Páginas

segunda-feira, 5 de abril de 2021

Terreiro do menino rei.

 



Hoje é dia do Botando a cabeça para funcionar que a Chica criou para incentivar seu neto à leituras de imagens. Acontece todos os dias 5, 15 e 25, conheça e participe com seu olhar aqui chicabrincadepoesia e leia os amigos inspirados. Veja a imagem de hoje e minha participação.


Que saudades é ver a foto do terreiro.

Lá o café secava, mamona pipocava.¹

Férias escolares todo mês de janeiro,

para a casa da vó o menino viajava.


O dia era pequeno naquele cantinho,

onde o menino da vila se sentia o rei.

Subir em arvores nadar no ribeirinho,

são as façanhas que sempre exaltarei.

 

Naquele terreiro fiz a minha oficina,

fiz uns carrinhos, tantas armadilhas,

pássaros presos era menino traquina.

Hoje vê-los livres sente-se maravilha.  


Um parque modificou meu terreiro,

a solitária arvore ainda faz sombra,

sem meninos um silencio de mosteiro,

fecho os olhos e viajo pela penumbra.


Toninho

05/04/2021

Notas:

1-    Mamona é originária do norte da África, mas cultivada na maioria dos países tropicais e temperados mais quentes. Aclimatou-se extraordinariamente bem no Brasil, dela se retira óleo de rícino. Ao sol ela estoura como milho de pipoca, ela é  colocada no terreiro ao sol para secar.


Grato pela visita.

Cuide-se.

Vacine-se.


16 comentários:

  1. Boa noite de Pascoela, querido amigo Toninho!
    Vídeo lindo na versão, só contemplar e viajar...
    Tem feito um "calor de rachar mamona" aqui no Outono... Lembrei-me ao ler...
    As férias de janeiro tão esperadas e grandes. Viajávamos para roça também.
    Travessuras de menino sapeca e de bem com a vida você sempre nos contou. Muito bom e sagrado é seu menino de terreiro.
    Parabéns, amigo!
    Tenha uma Oitava pascal abençoada!
    Beijinhos carinhosos e fraternos

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Toninho,
    Linda a sua inspiração.
    Há memórias que guardamos para sempre e a casa da vó tinha um encanto especial.
    Também fui menina travessa e gostava de apanhar borboletas e as prendia com uma linha. Imagine, hoje era impensável.
    Muito bom lembrar seus tempos de criança.
    Um beijinho e um dia cheio de paz.
    Ailime

    ResponderExcluir
  3. Uma bela e saudosa participação. É tão triste ver os largos e parque vazios!
    Abraço e saúde

    ResponderExcluir
  4. Toninho,

    Quanta nostalgia na sua participação.
    Confesso que senti uma pontina de tristeza ao ver essa imagem, mas lendo a sua participação, pude relembrar do terreiro da fazenda dos meus avós, que ainda está preservado. Tomara que nunca vire uma praça ou outra coisa qualquer.
    Linda participação.

    ResponderExcluir
  5. Toninho , menino maroto que aproveitou bem a infância naquele terreiro hoje transformado. Naquela época a imaginação fazia criar as brincadeiras...Nem de brinquedos armados precisavas...ADOREI tuas saudades expressas em poesia! OBRIGADAO! Abração chica

    ResponderExcluir
  6. Praying is not just saying words but it is uniting our hearts with prayer through Christ.

    ResponderExcluir
  7. Recordações de criança quem as não tem? Tirar os ninhos que maldade só próprio de uma criança. Em adultos gostamos de ver as aves a voar todad felizes.
    Gostei muito deste poema de recordação.
    Cumprimentos poéticos

    ResponderExcluir
  8. Poetou com recordações boas e saudáveis. Ótima participação, Toninho.
    Boa terça-feira... Que não demorem os dias melhores... Quantos suspenses, orações e súplicas! Mas Cristo vive e podemos crer sempre... Abçs

    ResponderExcluir
  9. Amigo Toninho,
    Nos pátios ou recreios da nossa infância, éramos reis, rainhas, tudo o que a nossa imaginação criava.
    Há quanto tempo não ouvia Tom Jones, que nostalgia !

    Bonita e criativa a sua linda participação.

    Um beijinho

    ResponderExcluir
  10. Lindas recordações que,com certeza, deixaram saudades, Toninho
    Uma maravilhosa participação!
    Um carinhoso abraço nesta terça-feira.
    Verena.

    ResponderExcluir
  11. Que beleza, Toninho, quantas recordações de um terreiro e brincadeiras, como não se inspirar em tanta alegria? São momentos inesquecíveis, amigo!
    Cuide-se também por aí, abraço!

    ResponderExcluir
  12. Gostei muito do poema e de toda a publicação!:)
    -
    Coisas de uma Vida
    -

    Beijinhos-Boa noite!

    ResponderExcluir
  13. Doces e caras memórias do menino traquina, brincando solto , descobrindo maravilhas. Memórias afetivas desfilando nos belos versos deste poema ensolarado.
    Um abraço, meu amigo.
    Carminha

    ResponderExcluir
  14. Recordações saudosas dos bons tempos da menice e tudo na forma poética que tanto nos agrada. Bjs

    ResponderExcluir
  15. Maravilha, Toninho, como esquecer do nosso tempo de criança onde pudemos ser crianças saudáveis, marotas e com muita liberdade para fazermos aquilo que sabíamos: Brincar!!
    Hoje ningúem brinca mais, as crianças enterram o nariz num smarthfone e ali ficam navegando!! rss que infância!
    Belo poema, Toninho, como sempre!!
    Uma boa semana, com saúde, amigo, e cuide-se!
    beijos.

    ResponderExcluir
  16. As suas gratas e sempre saudosas memórias e menino vivendo junto da natureza...
    Excelente participação, amigo Toninho.
    Tudo pelo melhor. Abraços
    🌳🦋🌳🐦🌳🦜🌳🦉🌳🦅🌳

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.