infinita misericórdia venha dar consolo e amparo a essa família.

    Pra ti, deixo carinhos.
    Beijos de flor

    ResponderExcluir
  11. A dura realidade de nosso dia a dia, infelizmente á a realidade, muito bom escrito, deixo meus aplausos junto com um abraço meu! beijos carinhosos

    ResponderExcluir
  12. O que dizer....falatório segurança pública em nosso país, o os políticos estão preocupados com CPI ....
    Abraço Lisette.

    ResponderExcluir
  13. Lamentável o fato em si e a mídia sensacionalista. Não se importam em expor as pessoas em momentos cruéis como esse. Mas, o povo gosta disso, né? Tem tv quer passa o dia todo contando a desgraça alheia, deve dar ibope!
    Beijos e um final de semana de muita paz!

    ResponderExcluir
  14. Meu amigo, a coisa anda feia. A gente tem que está em sintonia com o Deus maior, senão...
    O despreparo no sistema policial, causa-nos medo.
    E por cima há uma imprensa que gosta de noticiar tragédias em busca de audiência. Tenho as minhas dúvidas se esse tipo de notícia não incentivam mais a violência.
    Abração para ti.

    ResponderExcluir
  15. Animalesco, nojento, desumano, diabólico, horrendoooOOOO.....

    Beijos amigo e bom fim de semana!!

    ResponderExcluir
  16. Amigo Toninho,
    a exposição do grotesco, a desumanização, o descaso do poder público, entre outros, são os algozes desta realidade dantesca.
    Pude sentir toda dor em teu relato e me abalei diate de tudo isto.
    Sinto vergonha pelo outro.
    Um grande abraço,
    Calu

    ResponderExcluir
  17. Olá Toninho,

    Este é o estupro da ignorância, não justifica, o que mais doi é o cometido por pessoas que tiveram toda a formação necessária e mesmo assim se tornam monstros. Obrigado pelo seu comentário no meu blog.

    Um abraço, paz e bem

    ResponderExcluir
  18. Oi Toninho

    Nem sei o que dizer sobre este relato, tamanha é a minha indignação. Infelizmente para a mídia interessa apenas mostrar a desgraça alheia visando somente o ibope.

    Um bom final de semana
    Abraços

    ResponderExcluir
  19. Toninho infelizmente sensacionalismo sempre vendeu e rendeu muito, lamentável, ninguém olha o ser humano como ele realmente é, ninguém procura aliviar a dor, os governantes, a policia, não tem jeito não, todos têm seus interesses e não estão preocupados com aquele que necessita, adorei a crônica, oxalá um dia isto mude, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  20. Toninho meu Querido.
    Estou saindo agora para casa da Lu..
    Te envio um email a noite.
    Deus abençoe seu Domingo beijos grata pelo carinho e atenção.
    Beijos,Evanir

    ResponderExcluir
  21. Olá querido Toninho,
    Realidade de um país recalcitrado pelos golpes políticos e pelas dores de uma maioria sem as mínimas condições de uma vida digna.
    Sofremos todos ao ver um quadro como este. Por que não investir na educação, em empregos, em moradia, em saúde e tantas coisas mais que o Brasil não possui a contendo para seus habitantes?
    E aí está um exemplo, (e tantos mais que acontecem) de um povo rústico, pobre, desinformado, que nasce e vive à revelia de seu próprio destino.
    Será que nossas autoridades e mandantes da política brasileira podem deitar suas cabeças nos alvos travesseiros de suas ricas camas e dormirem o sono dos justos?
    É demasiado forte uma notícia destas para quem, como nós que somos pais e avós, possam crer que tudo isso mudará algum dia. Será? Que Deus nos abençoe e permita que sim, que tudo, um dia, mude para melhor.
    Um grande beijo em seu coração, amigo.
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  22. Meu querido amigo, aí! Tal como aqui quando há miséria e a maior não é a pobreza mas a de espirito.
    O mundo está ficando podre de valores e de tudo, o pior é que quem pode fazer não faz e a revolta só existe no ser que tem um coração sencivel, infelimente não será a última noticia de jornal.
    Beijinhos de luz e muito amor em seu coração que Deus nunca nos falte com a paz...

    ResponderExcluir
  23. oi querido toninho,

    Li seu texto, com tanta atenção e interesse, aliás, como sempre, mas pensei que era "ficção".
    Nossa! Que barbaridade! Como é isso possível?
    Ontem vi pela TV, que agora, no Brasil, e no hospital, até já assassinam doentes.
    Que corrupção! Mas quem põe mão nessa sitação, nessa desgraça?
    Me desculpe, você é Brasileiro, mas é real tudo o que aí se passa.
    É um país enorme, mulher tem muitos filhos e começa bem nova a concebê-los, é da praxe, falta de esclarecimenmto, clima propício a "dolce far niente", praia q.b. e Carnaval.
    Só mesmo um regime ditatorial, de esquerda ou de direita, poderia resolver a drástica situação. A Democracia não resolve, nesses casos.

