Páginas

domingo, 7 de janeiro de 2018

No assalto aos sonhos.



Eu queria um lugar, que não me sentisse soturno, ainda que fosse Saturno amigo Pedro Luso. Mas lá também não sou amigo do rei, que tortura desagrega atormenta que tanto mata, quanto enlouquece nos porões imundos, onde residem homens imundos de mãos imundas, que pisam sobre o sangue dos contrários. E nas ruas os que nos assaltam impiedosamente com uma arma exclusiva das forças armadas. E eu nem sei, qual ladrão é pior, o de terno financiado ou o de pés descalços.

Ah, como queria poder morar em Pasárgada para compor meus versos leves e suaves, falando de amor, flores e cantos de passarinhos. que gorjeiam lá, como os de cá. Falar de gente de almas perfumadas de abraços enlaçados em gente do bem, que sabe o quão valioso é o bem de todos. Gente imunizada da fraqueza da corrupção, que não se vende para se locupletar.

Estamos constantemente entre o clicar do gatilho, naquela dupla tensão do que vem nos roubar e a nossa no medo latente de perda da vida e do que honestamente adquirimos e bem sabe Deus como foi o sacrifício na aquisição. Um instante em que a mente viaja em abandono ao corpo enrijecido e experimenta as mais terríveis assombrações com a figura da morte com sua foice certeira e dilacerante.

Entramos em novo ano e com os sonhos de liberdade e segurança, que voltam a nos visitar e assim buscamos desesperadamente como realiza-los num tempo em que o ceifador de sonhos de plantão pelos corredores suntuosos do palácio, busca três modos de nos calar e assassinar os sonhos. Mas nada de novo se apresenta, que faça acreditar em ações vindas do palácio do monstro vendedor de desilusões com seus tantos soldados seguidores formados na desfaçatez do colégio da corrupção para bem se locupletarem.

A nós só resta a sorte,
ante o clicar da arma,
que traduz pela morte.
Valha-me Deus a alma.

Toninho.
05/01/2018
Inspirado em uma bela e trsite Poesia de Pedro Luso O Assalto 






37 comentários:

  1. Ah, bom amigo, como faço coro aos teus reclames e atenho-me aos olhares desalentadores que nos afligem e sombreiam os horizontes.
    Quando se mudares, dá-me teu novo endereço, quero ser tua vizinha.
    Ainda ligada ao fio da esperança, aceno-te em aliança.

    Abraços,
    Calu

    ResponderExcluir
  2. Creio, sinceramente, que o "monstro vendedor" vendeu sua alma ao diabo e, a nós sobra seu "tridente" garfando nossas derradeiras ilusões... Eles no palácio e nós súditos recebendo chicotadas... "lerelere lerelererere"...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Toninho,
    Um texto onde realça bem toda essa desilusão e tristeza, por tudo o que se está a passar.
    Que a esperança seja sua companheira de todos os dias e quem sabe neste ano as coisas não vão começar a mudar favoravelmente. Espero bem que sim.
    Aproveito o ensejo para lhe agradecer a sua carinhosa manifestação de pesar.
    Beijinhos e bom domingo e semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  4. Toninho, que pena temos que ver essa desesperança. pois NADA de novo se apresenta e o que aí está já sabemos que é o que FEDE...Pior que antes...

