Páginas

terça-feira, 20 de julho de 2010

Fim da manga rosa

O fim da manga Rosa.



Da série fundo de quintal.













Pela manhã o Sol invade o quintal
Olha para arvore que morre uma saudade
Folhas amareladas caídas tapete de tristeza
Se lágrimas rolam de tanta saudade...


Por que não gritar?


Quando não puder ver a sombra invadindo o terreiro
Não mais visualizar tão belos frutos maduros
Lembra chora por aquela mangueira
Quando não mais sentir o cheiro da manga rosa pela manha...


Por que não gritar?


Quando seus braços não mais abraçarem o tronco
Lembra com tristeza de tudo que ali viveu
E por fim quando nada mais restar de suas saudades
De suas belas lembranças das gangorras ali penduradas
Embalando suas tardes com a bela namorada...


Por que não gritar?

Se esta saudade lhe aperta a garganta
Se cada folha caída leva um pouco de você
Se cada galha seca se estica a pedir socorro?

Por que não chorar, se assim morre de desgosto?

Publicado em Recanto das Letras.
http://recantodasletras.uol.com.br/autores/atreis

Toninhobira-12/07/2010

4 comentários:

  1. A poesia é poderosa. Incita zilhões de possibilidades. Sabe a que me reteu essa belezura que você acaba de colocar aqui? À minha casa da Av, Cauê, 35, Campestre, itabira, MG, com suas frondosas mangueiras. Não era a manga rosa mas eram deliciosas, companheiras de aventuras, de sonhos e traquinagens. Lindo, meu amigo! Abração. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  2. TONINHO FELIZ DIA DOS AMIGOS, VIU?
    OLHA, MEU IRMÃO, TU REALMENTE É UMA ALMA ILUMINADA, E DIGO ISSO DE CORAÇÃO.
    POIS VIR AQUI, ME TORNA MAIS ILUMINADO TAMBÉM!
    OLHA TONINHO, PARA MIM, ESSE POEMA ME LEVOU AOS IDOS ANO DE 1974 QUANDO MICHAEL JACKSON ESTOURAVA NAS PARADAS DE SUCESSO COM SUA CANÇÃO "BEAN", E PRINCIPALMENTE UMA CANÇÃO DO ROBERTO CARLOS CHAMADA O DIVÃ, QUE POR SINAL, ENQUANTO DIGITO ESSE COMENTÁRIO, ESTOU A ESCUTAR... TEU POEMA ME LEVOU AQUELE PASSADO TÃO FELIZ E DISTANTE...
    POSSO DEIXAR A LETRA DESSA CANÇÃO?
    COM LICENÇA ENTÃO MEU QUERIDO...

    O Divã

    Relembro a casa com varanda
    Muitas flores na janela
    Minha mãe lá dentro dela
    Me dizia num sorriso
    Mas na lágrima um aviso
    Pra que eu tivesse cuidado
    Na partida pro futuro
    Eu ainda era puro
    Mas num beijo disse adeus.

    Minha casa era modesta mas
    eu estava seguro
    Não tinha medo de nada
    Não tinha medo de escuro
    Não temia trovoada
    Meus irmãos à minha volta
    E meu pai sempre de volta
    Trazia o suor no rosto
    Nenhum dinheiro no bolso
    Mas trazia esperança.

    Essas recordações me matam
    Essas recordações me matam
    Essas recordações me matam
    Por isso eu venho aqui.

    Relembro bem a festa, o apito
    E na multidão um grito
    O sangue no linho branco
    A paz de quem carregava
    Em seus braços quem chorava
    E no céu ainda olhava
    E encontrava esperança
    De um dia tão distante
    Pelo menos por instantes
    encontrar a paz sonhada.

    Essas recordações me matam
    Essas recordações me matam
    Essas recordações me matam
    Por isso eu venho aqui.

    UM AFETUOSO ABRAÇO

    Eu venho aqui me deito e falo
    Pra você que só escuta
    Não entende a minha luta
    Afinal, de que me queixo
    São problemas superados
    Mas o meu passado vive
    Em tudo que eu faço agora
    Ele está no meu presente
    Mas eu apenas desabafo
    Confusões da minha mente.

    Essas recordações me matam
    Essas recordações me matam
    Essas recordações me matam
    Essas recordações me matam.

    ResponderExcluir
  3. Amigo! Oi amigo do meu coração!!! Meu anjo lindo, me perdoe por não vir antes, a internet aqui hoje não conectava... Mas olha, quero te dizer que esse seu poema é profundamente lindo! E vou ser abusada, vou pegá-lo emprestado e oferecer ao meu pé de manga que de tão velhinho está caduco, mas eu o amo tanto... Ele me viu nascer, crescer, sorrir e chorar, e agora ainda assiste meus filhos e neta na sombra dele brincar... Mas sinto que mesmo ele se despedindo a cada estação que vai, ainda ele é feliz, pois muitos ninhos ao longo da sua vida foi construido em seus galhos, muitas vidas ele viu nascer em sua aconchegante
    copa... Nossa amigo! Seu poema me deixou emocionada! E eu te adoro, viu?
    Olha, pra mim, todo dia é dia do amigo, mas hoje foi especificado como sendo especial, então receba meu anjo amigo e muito querido, uma chuvinha de carinho que tiro agora de uma nuvenzinha de amor do meu coração especialmente pra deixar a você... Que essa chuvinha regue sua vida e seu coração fazendo fertilizar cada dia mais a nossa linda amizade... Um abraço apertado, um beijo pra selar mais uma vez o nosso abençoado encontro mesmo sendo virtual... Mais e mais carinhos a ti!!!

    ResponderExcluir
  4. Ola poeta!
    Que chique heim, adorei o seu cantinho, bom gôsto,
    belos versos a sua simpatia estampada aqui.Mil parabens pelo seu trabalho.Um grande abraço da amiga, Stellamaris

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.