Páginas

segunda-feira, 1 de março de 2021

Cidade recolhida

 

Uma imagem da noite de uma cidade festeira, agitada sob toque de recolher, motivo desta inspiração. A Salvador da Bahia protegida por todos os orixás e santos passa por uma crise diante do Corona vírus.

Cidade recolhida.


Pouso meus olhos numa rua vazia,

numa cidade por decreto recolhida.

Cidade de gente alheia a pandemia,

que convida a Covid contra a vida.

 

Uma lua passeia na noite estranha,

de gente na janela com olhar triste,

com liberdade perdida por façanha,

são pássaros famintos sem o alpiste.

 

A noite nos ponteiros é muito lerda.

Voam os morcegos no meio do vazio,

ziguezagueando direita e esquerda,

voo errante sem ecos para o assobio. 

 

Na manhã coro de pássaro chilreio

anuncia o estridente João de barro,

como regente dispara o seu gorjeio,

sobre a rua que se tornou esparro.

 

Toninho

26/02/2021  


Gratidão pela visita



14 comentários:

  1. Olá, querido amigo Toninho!
    Muito triste o que estamos vivendo.
    Noites mal dormidas por estarmos cativos de um maldito vírus que matou nossos sonhos mais lindos.
    Estamos isolados numa possibilidade de uma terceira onda em abril já se diz aqui no Sudeste, por tamanho descaso de cúpula perversa onde o povo tem que se esconder para tentar driblar essa maldição horrível.
    Só mesmo Deus, meu amigo. Clamo por Ele todos os dias, choro por razões e inclusive pelo perverso vírus.
    Que todos os santos e orixás nossos nos protejam e a todos que amamos bem como toda humanidade encarcerada como bem retratou seu poema realidade drástica.
    Deus nos livre e nos salve, Toninho!
    Que os anjos digam amém!
    Esteja bem, proteja-se!
    A esta hora e eu rezo.
    Beijinhos, paz, saúde

    ResponderExcluir
  2. El panorama que describes en tus versos, es muy similar al que en España estamos viviendo, hasta solo hace unas semanas, el silencio de las calles vacías se podía observar a partir de las ocho de la tarde, ahora este horario se ha ampliado hasta las diez de la noche, de todas formas, el miedo sigue latente en el ambiente, en el ánimo de la gente y se teme por esta amenaza constante que parece que nunca termina.
    Te deseo una buena semana y agradezco tus letras.
    Cariños.
    Kasioles

    ResponderExcluir
  3. Tão linda poesia,Toninho e retrata um quadro quase inimaginável: Salvador, festeira, colorida, agitada, de repente assim quietinha... Mas que bom que estão respeitando! SAqui no Sul estamos na pior crise e o povo reclamando das medidas de restrição! è uma barbaridade. Ainda se aglomeram, festas clandestinas e a pobre Brigada militar tem trabalho que nem imaginas.

    E são esses que politizaram o vírus...Pensam que ficar em cada é trair o monstro ,aquele verme asqueroso que desde a primeira aparição disse ser apenas uma gripezinha e incentivou e ainda até hoje debocha de quem se cuida!.

    Fico p da cara! Mas, seguimos nos cuidando! Pena uma poesia tão linda e receber meus comentários tão feios...abração, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  4. Linda a sua poesia, Toninho
    Ainda bem que existem os que se cuidam.
    Os outros não tenho palavras para definir.
    Uma lástima!
    Vamos que vamos esperando por dias melhores.
    Um carinhoso abraço
    Verena

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde
    Parabéns pelo excelente poema ...Amei 😘
    *
    Seduzida pela leveza do horizonte
    *
    Beijo e um maravilhoso dia.

    ResponderExcluir
  6. muitos parabens muito bonito gostei muito desejo tudo de bom com muita saude bjs

    ResponderExcluir
  7. Toninho,
    Tudo está diferente meu amigo. As cidades desertas e tristes e o coração igualmente.
    Faz hoje um ano que foram identificados em Portugal os primeiros dois casos oficiais de Covid-19. Poucos imaginavam na altura que ia ser tão grave.
    Queremos manter acesa a luz da esperança, mas o cansaço já começa a ser evidente.
    Oramos a Deus que nos proteja e ajude para que podermos sair vitoriosos desta batalha.

    Um abraço apertado e solidário meu amigo.

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde Toninho, acho muito estranho ver Salvador assim, pois é uma cidade festeira e alegre. Em junho fará três anos que eu fui, tenho grandes amigos por lá.

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde Toninho.
    Seu poema é muito belo, as palavras expressam um sentimento... Mas vejo tudo isso como um cuidado invisível, mas muito presente!
    Infelizmente nem toda a comemoração é saudável, inocente... Vivemos um convite um interno, a consciência nos chama a ver e rever pensamentos, comportamentos, desde o mais alto escalão ao mais simples caminhante da terra.
    É tempo de recolher, pensar no coletivo, festejar na calmaria de pequenos grupos...
    A poesia é muito linda!
    Forte abraço...
    Ju

    ResponderExcluir
  10. Oi Toninho,
    Nem sei que adjetivos lindos posso dar a sua poesia, darei então todos os adjetivos lindos.
    Você é o cara!
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  11. Palavras profundas e sentidas muito actuais ao tempo que atravessamos.
    Sempre inspirado!
    Obrigada pela visita!
    Beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  12. Assm é, tanta tristezas que precisamos buscar forças para sobrevoarmos e não entregarmos os pontos. Lindo e sentido poema. Bjs

    ResponderExcluir
  13. O olhar e a sua alma poética em sintonia perfeita!!! Bj

    ResponderExcluir
  14. Olá
    Nem me fale,como tem gente alheia a pandemia.Sigamos firmes sem deixar nos influenciar pelos maus exemplos.
    Abraço, ótimo final de semana!

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.