    Pena! Adorei tua inspiração e desabafo! abração praiano pra ti e ao Pedro!chica

    ResponderExcluir
  5. Olá, querido amigo Toninho!
    Estou num lugar lindo e o segundo parágrafo caiu bem ao meu modo de viver florido e apaixonado ( que se encanta com tudo e vive acima do nível do mar)...
    Pode até parecer fuga mas eu busco sonhar e, sem me alienar , vou colhendo Flores e clicando as telas pintadas pelo Criador ...
    Caio em mim vez por outra e me policio
    Por tanta crueldade que nos é feita a ponto de nos torturar a ganância dos poderosos que só nos deixa como bem disse,no parágrafo recortado por mim,
    Sonhar e amar ... para recuperar a energia e a alegria de viver ... custe o que nos custar, amigo .
    Estou me deslocando em busca de um bom viver e de estar enlaçada num Abraço amoroso que me ponha de pé ... com uma razão forte de bem querer...
    Puderia te dizer: vem pra cá, amigo!
    Mas em toda parte está o 'leão' a rugir prestes a nos devorar...
    Deus nos de a pasargada no coração ... um esconderijo na paz e o bem... nas almas perfumadas que poucos tem ...
    seja muito feliz e abençoado!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que vídeo mais lindo,meu Deus ! Maria Santíssima nos livre de todo mal do corpo e da alma.

      Excluir
  6. Uma desilusão e tristeza num cenário que não se deseja ... sonhando-se com um mundo bem melhor!!!
    ...
    Aqui … um lugar especial em Coimbra:
    https://crocheteandomomentos.blogspot.pt/2018/01/penedo-da-saudade.html

    E no sábado houve peixe à mesa:
    https://ospetiscosdagracinha.blogspot.pt/2018/01/peixe-no-forno.html

    Para si … uma semana bem a seu jeito!!!

    ResponderExcluir
  7. Não pude evitar um arrepio que me percorria corpo e alma enquanto o lia.As palavras atam-se aos dedos, amarram-se à consciência numa realidade tão cruel! Viver entre dois mundos igualmente execráveis, não é viver mas sobreviver. O país mais maravilhoso- ou dos mais fantásticos do globo- tendo tudo, não tendo o mais imprescindível-A PAZ!
    Meu bom amigo, sempre aqui chegam as notícias que são notícias dos media. Mas a realidade dita por que a vive...é um sobressalto!
    Que a Paz, o Anjo- Guia o leve pelo caminho certo.
    Renovo Votos de Bom Ano. E PAZ!
    Terno abraço, Toninho

    ResponderExcluir
  8. Meu amigo, teu texto nos prende e nos faz refletir sobre a triste situação de nosso Brasil, descreveu muito bem, com todo seu talento e alma, pena que não seja só ficção, pena, é a nossa realidade. abraços

    ResponderExcluir
  9. Uma crônica que gostaria de ter escrito_ fala por nós com certeza. O que nos salva é a esperança de mudanças, num breve tempo.
    Parabéns ,pela positividade e assertiva em tudo que escreves.
    abraço e afeto

    ResponderExcluir
  10. Amigo Toninho
    Um belo e triste texto, tanto mais que relata uma realidade inadmissível. Até quando?!
    Vamos esperar que 2018 traga alguma mudança.
    Feliz 2018.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito de ler. O positivo sempre incitante a viver com coragem.
    Deixo cumprimentos

    ResponderExcluir
  12. Um texto excelente, meu Amigo. Gostei deste diálogo com Pedro Luso, sem faltar nele Manuel Bandeira...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  13. Querido Amigo, como lamento!
    Pelo que tenho percebido, o vosso país está a passar por um grande retrocesso civilizacional e, sim, são os inteletuais que devem dar voz aos sentires de um povo.
    Porém, mesmo não sendo amigos do rei, todos estaríamos melhor de férias em Pasárgada... a nossa turminha junta... era uma beleza.
    Não queríamos saber de rei ou reizinhos...
    Voltando à dura realidade, gostei do seu texto carregado de desgosto, fatalidade e ironia, suavizado pelo eufemismo da jocosidade...
    Que não morra a esperança e que se consciencialize o povo para ter opinião na hora de ir às urnas.
    Excelente intervenção, Toninho.
    Grande abraço amigo.
    Beijos de paz.
    ~~~

    ResponderExcluir
  14. A beleza da tristeza em tão belas e profundas palavras que nos envolvem do princípio ao fim ,caro amigo Toninho que a fé e a esperança no nosso coração ,desejo-lhe uma semana muito abençoada ,um grande abraço felicidades

    ResponderExcluir
  15. Olá, Toninho.
    Podemos estar a dois minutos do nosso último olhar sobre o mundo. a um segundo da nossa última palavra proferida. Este pensamento deveria nos acompanhar sempre.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  16. Ah! Toninho ótima reflexão, onde iremos nós se onde vamos há as mazelas dese mundo, sem sorte vagamos incrédulos e quase força, ainda mesmo em meio à poesia a dor da realidade nos sufoca. Estamos cansados de tanta corrupção e roubo, e quem trabalha paga tanto e nada recebe, digo por mi, estou de férias mas impedida de sair nem pagamento, nem o ´decimo terceiro ainda, haja paciência e poesia, lutas lutas.

