Páginas

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Lembranças fiandeiras.















I
No colo muitas bolas de algodão
o fuso girava, uma linha crescia,
netinho curioso sentado no chão.
aquilo assistia como uma magia.

II
As mãos tremiam, mas insistia,
torcer o fuso com a elegância.
não raras vezes no chão ele caia.
Mas o netinho era só vigilância.
Logo a acudia.
















A imagem superior trouxe lembranças da minha vó Iracema, quando eu colhia as bolas de algodão no quintal, para ela fiar suas linhas. Achava magico da flor de uma arvore, sair linhas que lá na cidade comprava.

Assim participo da BC#umaimagemem140caracteres. Confira outras inspirações e participe aqui devaneiosedesvarios projeto da Mari


Toninho
22/06/2018



21 comentários:

  1. Uma ARTE em desuso!!!
    Seu poema as homenageia e bem!
    bj

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde, querido amigo Toninho!
    Estou pedalando por aqui... outro tipo de fiar em outro fuso...
    A participação está linda, mas eu destaco ainda mais o vídeo pois meu netinho gosta de me ajudar a desenrolar as lãs e até queria aprender, mas o pai não deixou como se para ser homem dependesse disso... mas, enfim! Cada um é cada um...
    A solidão das pessoas de qualquer idade faz tecer para aliviar tensões e dores da alma...
    Muito bonita sua escolha musical que não conhecia e vou passar pro Mosteiro pois lá tem fiandeiras!
    Tive uma 'avó Iracema' (que tecia muito também e meu pai amado me dizia que saí a ela)...
    BC é cultural também e feliz de quem participa com doçura pois se aprende muito.
    Seja muito feliz e abeçoado junto aos seus amados!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Rosélia, a musica é da tradição gaucha.
      Hoje homens estão tricotando como alivio da tensão(stress)por recomendações.

      Excluir
  3. Boa tarde Toninho,
    Lindas lembranças de sua Vó que com o fuso tecia delicadas linhas de algodão!
    Nunca vi ao vivo essas tão belas bolinhas de algodão!
    Deve ser mágico.
    Magnífica participação.
    Beijinhos e abençoado fim de Semana.
    Ailime

    (Viva o Brasil! Belo resultado hoje;))!!

    ResponderExcluir
  4. Olá Toninho,
    A imagem é bem interessante, e seu poema
    ficou encantador! Parabéns pela participação!
    Bom final de semana :)
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Desconhecia que Minas produzisse algodão...
    Estou mais sábia...
    «Mas o netinho era só vigilancia, logo acudia.»
    Quanta ternura! Quanta dedicação! Eles foram os grandes amores dos meninos que éramos.
    Amores totalmente puros e absolutos.
    Por vezes tenho muita dificuldade em entender a música brasileira, porém, a canção é amorosa...
    Mais uma participação linda e adequada.
    Abraço muito amigo.
    Bom fim de semana.
    Beijos
    ~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engraçado Majo não imaginava esta dificuldade com as músicas. O pé de algodão era muito cultivado por Minas Gerais e no quintal da minha vó tinha.
      Grato sempre pela presença.

      Excluir
  6. Lindas recordações te fizeram tão bem participar! Adorei! abração, ótimo fds! chica

    ResponderExcluir
  7. Que lindas lembranças, Toninho! Simplesmente muito terna sua participação, fez-me lembrar de minha avó, que fazia crochê. Adorei seus versos!
    Abraços e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  8. Bom dia. Lindas lembranças como lindo é o seu poema em homenagem. Adore. :))

    Bjos
    Votos de um óptimo sábado

    ResponderExcluir
  9. Que lindo seu poema, as lembranças de momentos passados com pessoas querida, retornam e nos enchem de emoções.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. retificando pessoas queridas. Bom final de semana.

      Excluir
  10. Tão belo o seu poema, com uma
    ternura tocante e tudo conjuga
    nesta harmonia bela habitual da
    sua arte, meu amigo.
    Compreendo esta relação mágica com
    a avó, tive uma avó tão especial
    também, contadora de histórias. ..
    Aprecio tanto aqui o seu espaço,
    Toninho!!
    Feliz final de semana na paz.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  11. Oi Toninho, certas reminiscências é bom recordar.
    A minha vida foi um mar de dor, me libertei e fui morar bem longe, mas o destino exigiu quis que voltasse(já viúva)para cuidar de alguém que me criou(foi uma megera) casei-me com um bom homem que chora as minhas dores, o resto não importa.
    Gostei muito da sua postagem, nem sei como é fiar.
    Beijos Lua Singular

    ResponderExcluir
  12. Ola Toninho.
    Vim me encantar com sua escrita
    e matar as saudades.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  13. bravo Toninho, precisava ler essa delicadeza hoje, aqui no nosso frio costumeiro, aqueceu meu coração. bjs
    https://balaioderimas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Feliz noite de sao joao meu querido amigo Toninho. Grande abraco.

    ResponderExcluir
  15. Gostei tanto que tenha lembrado a sua avó Iracema com este poema tão belo, meu Amigo.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  16. Inspirada e bela participação que nos lembram as artes de outros tempos.
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  17. Duas brilhantes e especiais inspirações... que lhe trouxeram boas memórias!...
    Gostei imenso! Abraço
    Ana

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.