    Boa semana.
    Beijos da Luz.

    ResponderExcluir
  24. Toninho,

    Triste ver esses casos ser noticias de primeira página. Parece que a dôr é o que mais vende jornal. Como é revoltante , acho que teria que ter prisão perpetua.É o país do vale quanto pesa,você finalizou muito bem sua crônica.

    Um grande beijo no seu ♥

    ResponderExcluir
  25. Olá, Toninho.

    Sempre esperamos passar pelos blogs amigos para sorrir e comentar coisas belas, mas também existem as mazelas que compõe este nosso mundo, e que não podem deixar de serem contadas. E te confesso, existem algumas coisas que não descem muito bem não.

    Primeiro, a violência contra a criança ou o idoso. Não importa qual seja esta violência, pois qualquer uma é inadmissível. Violência sexual então, vai além de qualquer limite do que nossas consciências podem suportar, ao menos aquelas consciências sadias. A maior punição ainda e branda perto de tal crime.

    Depois, vem o bando de urubus da imprensa sensacionalista. Tenho transitado no meio da comunicação social, e mesmo cursando publicidade, falamos muito em ibope, audiência e coisa e tal. Pouco se liga para o que o ser humano pensa ou sente, e o que mais importa é AQUILO QUE PODEMOS VENDER PARA ELE, E DE QUAL MANEIRA FAREMOS ISSO. Veja bem que meu caso é a publicidade. Como é, então, o meio JORNALÍSTICO?

    Não nego que existam programas de tv, jornais ou revistas que preservem alguma ética, mas alguns estão aí unicamente para explorar o povo de qualquer maneira, e o que mais fazem é partir para o apelativo. Neste caso, pouco importa a dor de alguém, pois o que vale para eles, é o número de pessoas que estão assistindo, lendo, ou comprando jornais. Tudo isso é criminoso, e deveria ser contido.

    Quantos casos passaram pela tv, como os NARDONI e a menina que foi atirada do prédio. Os meios de comunicação exploraram isso ao máximo, e quando a audiência caiu, eles esqueceram tudo. Me sinto enojado com tudo isso. E quer saber? O povo tem sua parcela de culpa, pois dá audiência a tudo isso. Falta de cultura? Ânsia por perpetuar o escárnio? Não sei, mas que algo tem que ser feito, isso tem.

    Toninho, perdão pelo desabafo e pelo comentário quilométrico. O tema é daqueles que desce com um nó pela garganta.

    Grande abraço. Mesmo triste e repugnante, escreveste um excelente texto.

    Marcio

    ResponderExcluir
  26. Parece até que a televisão noticia mais um caso novelesco, e nós nos acostumamos as mazelas, como se fosse um capricho sul real... A rudeza com que estamos nos acostumando é preocupante, é terrível verificar a desumanização geral, por isso meu amigo, eu venho desistindo de compactuar meus momentos com a televisão e pedindo a Deus que proteja a todos nós, pois a tendência é piorar...

    ResponderExcluir
  27. Mas a culpa é da mídia ou de quem dá ibope? Ou dos dois?

    ResponderExcluir
  28. Sinto o mesmo desconforto, quando vejo matérias da natureza. Os fatos, por si só, já traduzem o lamento familiar, sem necessidade dessa exposição, que vai marcar, ainda mais, aqueles que fizeram parte dela.
    Infelizmente, são comuns esses crimes, praticados, na maioria, por parentes e pessoas próximas. Mas a dor dos atingidos já é grande demais para ser aumentada pela imprensa.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  29. Então,..inicialmente ao ler o título desta sua pastagem acreditei que tratava-se de uma crónica "não real " mas relatando uma realidade quase comum.
    Porém ao contínuo da leitura ficou claro que você relata aqui factos reais; fatos que aconteceram bem perto de casa, no dia a dia. A única coisa aqui que não parece ser real é a realidade.
    Tenho lido e também visto sim amigo, tenho visto reportes (e outras formas de mídia) procuradores de sensacionalismo fazer uso da dor e tragédia de pessoas humilde para afins de audiência. É como diz o ditado popular que acho que é mais ou menos assim: "A miséria de um, é o pão para o outro." Acho que você entende o que quis dizer...
    Você escreve muito bem meu amigo. Eu não tenho este dom de saber me expressar assim usando as palavras corretas e tal...
    Ás vezes fico muito frustrada com isto. Pois tenho a ideia do que quero expressar na mente, mas por no papel (ou blog) é outra historia.
    Um maravilhoso domingo para você.
    Lembranças
    Ange

    ResponderExcluir
  30. Meu querido amigo !!!!!!!
    Sou do tempo do fogão de lenha e da panela de barro...
    Agora seu texto nos mostra na integra como a mídia vive e sobrevive diante do íbope que dar...
    bjs meu amigo querido!

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.