    ResponderExcluir
  17. Meu querido poeta, ate quando?! Essa e´a pergunta de todo brasileiro cansado da covardia , do jugo pesado sobre nossos ombros. Adorei o texto reflexivo , e que retrata bem nossa insatisfação. Ainda bem que temos a poesia! Um grande abraço meu caro !

    ResponderExcluir
  18. Que texto forte em clamor pelas mazelas que temos presenciado e vivido em meio a todos esses assaltos que nos tiram a paz e comprometem nossas esperanças.
    Quanta tristeza em seu belo texto. bjs

    ResponderExcluir
  19. Hummmm, muito realista, caro Toninho! Só nos resta fazer a nossa parte com responsabilidade e clamar aos Céus com ousadia...
    Um abraço e boa 3a feira

    ResponderExcluir
  20. Toninho
    em "conversa" com o Pedro Luso onde o tema é o que se sabe e lê.
    tempos conturbados se vivem actualmente e não é só em seu País.
    uma prosa que é um grito de revolta, necessário e pertinente
    boa semana
    beijo
    :)

    ResponderExcluir
  21. Uma triste e dolorosa realidade brilhantemente descrita.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  22. Olá Toninho,
    Desculpe a demora em retribuir os sua gentil visita no final do ano, só agora pude recomeçar as visitas.

    Que texto forte, expressou a nossa realidade tão permeada pelo terror do banditismo onde o que resta ao cidadão de bem é bala perdida, morte e se vivo , engaiolado.

    Parabéns pelo grito!
    Desejo que seu 2018 seja com muita paz, , saúde e poesia!
    Bjs no core!

    ResponderExcluir
  23. Um texto forte, um grito de justiça vindo do fundo da alma devido esse contexto violento e desrespeitoso com nossos direitos. Tudo está caótico, o RN está de triste com a polícia em greve, nossos salários de aposentados super atrasados e sem perspectiva de melhoras. O seu grito é o de todos nós! Ainda bem que tem a poesia para nos aliviar e harmonizar nosso interior.
    Beijos carinhosos!

    ResponderExcluir
  24. Uma forte inspiração, em seus versos, amigo.. Infelizmente, o sentimento que te assola, assola a todos nós também... rezemos por dias melhores...façamos o nosso melhor, para que estes dias comecem a acontecer... e como sou brasileira e não desisto nunca... ainda que numa esperança, nem tão grande assim, esperemos dias melhores e que 2018, venha ser feito de boas mudanças para todos...um abraço,
    Valéria

    ResponderExcluir
  25. Toninho, esse sonho de sumir para outras terras e ser amigo do rei certamente vive nos corações de todos os poetas! Seu texto expressa bem nossa desolação diante da violência que estamos vivendo no mundo, no nosso país, sem ter a quem recorrer a não ser a Deus! Belo texto, dura realidade, mas necessária nossa conscientização. bjs

    ResponderExcluir
  26. Um senhor texto, em forma de desabafo e de denúncia. Ladrão rico, que manda pobre executar, é bem pior que este.

    O Brasil é um país enorme e que bem poderia ser um dos mais ricos do mundo, mas está (des)governado. É preciso mão de ferro, pke futebol e carnaval não resolvem os problemas.

    Não pode haver segurança nesse contexto, logicamente. Para grandes males, grandes remédios.

    Estive escutando o vídeo, cuja letra me encantou. Não conhecia o cantor.

    Beijos e dias com mais luz e seriedade pra esse povo, pke realeza não há por aí, pelo menos que eu saiba.

    BOM ANO NOVO!

    ResponderExcluir
  27. Boa tarde, amigo Toninho
    Gostei do seu sincero desabafo.
    É uma vergonha o que estão fazendo com o nosso Brasil.
    Vamos que vamos esperando por dias melhores.
    Um grande abraço de
    Verena e Bichinhos.

    ResponderExcluir
  28. Olá querido Toninho, faço votos que 2018 seja um ano cheio de felicidade,saúde muito inspiração para escrever poemas e histórias de que já nos habituamos a ler, beijinhos e um forte abraço

    ResponderExcluir
  29. Bellos versos y exquisita prosa. Felicidades por tan reflexivas y lindas letras.

    Un saludo muy cordial.
    Me gusta el blos y su contenido. Me quedo por aquí echando un vistazo...

    ResponderExcluir
  30. Nossa, que texto lindo e comovente, Toninho! Acho que já dá para dizer que somos um povo desesperançoso! Também gostaria de ir para Pasárgada, não precisava ser amiga do rei, mas que tivéssemos um rei que fosse nosso amigo. Que colocasse em nossas vidas mais encanto, mais esperança, mais paz, nada de muito dinheiro, não gostaria de certas ‘lembranças’ na nova Terra... Teu texto é uma súplica, meu amigo, lindo demais. Parece que nosso povo se une na desgraça, talvez como uma proteção, a proteção que ficaram de nos dar, mas fomos ingênuos, muito.
    Beijo, querido amigo.

    ResponderExcluir
  31. Meu caro amigo Toninho há dias deveria ter vindo ao teu blog para ler esta tua belíssima crônica, "No assalto aos sonhos", na qual tu falas em meu nome de passagem, o que me deu grande alegria, sentimento que já sentia em antecipação a esta crônica poética, em razão do teu comentário em meu blog, dizendo que o meu poema "O assalto" não te saia da cabeça, e que, ao que me parece, serviu de inspiração para "No assalto aos sonhos". Portanto, amigo Toninho, penitencio-me pela demora a esta visita, para este comentário, em razão da correria do final/início de ano.
    Desejo ao amigo poeta que encontre aqui mesmo a tua Pasárgada, que te propiciará momentos de calma para a inspiração de teus excelentes poemas e belas crônicas.
    Meus votos de um ano de 2018 com saúde e paz, e também muita inspiração.
    Um grande abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
  32. Estou de volta,amigo, vim para curtir.

    ResponderExcluir
  33. Olá amigo!
    Hoje como estou evitando ficar digitando devido está melhorando da tendinite, para que ela não volte, estou passando para deixar o meu carinho e lhe desejar um fim de semana feliz, com muita saúde e paz.
    Deixo também esse pensamento que que uma amiga me enviou e nos leva a reflexão.
    “Semeei flores... colherá o perfume. Semeei o carinho... colherá a amizade. Semeei sorrisos... colherá a alegria. Semeei a verdade... colherá a confiança. Semeei a vida... colherá milagres. Semeei a fé... colherá a certeza. Semeei o amor... colherá a felicidade”
    Abraços da amiga Lourdes Duarte

    ResponderExcluir
  34. Amigo mineiro, as tragédias humanas são tantas: fome, guerra, corrupção, tráfico de seres humanos. destruição do planeta... que não nos podemos focar muito nisso, sob pena de cairmos numa profunda depressão.
    Temos que nos agarrar aos amigos, a essa pessoas do bem que (felizmente) ainda existem, à esperança e ao sonho, para tornarmos a vida mais leve.
    Esperança num mundo e futuro melhor.
    Feliz Ano Novo
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
  35. Uma belíssima inspiração, que aborda uma realidade bem triste, actual e preocupante!...
    Adorei este texto, que espelha tão bem o clima de insegurança, e de corrosiva desilusão, que a classe política vai espalhando... esperemos que mudanças para muito melhor, ocorram futuramente...
    Um grande abraço
    Ana

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.